Observando março de 2020 com um todo, a queda em relação ao mesmo mês de 2019 foi de 21% para produção, licenciamentos e exportação

Com a pandemia do Covid-19, que atinge todo o mundo, causando, principalmente, milhares de mortes e também perdas na economia, a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) chega a um resultado nada agradável para o setor automotivo.

Com forte contaminação da crise da Covid-19 nas últimas duas semanas do mês de março e paralisação gradativa do comércio e das fábricas na segunda quinzena, o resultado é uma queda de quase 90% nas atividades do setor.

 

São cerca de 123 mil trabalhadores parados por conta do fechamento de 63 fábricas em dez estados e 40 cidades. As perdas são bem grandes, porém o momento é de priorizar a saúde da população, e todas as montadoras que fazem parte da Anfavea estão dando sua contribuição no combate ao coronavírus, seja reparando respiradores, seja produzindo e doando máscaras, ou mesmo cedendo suas frotas vários para as mais diversas finalidades.

Observando março de 2020 com um todo, a queda em relação ao mesmo mês de 2019 foi de 21% para produção, licenciamentos e exportação, coincidentemente. Na comparação com fevereiro, a retração foi de 18% nos emplacamentos e nas exportações, e de 7% na produção.

 

Atividades essenciais – Ao contrário dos automóveis, ônibus e caminhões, as máquinas agrícolas e rodoviárias ainda observaram um mês positivo, já que a maioria das fábricas funcionou até o começo de abril, e as vendas estavam aquecidas em função da época de colheitas. Na comparação com o mês anterior, as vendas avançaram 46%, as exportações 19% e a produção 15%.

 

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

BMW Group usa realidade aumentada na criação de protótipos

Realidade aumentada economiza até um ano na validação de novos modelos O BMW Group está us…