Primeiro híbrido flex do mundo soma mais de 42 mil unidades comercializadas em todo o Brasil desde setembro de 2019

O sedã mais vendido no mundo, o Toyota Corolla, chegou em sua 12ª geração no Brasil como um divisor de águas na indústria automotiva. Primeiro veículo híbrido com motor flex do mundo e primeiro produzido no País, a mais nova geração do modelo completa um ano com mais de 42 mil unidades comercializadas e se consolida na liderança de seu segmento com 50% de participação em 2020.

O Corolla, que tem mais de 50 anos de existência e 50 milhões de unidades vendidas em todo o mundo desde 1966, sempre se manteve fiel à sua filosofia de oferecer qualidade, durabilidade e confiabilidade. Na última geração foi acrescentada mais uma premissa: inovação. A versão híbrida, que combina três motores, sendo dois elétricos e um a combustão com tecnologia flex, já vendeu aproximadamente 10 mil unidades. Hoje, é o carro-chefe da Toyota no processo de hibridização no País.
O sedã conta com duas opções de motores: 2.0L Dynamic Force flex com transmissão Direct Shift de dez marchas e injeção direta e o inédito sistema híbrido, que faz dele o carro movido a etanol mais eficiente do Brasil.

Para isso, o sedã vem aprimorando a cada geração suas qualidades globais, como sua construção e confiabilidade, e adicional tecnologia e inovação para fazer ainda mais diferença na mobilidade dos consumidores que buscam um veículo inteligente, conectado e sustentável, com um design completamente renovado e tecnologias inéditas para o segmento. Essa liderança no mercado brasileiro reforça a estratégia da marca de ouvir, cada vez mais, as necessidades dos clientes e no desenvolvimento de toda a cadeia produtiva entorno de suas plantas.

Tecnologia – o sistema híbrido flex

Inédito no mercado brasileiro, o sistema combina três motores, sendo um a gasolina de 1.8L VVT-i 16V de ciclo Atkinson flex, com 101 cv de potência a 5.200 rpm, quando abastecido com etanol, e 98 cv também a 5.200 giros, quando abastecido com gasolina, e 14,5 kgfm de torque a 3.600 rpm (abastecido com etanol ou gasolina). Esse propulsor funciona em conjunto com dois motores elétricos (MG1 e MG2) de 72 cv de potência e 16,6 kgfm de torque, o que garante economia, aceleração suave e conforto ao rodar em qualquer tipo de condução.

Para a alimentação dos motores elétricos do Corolla, o sedã é equipado com uma bateria híbrida de níquel-hidreto metálico, localizada embaixo do banco traseiro. Esta configuração reduz o centro de gravidade e aprimora a estabilidade na condução do veículo, sem comprometer o espaço interno.
Já a transmissão Hybrid Transaxle funciona por meio de planetária com engrenagem, praticamente eliminando perdas e atritos. Este tipo de transmissão entrega uma aceleração mais linear, que reduz ou aumenta continuamente as marchas de acordo com a demanda do motor, sem desperdiçar energia, e contribui para a economia de combustível.

Além disso, a versão híbrida conta com um sistema de freios regenerativos, que acumula energia cinética gerada pelas frenagens e a transforma em energia elétrica, o que alimenta a bateria híbrida. Essa combinação permite maior autonomia ao modelo no modo elétrico, e também contribui para a economia de combustível.

Artigos Relacionados
Leia mais em Destaques

Deixe uma resposta

Veja também

Ônibus VW moderniza frota argentina de transporte público

Como motorização MAN D08, esses dois Volksbus têm sistema EGR de tratamento de emissões, d…