Fabiana Rodrigues*
 
 
Com a emancipação feminina, as mulheres estão cada vez mais participando de segmentos que eram tradicionalmente masculinos. Nas últimas décadas, as mulheres estão mais interessadas em temas como política, sexualidade e até mesmo automóveis. Atualmente existem, inclusive, oficinas mecânicas dedicadas ao público feminino, que provam que o serviço especializado é uma tendência.
 
Ainda assim, as mulheres carecem de informações. A disponibilidade de lugares que oferecem serviços automotivos é enorme, mas nem todas têm um local de confiança par realizá-los. Confira agora as orientações da Consultora Técnica da Total Lubrificantes do Brasil, Fabiana Rodrigues para entender um pouco mais sobre este universo.
 
DEVO OU NÃO DEVO COMPLETAR O ÓLEO?
 
É comum ouvirmos historias sobre o nível de o óleo estar baixo, mas para podermos decidir se vamos ou não completar o nível, primeiro é importante conhecer qual o nível correto do óleo na vareta. Para verificar o nível do óleo, o ideal é aguardar aproximadamente de 5 a 10 minutos após estacionar o carro, para que o óleo retorne ao cárter, fazendo com que a leitura do volume seja correta. Com o motor frio, deve-se retirar a vareta do óleo, limpá-la com um pano que não solte fiapos e colocá-la novamente no lugar. Diferentemente do que a maioria das pessoas pensa, o nível correto é entre o mínimo e o máximo, ou seja, no meio do leitor. Tanto o excesso de óleo quanto a falta dele são prejudiciais, por isso, conhecer o modo de verificar o nível é extremamente importante.
 
ESCOLHA DO LUBRIFICANTE CORRETO
 
Escolher o lubrificante correto é mais fácil do que imaginamos. A escolha certa reduz custos de manutenção e ainda aumenta a vida útil do motor.
 
Os lubrificantes possuem duas características “básicas”, uma delas é a viscosidade e a outra o pacote de aditivos. A viscosidade, neste caso, é representada por duas numerações separadas pela letra W, que significa “winter”, inverno em inglês. A primeira numeração informa como o óleo se comportará com o motor frio, ou seja, no momento da partida. Esta numeração, quanto mais baixa melhor, pois significa que o óleo sofrerá menos resistência para lubrificar o motor inicialmente. A segunda numeração informa como o óleo se comportará com o motor quente, ou seja, depois de estabilizado o funcionamento do veículo. Para esta viscosidade o recomendado é seguir a indicação da montadora.
 
A segunda regra para escolha do lubrificante é identificar o pacote de aditivos, que no Brasil, a maior parte do mercado é orientada pela norma API (Instituto de Petróleo Americano), que regulamenta o pacote de aditivos. Para veículos a gasolina, etanol, flex e GNV devemos observar se no rótulo consta a letra S (spark) que é a tradução de centelha em inglês, seguida de outra letra do alfabeto. Quanto maior a letra seguinte à letra “S”, maior a proteção e desempenho do produto.
 
FLUIDO DE RADIADOR
 
O radiador é um componente do sistema de arrefecimento do veículo, que tem como função manter a temperatura do motor. O fluido de radiador tem como principal função alterar o ponto de ebulição e de congelamento da água, fazendo com que a água permaneça em seu estado líquido, além de evitar a oxidação dos componentes do motor. Verifique semanalmente o nível de água do reservatório e quando necessário complete o nível, certificando-se de sempre que está sendo utilizada água desmineralizada e se o fluido de radiador é o recomendado pelo fabricante do veículo.
 
Caso esteja aquecido, não coloque água fria, pois pode gerar trinca no bloco do motor. Aguarde alguns minutos para que o carro esfrie e então complete o nível do reservatório.
Atenção: Não abra a tampa do reservatório com o motor quente, pois pode provocar queimaduras e mantenha a tampa sempre fechada evitando que a água evapore.
 
VEÍCULO FLEX: DEVO ABASTECER COM GASOLINA OU ETANOL?
 
Na hora de abastecer um carro flex é comum ficarmos na dúvida se devemos abastecer com etanol ou gasolina. O consumo de etanol é maior que o da gasolina, por isso, para tirar a dúvida se o melhor é abastecer com etanol ou gasolina faça o seguinte cálculo: Preço do álcool = Se o resultado for menor que 0,7, abastecer com etanol. Se o resultado maior, deve-se abastecer com gasolina.
 
CALIBRAÇÃO DOS PNEUS
 
Andar com os pneus sempre calibrados ajuda a economizar combustível, aumenta a vida útil do pneu e garante a segurança ao dirigir. Para conhecer a pressão correta do pneu, deve-se consultar o manual do veículo ou identificar o local com a informação no próprio veículo, como na tampa do combustível ou na parte interna do porta-luvas. Recomenda-se calibrar os pneus a cada 15 dias e antes de pegar a estrada.
 
*Fabiana Rodrigues, Consultora Técnica da Total Lubrificantes do Brasil
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

 

 
 
Fabiana Rodrigues*
 
 
Com a emancipação feminina, as mulheres estão cada vez mais participando de segmentos que eram tradicionalmente masculinos. Nas últimas décadas, as mulheres estão mais interessadas em temas como política, sexualidade e até mesmo automóveis. Atualmente existem, inclusive, oficinas mecânicas dedicadas ao público feminino, que provam que o serviço especializado é uma tendência.
 
Ainda assim, as mulheres carecem de informações. A disponibilidade de lugares que oferecem serviços automotivos é enorme, mas nem todas têm um local de confiança par realizá-los. Confira agora as orientações da Consultora Técnica da Total Lubrificantes do Brasil, Fabiana Rodrigues para entender um pouco mais sobre este universo.
 
DEVO OU NÃO DEVO COMPLETAR O ÓLEO?
 
É comum ouvirmos historias sobre o nível de o óleo estar baixo, mas para podermos decidir se vamos ou não completar o nível, primeiro é importante conhecer qual o nível correto do óleo na vareta. Para verificar o nível do óleo, o ideal é aguardar aproximadamente de 5 a 10 minutos após estacionar o carro, para que o óleo retorne ao cárter, fazendo com que a leitura do volume seja correta. Com o motor frio, deve-se retirar a vareta do óleo, limpá-la com um pano que não solte fiapos e colocá-la novamente no lugar. Diferentemente do que a maioria das pessoas pensa, o nível correto é entre o mínimo e o máximo, ou seja, no meio do leitor. Tanto o excesso de óleo quanto a falta dele são prejudiciais, por isso, conhecer o modo de verificar o nível é extremamente importante.
 
ESCOLHA DO LUBRIFICANTE CORRETO
 
Escolher o lubrificante correto é mais fácil do que imaginamos. A escolha certa reduz custos de manutenção e ainda aumenta a vida útil do motor.
 
Os lubrificantes possuem duas características “básicas”, uma delas é a viscosidade e a outra o pacote de aditivos. A viscosidade, neste caso, é representada por duas numerações separadas pela letra W, que significa “winter”, inverno em inglês. A primeira numeração informa como o óleo se comportará com o motor frio, ou seja, no momento da partida. Esta numeração, quanto mais baixa melhor, pois significa que o óleo sofrerá menos resistência para lubrificar o motor inicialmente. A segunda numeração informa como o óleo se comportará com o motor quente, ou seja, depois de estabilizado o funcionamento do veículo. Para esta viscosidade o recomendado é seguir a indicação da montadora.
 
A segunda regra para escolha do lubrificante é identificar o pacote de aditivos, que no Brasil, a maior parte do mercado é orientada pela norma API (Instituto de Petróleo Americano), que regulamenta o pacote de aditivos. Para veículos a gasolina, etanol, flex e GNV devemos observar se no rótulo consta a letra S (spark) que é a tradução de centelha em inglês, seguida de outra letra do alfabeto. Quanto maior a letra seguinte à letra “S”, maior a proteção e desempenho do produto.
 
FLUIDO DE RADIADOR
 
O radiador é um componente do sistema de arrefecimento do veículo, que tem como função manter a temperatura do motor. O fluido de radiador tem como principal função alterar o ponto de ebulição e de congelamento da água, fazendo com que a água permaneça em seu estado líquido, além de evitar a oxidação dos componentes do motor. Verifique semanalmente o nível de água do reservatório e quando necessário complete o nível, certificando-se de sempre que está sendo utilizada água desmineralizada e se o fluido de radiador é o recomendado pelo fabricante do veículo.
 
Caso esteja aquecido, não coloque água fria, pois pode gerar trinca no bloco do motor. Aguarde alguns minutos para que o carro esfrie e então complete o nível do reservatório.
Atenção: Não abra a tampa do reservatório com o motor quente, pois pode provocar queimaduras e mantenha a tampa sempre fechada evitando que a água evapore.
 
VEÍCULO FLEX: DEVO ABASTECER COM GASOLINA OU ETANOL?
 
Na hora de abastecer um carro flex é comum ficarmos na dúvida se devemos abastecer com etanol ou gasolina. O consumo de etanol é maior que o da gasolina, por isso, para tirar a dúvida se o melhor é abastecer com etanol ou gasolina faça o seguinte cálculo: Preço do álcool = Se o resultado for menor que 0,7, abastecer com etanol. Se o resultado maior, deve-se abastecer com gasolina.
 
CALIBRAÇÃO DOS PNEUS
 
Andar com os pneus sempre calibrados ajuda a economizar combustível, aumenta a vida útil do pneu e garante a segurança ao dirigir. Para conhecer a pressão correta do pneu, deve-se consultar o manual do veículo ou identificar o local com a informação no próprio veículo, como na tampa do combustível ou na parte interna do porta-luvas. Recomenda-se calibrar os pneus a cada 15 dias e antes de pegar a estrada.
 
*Fabiana Rodrigues, Consultora Técnica da Total Lubrificantes do Brasil
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

IMSA: Derani vai em busca de mais um pódio neste domingo em Mid-Ohio

Brasileiro destaca características difíceis do traçado, mas segue confiante e embalado, ap…