Componente reduz mais de 90% da emissão de materiais particulados (fumaça preta); falta de manutenção pode gerar aumento no consumo de combustível

Neste período repleto de desafios impostos da pandemia de Coronavírus, o abastecimento de produtos essenciais, como alimentos e remédios, por exemplo, segue atuando para garantir as necessidades da população. Por conta disso, é essencial que os profissionais de transporte redobrem a atenção sobre os cuidados com o seu veículo, uma vez que os estabelecimentos de manutenção veicular estão operando com limitações.

A Umicore, empresa especialista em tecnologias contra emissões tóxicas, alerta para a importância de manter a manutenção correta do filtro de partículas. A peça, que integra veículos movidos a diesel, colabora com a redução de mais de 90% da emissão de materiais particulados gerados pelo funcionamento dos motores a combustão. Isso se deve à conversão do material particulado retido no filtro em CO2 e água, possível pela função catalítica do equipamento, que promove reações purificadoras dos gases de exaustão.

Localizado no escapamento dos veículos, o componente é responsável por impedir a criação da famosa fumaça preta gerada por vans, picapes e veículos urbanos de carga (VUCs), que trabalham com motor a diesel. Proporcionando um processo de combustão em gases inofensivos, o filtro de partículas é um agente primordial para proporcionar uma melhor qualidade do ar e, consequentemente, preservar a saúde da população.

Dicas valiosas

Para evitar o desgaste precoce da peça, uma das dicas essenciais é que seja realizada a troca do óleo lubrificante no período indicado. Segundo Miguel Zoca, gerente de Aplicação de Produto da Umicore, “se isso não for feito, o funcionamento desregulado do motor implica em um maior consumo de óleo do que o recomendado, fazendo com que o sistema de pós-tratamento seja prejudicado”. O especialista também afirma que “a troca fora do prazo pode gerar cinzas que entopem os poros do filtro, impedindo que ele cumpra sua função no veículo”.

Outra recomendação valiosa é relacionada ao abastecimento, que também merece uma atenção especial dos motoristas. Os veículos equipados com motores de última geração devem receber o diesel S10, principalmente por conta de sua composição mais leve, com menor quantidade de enxofre. “Ao usar outros tipos de diesel, o proprietário corre o risco de ocasionar o entupimento do filtro de partículas e, consequentemente, a perda de eficiência do componente”, afirma Zoca.

A troca é necessária?

É fundamental sempre estar sempre atento às condições do filtro de partículas. Caso seja identificado algum dano físico na peça, ela deve ser substituída imediatamente. Geralmente, esses danos podem surgir por conta de avarias no motor ou nos sensores. Sendo assim, a substituição pode evitar um aumento no consumo de diesel, além de garantir o bom funcionamento de outros componentes sem o excesso de contrapressão.

“O consumo de combustível é um dos fatores que mais geram custos em uma frota de veículos comerciais. Portanto, para evitar problemas maiores no futuro, as manutenções preventivas devem ser realizadas dentro do prazo previsto por cada fabricante para prolongar a vida útil dos modelos”, completa o especialista da Umicore.

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Fox 2021 chega com mais itens de segurança

O modelo traz de série cintos de três pontos e apoios de cabeça para cinco ocupantes, além…