Componentes danificados ou desgastados podem interferir na distância de frenagem e no controle do veículo, causando acidentes

Cerca de 1,35 milhão de pessoas morrem a cada ano em decorrência de acidentes no trânsito em todo o mundo, sendo a oitava maior causa de óbitos. Nos períodos de férias, essas estatísticas aumentam em função do maior volume de veículos nas estradas. Além de imprudência, outro motivo recorrente de acidentes nas estradas são os veículos sem manutenção em dia. Por isso, a Monroe, empresa líder mundial na fabricação e no desenvolvimento de amortecedores, alerta para a verificação do sistema de suspensão, que influencia não só no conforto como na segurança dos ocupantes.

Os amortecedores devem ser revisados periodicamente, seguindo a orientação da montadora descrita no manual do veículo. “A Monroe recomenda verificar os amortecedores, aproximadamente, a cada 10 mil quilômetros. Também é preciso revisar o sistema quando o motorista notar problemas de dirigibilidade, ruído, solavanco, balanço excessivo ou falta de contato dos pneus com o solo. Ao perceber qualquer um desses sinais, será necessária a substituição imediata das peças. Rodar com os componentes desgastados podem causar acidentes graves, colocando todos em risco”, destaca Juliano Caretta, Supervisor de Treinamento Técnico da DRiV.

A substituição das peças é indicada, de forma preventiva, para veículos que atingirem aproximadamente 40 mil quilômetros rodados, ou que apresentarem problemas no componente. Além de realizar a troca dos amortecedores, recomenda-se também a substituição do coxim, batente e coifa. A manutenção preventiva custa menos que a corretiva, gerando uma economia de até 30%, além de garantir a segurança.

Os principais riscos

Os amortecedores são um dos principais equipamentos de segurança. Por isso, se estiverem danificados ou desgastados, podem comprometer a capacidade de frenagem do carro, de modo a exigir até 2,5 metros a mais de distância para frear a uma velocidade de 80 km/h. Se a pista estiver molhada, o risco de acidente aumenta, uma vez que o veículo pode aquaplanar, gerando perda de controle em curvas e pistas mal pavimentadas.

Por fim, há o comprometimento do conforto a bordo, com mais trepidações na carroceria e consequente elevação do nível de cansaço do motorista, que pode ser crucial em viagens longas. Não deixe os cuidados essenciais com o veículo de lado.

Além dos componentes de suspensão, é importante revisar freios, pneus, rodas e direção. O motorista deve verificar ainda as lâmpadas externas e internas, o nível do óleo do motor, do líquido do radiador e do fluído de freio. O nível do recipiente de água e o estado de conservação das palhetas do limpador do para-brisa também devem ser inspecionados.

Dica importante

Antes de pegar a estrada, certifique-se de estar com a CNH e o documento do veículo em mãos e confira se todos os equipamentos obrigatórios, como macaco, triângulo e chave de roda, estão no automóvel. O extintor de incêndio não é mais item obrigatório em veículos de passeio, mas deve estar dentro da validade, cheio e com o lacre inviolado caso o proprietário opte por mantê-lo no carro. Prevenir-se é essencial, e evitar um acidente é imprescindível.

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Toyota oferece blindagem certificada para Novo Corolla 2020

Blindagem da carroceria possui cinco anos de garantia, enquanto os vidros blindados têm co…