Atitudes comuns no dia a dia podem reduzir a vida útil dos amortecedores

Passar por lombadas na diagonal e trafegar por ruas esburacadas são alguns fatores que influenciam diretamente na vida útil dos componentes da suspensão. Para ajudar motoristas a evitar problemas, a Monroe, empresa líder mundial na fabricação e no desenvolvimento de amortecedores, dá algumas dicas que podem ajudar no dia a dia.

O sistema de suspensão é composto por amortecedores, coxins, molas, bielas, batentes e bandejas, entre outros componentes, que trabalham em conjunto para assegurar a estabilidade e a dirigibilidade do veículo, além do conforto dos ocupantes. Se uma dessas peças estiver com desgaste excessivo, pode comprometer o desempenho e a vida útil das demais.

“É importante fazer a revisão periódica de todo o sistema de suspensão regularmente, obedecendo os prazos de troca recomendados pelo fabricante. Há diversos fatores que prejudicam os amortecedores e as demais peças do sistema, e que podem passar despercebidos pelos proprietários”, alerta Juliano Caretta, Supervisor de Treinamento Técnico da DRiV.

Alinhamento e balanceamento

A primeira dica é manter o alinhamento e o balanceamento do veículo em dia. Caso contrário, pode haver desgaste desigual e prematuro dos pneus, influenciando na vida útil da suspensão e, principalmente, dos amortecedores.

Passar em lombadas na diagonal

A forma correta de passar por lombadas ou valetas é em linha reta. Passar por estes obstáculos na diagonal gera forças laterais na movimentação dos componentes, podendo acarretar folgas excessivas, ruídos, empenamentos e, em situações mais graves, o travamento total das peças. Além disso, é fundamental passar em velocidade reduzida.

Trafegar por ruas esburacadas

Veículos que trafegam muito por vias esburacadas ou em terrenos fora de estrada podem sofrer desgaste prematuro dos amortecedores. Se esse for o caso, o prazo de troca poderá precisar ser antecipado. Para evitar problemas, fique atento a sinais como perda de estabilidade em curvas, ruídos, derrapagens, solavancos, balanço excessivo ou falta de contato dos pneus com o solo. O mesmo se aplica a veículos com condições severas de uso, como táxis e de transporte.

Exceder o limite de carga do veículo

Todo manual do proprietário traz o limite de carga permitido em cada veículo. E muitas vezes ele não é respeitado, especialmente em viagens. Extrapolar o limite de carga compromete a dirigibilidade e o conforto, colocando todos os ocupantes em perigo. Também é importante distribuir o peso de forma igualitária no porta malas, evitando diferenças de altura entre os lados da suspensão.

A Monroe recomenda verificar os amortecedores, aproximadamente, a cada 10 mil quilômetros. A substituição das peças é indicada, de forma preventiva, para veículos que atingirem aproximadamente 40 mil quilômetros rodados, ou que apresentarem problemas no componente. Além de realizar a troca dos amortecedores, recomenda-se também a substituição do coxim com rolamento, batente e coifa.

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Vendas financiadas de veículos crescem 20% em julho na comparação com 2018

Alta – registrada nas vendas a crédito de autos leves, motos e pesados – foi mais acentuad…