Grupo Renault mantém sua participação como construtor no Campeonato Mundial de F1, amparada pelo novo Pacto de Concórdia

O Grupo Renault tomou a decisão de destacar as cores da excelência francesa na Fórmula 1, alterando o nome de sua escuderia para Alpine a partir da temporada 2021. O nome Alpine já é bem conhecido por seus recordes e sucessos, tanto nas categorias de endurance como de rali, o que faz com que a marca naturalmente esteja preparada para o alto padrão, prestígio e performance da Fórmula 1.

Símbolo de esportividade, elegância e agilidade, a marca Alpine será vista no chassi, prestando uma homenagem à expertise que deu origem ao modelo A110. Para a Alpine, trata-se de uma etapa importante para acelerar o desenvolvimento e a influência da marca. O motor da escuderia manterá o nome E-Tech e continuará se beneficiando da expertise inigualável do Grupo Renault em motorizações híbridas.

A assinatura do novo Pacto de Concórdia, que estipula um teto orçamentário, além da entrada em vigor de um novo regulamento técnico a partir de 2022, faz com que o Grupo esteja mais determinado do que nunca a batalhar pelo pódio e pela vitória com suas novas cores.

“A Alpine é uma bela marca, potente e vibrante, que traz um sorriso aos rostos dos seus seguidores. Com o lançamento da Alpine – marca que é símbolo da excelência francesa – na categoria máxima do automobilismo esportivo, continuamos a aventura dos construtores em uma disciplina renovada. Também estamos trazendo para o esporte uma marca desejada para competir com grandes nomes, para que os esportes a motor sejam ainda mais espetaculares e assistidos pelos apaixonados pela categoria. A Alpine levará os seus valores de elegância, engenhosidade e audácia para o paddock da Fórmula 1”, diz Luca De Meo, CEO do Grupo Renault.

“Esta mudança acontece em um momento-chave da trajetória da escuderia e da categoria. A Alpine está trazendo um novo sentido, novos valores e novas cores para o paddock, com o espírito das competições oriundo de outro universo e a agilidade da criação à francesa. Todas estas vantagens serão colocadas a serviço da preparação da temporada de 2022. O novo marco regulatório e financeiro da categoria vai definir as condições de um automobilismo esportivo mais igualitário na redistribuição da receita, mais simples e progressista em termos de governança. A introdução de um teto orçamentário colocará fim à corrida pelos gastos, permitindo que as equipes signatárias sejam medidas por seu valor esportivo. A Alpine tem tudo a ver com a Fórmula 1 e poderá brigar pela vitória”, afirma Cyril Abiteboul, Diretor Equipe da Renault DP World F1 Team.

Artigos Relacionados
Leia mais em Destaques
Comentários estão fechados

Veja também

Mercedes-Benz do Brasil é premiada por iniciativas de diversidade

Seguindo estratégia global da Daimler, Companhia valoriza as diferenças e fortalece a cult…