Amortecedores desgastados ou danificados podem trazer diversos riscos aos ocupantes e veículo. “O desgaste dos amortecedores eleva a distância de frenagem, tende à aquaplanagem do automóvel em superfícies alagadas e a sair para o lado de fora das curvas”, afirma Jair Silva, gerente de qualidade e serviços da Nakata, alertando para a ocorrência de graves acidentes.
 
Ele explica que os amortecedores tem a função de atenuar impactos na carroceria e manter os pneus em contato com o solo, assim, é responsável por garantir a segurança e boa dirigibilidade.
 
“Além de comprometer a estabilidade do veículo, trafegar com os amortecedores desgastados pode ocasionar também mais gastos do que o previsto aos consumidores na hora de fazer a manutenção”, alerta.  Quando danificados, os componentes podem ocasionar, entre outras consequências, desgaste prematuro dos pneus.
 
Silva aponta alguns fatores que interfere na durabilidade dos amortecedores. Terrenos irregulares exercem mais impacto, podendo provocar o desgaste prematuro de vários componentes da suspensão. O modo como o condutor do veículo dirige também pode prejudicar o amortecedor.
 
Se não houver nenhum tipo de ocorrência que possa prejudicar o amortecedor, como cair em buracos, passar em redutor de velocidade de forma brusca, a recomendação é revisar o conjunto de suspensão a cada 10 mil km a partir dos 40.000 km. “O próprio motorista pode observar alterações no comportamento do veículo”, comenta. Vibrações e ruídos na suspensão, balanço excessivo após freadas e arrancadas, perda da estabilidade em curvas e pistas ruins, vazamento de óleo,  redução do contato entre o pneu e solo e do controle da suspensão e deterioração prematuro dos pneus podem ser indícios de que os componentes podem estar com danificados.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Vícios ao volante que podem prejudicar componentes do veículo

Hábitos corriqueiros podem danificar peças e comprometer segurança no automóvel. Alguns há…