A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, Anfavea, divulgou os resultados da indústria automobilística em abril e no primeiro quadrimestre. Segundo a entidade, o setor fechou o quarto mês do ano com 219,3 mil veículos comercializados, o que significa uma retração de 6,6% em relação aos 234,6 mil de março de 2015.
 
Na análise contra abril do ano passado, que registrou 293,2 mil veículos, a contração foi de 25,2%, no mês. No acumulado do ano as vendas foram de 893,6 mil unidades: queda de 19,2% frente as 1,1 milhão de unidades vendidas até abril de 2014. Para Luiz Moan Yabiku Junior, presidente da Anfavea, a atual conjuntura continua impactando fortemente a confiança do consumidor:
 
“A confiança do consumidor e dos empresários é, neste momento, uma das principais razões para o complexo cenário que vivemos atualmente. Por esta razão, entendemos que é de fundamental importância a realização o mais rápido possível dos ajustes fiscais na economia. Desta forma, as regras ficarão claras, o planejamento será mais preciso e a atividade será retomada”.
 
As exportações recuaram 1,2% no acumulado do ano, com 108,5 mil unidades em 2015 ante 109,9 mil do ano anterior. Somente no quarto mês deste ano 28,8 mil unidades deixaram as fronteiras brasileiras, o que significa diminuição de 10,7% frente as 32,2 mil de março e de 18,4% com relação as 35,2 mil de abril de 2014.
 
A produção no quadrimestre também apresentou declínio: 17,5% em relação ao ano passado – 881,8 mil e 1,1 milhão de unidades, respectivamente. Abril terminou com baixa de 21,7%, com 217,1 mil veículos no mês contra 277,1 mil de igual período de 2014. Na comparação com março, a fabricação foi 14,5% inferior, quando comparadas as 254 mil unidades daquele mês.
 
Caminhões e ônibus
No segmento de caminhões o licenciamento terminou o mês com baixa de 10,9% ao se comparar as 5,8 mil unidades de abril com as 6,5 mil de março. O setor apresentou retração de 46,9% na análise com as 10,9 mil unidades negociadas em abril do ano passado. O resultado no acumulado, com 25,1 mil unidades, está 39,3% menor do que no ano passado com 41,3 mil unidades.
 
A produção ficou 6,9% abaixo – foram 6,9 mil unidades em abril e 7,4 mil em março. Ao defrontar o resultado com abril do ano passado, quando foram produzidos 12,3 mil caminhões, o decréscimo é de 44,3%. No quadrimestre a baixa é de 45,2%: 30,2 mil este ano e 55,1 mil em 2014.
 
Os dados mostraram que a exportação de 6,1 mil unidades acumulada de janeiro a abril encolheu 1,7% se comparado com as 6,2 mil unidades de igual período de 2014. Apenas em abril 1,7 mil produtos deixaram o País, o que representa queda de 7% em relação as 1,8 mil unidades de março e estabilidade no comparativo com abril do ano passado.
 
Os fabricantes de chassi de ônibus comercializaram 1,6 mil unidades em abril deste ano, uma diminuição de 13,5% contra as 1,8 mil de março. No comparativo com abril do ano passado, quando o setor vendeu 2,2 mil unidades, o resultado foi menor em 30%. Até abril deste ano foram vendidas 6,8 mil unidades: queda de 26,1% em relação as 9,2 mil do ano passado.
 
A produção no quarto mês do ano, com 2,1 mil unidades, recuou 26% quando comparada com as 2,8 mil de março e 39,3% ante as 3,4 mil unidades de abril do ano passado. No quadrimestre, 9,8 mil unidades deixaram as fábricas, resultado menor em 26,6% frente as 13,3 mil unidades de 2014.
 
As exportações de ônibus concluíram os primeiros quatro meses com crescimento de 7% ao se comparar as 2 mil unidades deste ano com as 1,8 mil de 2014.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Nissan comemora 20 anos de uma história de sucesso no Brasil

Da importação de carros à fabricante nacional de automóveis, marca consolida sua presença …