A partir de 31 de janeiro, a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) começará a realizar o monitoramento das viagens do transporte rodoviário interestadual e internacional de passageiros, por meio do Monitriip (Sistema de Monitoramento do Transporte Rodoviário Interestadual e Internacional Coletivo de Passageiros). 
Assim, as empresas de fretamento que possuem frota com mais de 30 veículos registrados na agência e as do transporte regular rodoviário serão obrigadas a transmitirem as informações das viagens realizadas.
Para atender à nova exigência, as operadoras do serviço devem fazer um cadastro junto à ANTT, indicar o fornecedor do sistema que permite o registro e o controle das informações sobre as viagens e iniciar o envio dos dados.
A agência mantém um cadastro das empresas desenvolvedoras desses sistemas no Portal Monitriip. Os fornecedores devem atender aos requisitos que constam na resolução 4.499/2014.
 
 
Operação do Monitriip
O Monitriip é composto pelos subsistemas embarcado e não embarcado. O primeiro caso abrange o conjunto de equipamentos instalados nos veículos, destinados a permitir a sua localização e o seu monitoramento ao longo de toda a operação. O segundo trata da infraestrutura que não está localizada nos veículos utilizados na prestação de serviços, relacionada à venda de bilhetes de passagem rodoviários, venda e recarga de cartões de embarque semiurbano e de registro de ocorrências dos usuários.
A empresa de transporte é responsável pela aquisição, implantação e manutenção do equipamento. A estimativa é que a tecnologia mais básica (que é a exigida pela ANTT) custe cerca de R$ 50 por veículo. Elas também deverão fazer coleta, armazenamento, disponibilização e envio dos dados para a Agência. As informações do subsistema embarcado deverão ser encaminhadas à ANTT em tempo real; as do não embarcado terão prazo de 24 horas. 
Até o fim da implantação do Monitriip, a estimativa é que cerca de 10 mil veículos do serviço regular estarão integrados ao sistema. No fretamento, mais de 20 mil. No transporte semiurbano, são 1,5 mil ônibus. 
Benefícios
O objetivo da ANTT é que a inovação auxilie na definição das políticas de regulação e de fiscalização e no combate ao transporte clandestino. O sistema também permitirá novas facilidades aos passageiros, como vendas de bilhetes pela internet (sem precisar retirar a passagem em algum guichê), e informações mais precisas. 
Outro ganho esperado é na segurança: a ideia é realizar convênios com autoridades policiais e utilizar os dados para combater a criminalidade. O Monitriip permite indicação e motivos das paradas dos ônibus, anormalidades no percurso podem ser rápida e facilmente identificadas. 
 
Fonte: Agência CNT de Notícias
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Polo Jeep alcança a marca de 350 mil Renegades produzidos

Além de ser vendido no Brasil, o modelo também é exportado para outros 12 países da Améric…