\"\"Para garantir a correta aplicação de pastilhas de freio é preciso alguns cuidados na hora da manutenção.  “Para manusear pastilhas de freio novas, a pessoa deve estar com as mãos limpas, isentas de óleo ou graxa para que o material de atrito não seja contaminado”, afirma Jair Silva, gerente de qualidade e serviços da Nakata. Ele lembra também que a pastilha deve ser escolhida de acordo com o modelo de veículo, pois algumas pastilhas apesar de semelhantes podem diferir na aplicação. “A aplicação incorreta pode resultar em ruídos, aquecimento do sistema e até travamento das rodas e perda de eficiência da frenagem”, alerta.
 
Antes de efetuar a substituição das pastilhas é fundamental fazer uma análise completa de todo o sistema de freio. Estado das pinças, embolo e pinos deslizantes. Se estiverem travados, destravá-los e lubrificá-los. 
 
Também se deve analisar o estado dos flexíveis, cilindros de roda, e mestre, sapatas e outros componentes e, havendo necessidade, realizar a troca.
 
O estado do fluido do freio também deve ser analisado, e substituído de acordo com a recomendação da montadora do veículo. Essa análise é importante para assegurar o funcionamento e equilíbrio do sistema de freio.
 
Pastilhas novas não devem ser aplicadas em discos comprometidos, somente após a troca dos mesmos. Derivados de petróleo não devem ser utilizados para limpeza ou remoção da camada de proteção dos discos.
 
Após a análise completa do sistema, inicie  retirando as pastilhas usadas da pinça. Em seguida, recua-se o cilindro da pinça com o sangrador aberto e, após fechar, é feita a instalação das novas pastilhas. “O pedal de freio deve ser acionado levemente algumas vezes até a metade, parando quando ficar enrijecido”, explica. Para finalizar, é feito a sangria do sistema para retirada do ar.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

 

 
\"\"Para garantir a correta aplicação de pastilhas de freio é preciso alguns cuidados na hora da manutenção.  “Para manusear pastilhas de freio novas, a pessoa deve estar com as mãos limpas, isentas de óleo ou graxa para que o material de atrito não seja contaminado”, afirma Jair Silva, gerente de qualidade e serviços da Nakata. Ele lembra também que a pastilha deve ser escolhida de acordo com o modelo de veículo, pois algumas pastilhas apesar de semelhantes podem diferir na aplicação. “A aplicação incorreta pode resultar em ruídos, aquecimento do sistema e até travamento das rodas e perda de eficiência da frenagem”, alerta.
 
Antes de efetuar a substituição das pastilhas é fundamental fazer uma análise completa de todo o sistema de freio. Estado das pinças, embolo e pinos deslizantes. Se estiverem travados, destravá-los e lubrificá-los. 
 
Também se deve analisar o estado dos flexíveis, cilindros de roda, e mestre, sapatas e outros componentes e, havendo necessidade, realizar a troca.
 
O estado do fluido do freio também deve ser analisado, e substituído de acordo com a recomendação da montadora do veículo. Essa análise é importante para assegurar o funcionamento e equilíbrio do sistema de freio.
 
Pastilhas novas não devem ser aplicadas em discos comprometidos, somente após a troca dos mesmos. Derivados de petróleo não devem ser utilizados para limpeza ou remoção da camada de proteção dos discos.
 
Após a análise completa do sistema, inicie  retirando as pastilhas usadas da pinça. Em seguida, recua-se o cilindro da pinça com o sangrador aberto e, após fechar, é feita a instalação das novas pastilhas. “O pedal de freio deve ser acionado levemente algumas vezes até a metade, parando quando ficar enrijecido”, explica. Para finalizar, é feito a sangria do sistema para retirada do ar.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Nissan comemora 20 anos de uma história de sucesso no Brasil

Da importação de carros à fabricante nacional de automóveis, marca consolida sua presença …