\"\"Para garantir a correta aplicação de pastilhas de freio é preciso alguns cuidados na hora da manutenção.  “Para manusear pastilhas de freio novas, a pessoa deve estar com as mãos limpas, isentas de óleo ou graxa para que o material de atrito não seja contaminado”, afirma Jair Silva, gerente de qualidade e serviços da Nakata. Ele lembra também que a pastilha deve ser escolhida de acordo com o modelo de veículo, pois algumas pastilhas apesar de semelhantes podem diferir na aplicação. “A aplicação incorreta pode resultar em ruídos, aquecimento do sistema e até travamento das rodas e perda de eficiência da frenagem”, alerta.
 
Antes de efetuar a substituição das pastilhas é fundamental fazer uma análise completa de todo o sistema de freio. Estado das pinças, embolo e pinos deslizantes. Se estiverem travados, destravá-los e lubrificá-los. 
 
Também se deve analisar o estado dos flexíveis, cilindros de roda, e mestre, sapatas e outros componentes e, havendo necessidade, realizar a troca.
 
O estado do fluido do freio também deve ser analisado, e substituído de acordo com a recomendação da montadora do veículo. Essa análise é importante para assegurar o funcionamento e equilíbrio do sistema de freio.
 
Pastilhas novas não devem ser aplicadas em discos comprometidos, somente após a troca dos mesmos. Derivados de petróleo não devem ser utilizados para limpeza ou remoção da camada de proteção dos discos.
 
Após a análise completa do sistema, inicie  retirando as pastilhas usadas da pinça. Em seguida, recua-se o cilindro da pinça com o sangrador aberto e, após fechar, é feita a instalação das novas pastilhas. “O pedal de freio deve ser acionado levemente algumas vezes até a metade, parando quando ficar enrijecido”, explica. Para finalizar, é feito a sangria do sistema para retirada do ar.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

 

 
\"\"Para garantir a correta aplicação de pastilhas de freio é preciso alguns cuidados na hora da manutenção.  “Para manusear pastilhas de freio novas, a pessoa deve estar com as mãos limpas, isentas de óleo ou graxa para que o material de atrito não seja contaminado”, afirma Jair Silva, gerente de qualidade e serviços da Nakata. Ele lembra também que a pastilha deve ser escolhida de acordo com o modelo de veículo, pois algumas pastilhas apesar de semelhantes podem diferir na aplicação. “A aplicação incorreta pode resultar em ruídos, aquecimento do sistema e até travamento das rodas e perda de eficiência da frenagem”, alerta.
 
Antes de efetuar a substituição das pastilhas é fundamental fazer uma análise completa de todo o sistema de freio. Estado das pinças, embolo e pinos deslizantes. Se estiverem travados, destravá-los e lubrificá-los. 
 
Também se deve analisar o estado dos flexíveis, cilindros de roda, e mestre, sapatas e outros componentes e, havendo necessidade, realizar a troca.
 
O estado do fluido do freio também deve ser analisado, e substituído de acordo com a recomendação da montadora do veículo. Essa análise é importante para assegurar o funcionamento e equilíbrio do sistema de freio.
 
Pastilhas novas não devem ser aplicadas em discos comprometidos, somente após a troca dos mesmos. Derivados de petróleo não devem ser utilizados para limpeza ou remoção da camada de proteção dos discos.
 
Após a análise completa do sistema, inicie  retirando as pastilhas usadas da pinça. Em seguida, recua-se o cilindro da pinça com o sangrador aberto e, após fechar, é feita a instalação das novas pastilhas. “O pedal de freio deve ser acionado levemente algumas vezes até a metade, parando quando ficar enrijecido”, explica. Para finalizar, é feito a sangria do sistema para retirada do ar.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Fórmula E: Di Grassi: “Somente com inovação e tecnologia alcançaremos um futuro com zero carbono”

Lucas Di Grassi, piloto da ABB FIA Fórmula E, tem um grande compromisso com o futuro do pl…