A Audi continuou a crescer em setembro: com cerca de 170.900 carros vendidos, a empresa aumentou suas entregas no mundo todo em 6,8%. As vendas nas Américas subiram 11,9%, enquanto os negócios na Europa cresceram 8,8%. Graças também ao forte início do novo Audi Q7, a marca das quatro argolas obteve seu melhor resultado de vendas para o mês de setembro na história da empresa na Europa, com quase 80 mil unidades. Desde o início do ano, as vendas globais da montadora sediada em Ingolstadt cresceram 3,8% para todos os modelos, com cerca de 1.347.950 unidades.
 
“Considerando a difícil situação de mercado em importantes regiões, vemos o desempenho das nossas vendas no terceiro trimestre de forma bastante positiva. O crescimento na Europa demonstra que os novos modelos estão gerando um volume adicional”, diz Luca de Meo, Membro do Conselho Administrativo para Vendas e Marketing da AUDI AG. Apenas em setembro, a Audi conseguiu aumentar suas entregas dos novos Q7 e TT para cerca de 4.900 unidades se comparado com o mesmo mês do ano passado. Até meados do próximo ano, a empresa pretende lançar outros 15 modelos, entre novidades e reestilizações, nos mercados globais. “Isso aumentará ainda mais nossas vendas.”
 
 
Além do Q7, cujas vendas mais que dobraram (+171%) na Europa em setembro, os modelos de grande porte A7 e A8 também apresentaram um desempenho positivo. Em todos os mercados europeus, os carros foram responsáveis por um aumento de 14,1%. A Audi obteve o maior crescimento absoluto de participação no mercado na região no Reino Unido: no tradicionalmente forte mês de vendas que é setembro, as entregas cresceram 9,7%, para 28.778 unidades. Desse modo, a marca obteve seu 33º mês consecutivo de quebra de recordes no país, vendendo ainda mais carros do que no mercado alemão (21.710 unidades). Desde o início do ano, a demanda no Reino Unido pelos modelos da montadora sediada em Ingolstadt cresceu 5,3%, para 133.570 unidades.
 
Na Itália (+37% para 5.018 unidades), França (+13,1% para 4.871 unidades) e Espanha (+30,2% para 3.224 unidades), a empresa ampliou suas vendas com uma margem de dois dígitos no mês passado. Durante os primeiros nove meses do ano, a Audi entregou aproximadamente 612.650 carros para seus clientes na Europa – um aumento de 3,8%. A forte demanda pelo Q7 também teve um impacto sobre as vendas da Audi na Rússia, onde a montadora conseguiu novamente aumentar suas entregas pela primeira vez neste ano, com crescimento de 2%, para 2.607 unidades.
 
Os mercados também apresentaram um desempenho positivo na região da Ásia-Pacífico em setembro: na Austrália (+25,6% para 2.048 unidades) e na Coreia do Sul (+27,3% para 2.993 carros), a Audi registrou crescimento de dois dígitos. Na China, o volume de vendas da marca cresceu 2,9% para 53.095 carros entregues. Nos primeiros nove meses do ano, foram 414.411 unidades vendidas, ligeiramente abaixo dos números verificados no mesmo período do ano passado (-0,3%).
 
Nas Américas, a empresa conseguiu tirar proveito do seu sucesso dos meses anteriores, obtendo um aumento de 11,9% com cerca de 23.200 carros vendidos.
 
Os negócios no Brasil (+23,4% para 1.501 unidades) e nos Estados Unidos (+16,2% para 17.340 carros) foram bastante satisfatórios. O modelo campeão de vendas da Audi of America, o Q5, superou os números do mesmo mês do ano passado em quase 59% (para 5.149 unidades). Até o momento, a Audi já vendeu 12,5% mais carros nos Estados Unidos do que no mesmo período de 2014, entregando 147.403 unidades.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Programa de estágio da Hyundai tem vagas para São Paulo e Piracicaba

Prazo para se candidatar às vagas vai até 30 de novembro A Hyundai Motor Brasil está com i…