A Audi continuou a crescer em setembro: com cerca de 170.900 carros vendidos, a empresa aumentou suas entregas no mundo todo em 6,8%. As vendas nas Américas subiram 11,9%, enquanto os negócios na Europa cresceram 8,8%. Graças também ao forte início do novo Audi Q7, a marca das quatro argolas obteve seu melhor resultado de vendas para o mês de setembro na história da empresa na Europa, com quase 80 mil unidades. Desde o início do ano, as vendas globais da montadora sediada em Ingolstadt cresceram 3,8% para todos os modelos, com cerca de 1.347.950 unidades.
 
“Considerando a difícil situação de mercado em importantes regiões, vemos o desempenho das nossas vendas no terceiro trimestre de forma bastante positiva. O crescimento na Europa demonstra que os novos modelos estão gerando um volume adicional”, diz Luca de Meo, Membro do Conselho Administrativo para Vendas e Marketing da AUDI AG. Apenas em setembro, a Audi conseguiu aumentar suas entregas dos novos Q7 e TT para cerca de 4.900 unidades se comparado com o mesmo mês do ano passado. Até meados do próximo ano, a empresa pretende lançar outros 15 modelos, entre novidades e reestilizações, nos mercados globais. “Isso aumentará ainda mais nossas vendas.”
 
 
Além do Q7, cujas vendas mais que dobraram (+171%) na Europa em setembro, os modelos de grande porte A7 e A8 também apresentaram um desempenho positivo. Em todos os mercados europeus, os carros foram responsáveis por um aumento de 14,1%. A Audi obteve o maior crescimento absoluto de participação no mercado na região no Reino Unido: no tradicionalmente forte mês de vendas que é setembro, as entregas cresceram 9,7%, para 28.778 unidades. Desse modo, a marca obteve seu 33º mês consecutivo de quebra de recordes no país, vendendo ainda mais carros do que no mercado alemão (21.710 unidades). Desde o início do ano, a demanda no Reino Unido pelos modelos da montadora sediada em Ingolstadt cresceu 5,3%, para 133.570 unidades.
 
Na Itália (+37% para 5.018 unidades), França (+13,1% para 4.871 unidades) e Espanha (+30,2% para 3.224 unidades), a empresa ampliou suas vendas com uma margem de dois dígitos no mês passado. Durante os primeiros nove meses do ano, a Audi entregou aproximadamente 612.650 carros para seus clientes na Europa – um aumento de 3,8%. A forte demanda pelo Q7 também teve um impacto sobre as vendas da Audi na Rússia, onde a montadora conseguiu novamente aumentar suas entregas pela primeira vez neste ano, com crescimento de 2%, para 2.607 unidades.
 
Os mercados também apresentaram um desempenho positivo na região da Ásia-Pacífico em setembro: na Austrália (+25,6% para 2.048 unidades) e na Coreia do Sul (+27,3% para 2.993 carros), a Audi registrou crescimento de dois dígitos. Na China, o volume de vendas da marca cresceu 2,9% para 53.095 carros entregues. Nos primeiros nove meses do ano, foram 414.411 unidades vendidas, ligeiramente abaixo dos números verificados no mesmo período do ano passado (-0,3%).
 
Nas Américas, a empresa conseguiu tirar proveito do seu sucesso dos meses anteriores, obtendo um aumento de 11,9% com cerca de 23.200 carros vendidos.
 
Os negócios no Brasil (+23,4% para 1.501 unidades) e nos Estados Unidos (+16,2% para 17.340 carros) foram bastante satisfatórios. O modelo campeão de vendas da Audi of America, o Q5, superou os números do mesmo mês do ano passado em quase 59% (para 5.149 unidades). Até o momento, a Audi já vendeu 12,5% mais carros nos Estados Unidos do que no mesmo período de 2014, entregando 147.403 unidades.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Mercedes-Benz apoia mulheres que querem ser caminhoneiras

Iniciativa é uma homenagem ao Dia Internacional da Mulher e premiará 30 participantes Em h…