Novo centro de abastecimento de água já está em operação.

A Audi atingiu outro marco no caminho para a produção de automóveis livres de águas residuais. A empresa colocou em funcionamento um novo centro de abastecimento de água para serviços na fábrica de Ingolstadt, na Alemanha. Em conjunto com a estação de tratamento existente, quase metade das águas residuais produzidas no local podem agora ser recicladas e tratadas para reutilização. Desta forma, a Audi irá economizar até 500.000 metros cúbicos de água limpa a cada ano. O coração do centro de abastecimento de água de serviço é o chamado biorreator de membrana (MBR).

A água é necessária em todo o processo de fabricação de um automóvel, por exemplo, na oficina de pintura. Com o novo centro de abastecimento de água, a Audi está encontrando novas soluções na fábrica de Ingolstadt e fazendo uso ainda mais eficiente da água como recurso. “Graças a este sistema inovador de tratamento de águas residuais, estamos reduzindo em um terço as necessidades de produção de água limpa na fábrica de Ingolstadt”, afirma Rüdiger Recknagel, chefe de proteção ambiental da Audi AG. “Ao mesmo tempo, estamos evitando aproximadamente 40% das águas residuais.” Isso ressalta o compromisso do fabricante premium com o uso sustentável da água: em sua fábrica mexicana em San José Chiapa, a Audi produz carros sem águas residuais desde 2018, conforme certificado por peritos independentes. Com o novo centro de abastecimento, a fábrica em Ingolstadt também alcançou um marco no caminho para a descarga zero de líquidos (ZLD).

Antes de a empresa devolver a água residual como água de serviço nova para os processos de produção na fábrica de Ingolstadt, ela é tratada em até três etapas. Primeiro passa por um processo químico-físico. Isso neutraliza os componentes alcalinos e ácidos e remove metais pesados, por exemplo, da oficina de pintura. O biorreator de membrana então é usado. É o elemento central do tratamento de água. Aqui a água de produção é misturada com águas residuais sanitárias e liberada de componentes orgânicos. O MBR remove bactérias e vírus das águas residuais usando membranas finas de poros. A Audi está, portanto, levando o tratamento de água um passo além das estações convencionais de tratamento de esgoto que não usam esse processo. Finalmente, a osmose reversa remove os sais residuais. A água residual tratada é então devolvida ao processo de produção como água de serviço.


Com o novo centro de abastecimento de água para serviços, a Audi economizará até 500.000 metros cúbicos de água potável a cada ano. Em conjunto com a estação de tratamento existente, o fabricante premium irá no futuro reciclar cerca de metade das águas residuais produzidas no local de Ingolstadt.

A fim de economizar água subterrânea, a Audi também está usando cada vez mais a água da chuva para fins de água de serviço em sua fábrica em Ingolstadt. A água da chuva proveniente de mais de 450.000 metros quadrados de telhado e estacionamento é coletada em cisternas subterrâneas. Dependendo das condições climáticas, até 260.000 metros cúbicos de água da chuva podem ser usados anualmente.

A Audi estabeleceu a meta de reduzir os fatores ambientais de energia, emissões de CO2, água doce, resíduos e compostos orgânicos voláteis em 35% por carro produzido até 2025 em comparação com o ano de referência de 2010. O objetivo de longo prazo da empresa é produzir automóveis que são neutros em CO2 e livres de águas residuais.

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Novo Corolla feito no Brasil será o primeiro veículo híbrido flex do mundo

Com essa motorização, o Novo Corolla será o carro movido a etanol mais eficiente do País e…