Entre janeiro e junho, as vendas globais da Audi aumentaram 3,8 % em comparação com o mesmo período do ano passado, atingindo cerca de 902.400 carros. Pela primeira vez na história da companhia, mais de 900.000 clientes optaram, até a metade do ano, pela marca dos quatro anéis. Apesar de iminentes mudanças de modelos em alguns mercados, as vendas subiram em todas as regiões do mundo, especialmente no continente americano (+ 12,4 %). No mês de junho, as entregas de cerca de 157.450 veículos em todo o mundo foram ligeiramente superiores às do mesmo mês no ano passado (+ 1,3 %).
 
“Até agora, 2015 tem sido um ano desafiador para nós. Estamos enfrentando esses desafios com sucesso e mantendo nossa trajetória”, afirma Luca de Meo, membro do Conselho de Administração da Audi para Vendas e Marketing. “Muitos mercados tornaram-se especialmente difíceis, como a Ásia e Europa Oriental. Além disso, estamos preparando o lançamento de novas gerações em modelos e mercados de alto volume. Eles representam cerca de 40 por cento de nossas vendas globais”, destaca.
 
Sucedendo o modelo mais vendido da Audi, o novo A4 será lançado inicialmente na Europa no quarto trimestre deste ano. Na classe dos SUVs full-size, o novo Q7 chegou às concessionárias nos primeiros mercados europeus em junho, antes de estrear com sucesso em outras regiões do mundo. Além disso, a troca de modelos para a nova geração atualizada do A6 ainda está em curso em algumas regiões. Além disso, foi registrado também um avanço expressivo de vendas da família A3, já disponibilizada globalmente, que cresceu 35 por cento, com cerca de 195.350 carros entregues. A demanda pelos utilitários esportivos Q3 (+ 7,5 %, para cerca de 100.950 carros) e Q5 (+ 3,9 %, para aproximadamente 126.200 carros) também continuou a aumentar.
 
 As vendas de SUVs apresentaram um crescimento especialmente forte nos Estados Unidos, onde a linha formada pelos modelos Q3, Q5 e Q7 teve aumento de  28,5 por cento na primeira metade do ano.  Considerando toda a gama da marca, os Estados Unidos alcançaram o maior avanço entre os dez maiores mercados da Audi, com crescimento de 11 por cento e 93.615 veículos entregues. Canadá (+ 19,6 %, para 13.463 carros) e Brasil (+ 39,4 %, para 8.683 carros) também apresentaram crescimento significativo e  contribuíram para fazer do continente americano o motor do crescimento da Audi durante a primeira metade do ano: mais 12,4 por cento, entregues a cerca de 127.100 clientes. A dinâmica caminhada da Audi na região continuou inabalada em junho, com um aumento de 8,3 por cento – atingindo 18.262 entregas – no mercado dos EUA e um crescimento de 42,9 por cento nas vendas na América do Sul, para cerca de 2.350 unidades.
 
Na Europa, as novas gerações do A6 (+ 9,2 %, cerca de 52.400 carros) e A7 (+ 23,9 %, aproximadamente 6.300 unidades) geraram um impulso positivo no primeiro semestre.  O novo TT também expandiu de forma significativa sua base de clientes (+ 78,1 %, em torno de 12.300 carros). Considerando toda a gama de modelos, as entregas da marca dos quatro anéis aumentaram 4,1 por cento na Europa Ocidental, chegando a aproximadamente 394.600 veículos desde o início do ano. Em junho, as vendas na região alcançaram cerca de 67.100 carros entregues, um crescimento de 4,9 por cento.  Entre os maiores mercados da Europa Ocidental, a demanda acumulada cresceu de forma notável na Espanha(+ 10,3 %, para 25.146 carros), Itália (+ 7,9 %, para 28.030 carros) e Alemanha (+ 5,5 %, para 147.763 unidades). Em contraste, a forte reversão do mercado na Rússia continuou durante a primeira metade do ano (queda de 32,3 %, para 12.155 carros).
 
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Mercedes-Benz do Brasil é premiada por iniciativas de diversidade

Seguindo estratégia global da Daimler, Companhia valoriza as diferenças e fortalece a cult…