Inédita e com ambientes imersivos, mostra “Beleza em Movimento – Ícones do Design Italiano” propõe diálogo entre arte e design ao reunir obras de arte, automóveis e objetos assinados por designers consagrados

Há mais de um século, a Itália encanta e provoca o mundo pela originalidade e pela elegância visionária de seu design. Esta ousadia na criação de formas, a busca da perfeição e a adaptação à funcionalidade, com reverberações no presente e inspirações para o futuro, será apresentada ao público de 13 de agosto a 3 de novembro de 2019, em Belo Horizonte, na exposição “Beleza em Movimento – Ícones do Design Italiano na Casa Fiat de Cultura”, que, pela primeira vez, ocupará todas as galerias do espaço. Inédita, a mostra reúne impressionante acervo, composto por mais de 100 peças, entre obras de arte, automóveis, objetos, miniaturas e instalações multimídia. Com curadoria de Peter Fassbender, Head do Design Center LATAM da Fiat Chrysler Automobiles, e colaboração da arquiteta e historiadora italiana Maddalena D’Alfonso, a exposição abordará os contextos cultural e social da Itália no século XX, traçando diálogos entre arte e design. Entre os temas abordados estão o futurismo, a tecnologia, o cinema e o neorrealismo, e o movimento e a beleza que percorrem as formas que se tornam substância do pensamento. A entrada é gratuita.

A narrativa da mostra se desenvolve a partir de cinco importantes ícones do design de automóveis, responsáveis por pautar novas estéticas entre as décadas de 1910 e 1960: casas Bertone, Touring Superleggera, Pininfarina, GFG Style e Zagato – a qual, este ano, celebra seu centenário. O público terá acesso a verdadeiras obras de arte sobre rodas, que emocionam pelas formas perfeitamente esculpidas, fruto da genialidade e dos traços arrojados e precisos das grandes casas de carrozzeria. Fassbender pontua que a Itália criou parâmetros fundamentais à evolução dos carros, além de inspirar, até hoje, o entendimento e a produção de futuros modelos. “A liberdade com que criavam os automóveis permitiu a experimentação de formas ousadas, provocatórias e com um olhar sempre para o horizonte”, ressalta.

A imersão pelo universo do design italiano se dará, também, por meio de obras de arte e objetos. Obra-prima do artista italiano Umberto Boccioni, a escultura Formas Únicas de Continuidade no Espaço, de 1913, contextualiza com propriedade o movimento futurista. Destaque, ainda, aos trabalhos dos artistas Emilio Vedova, Giulio Turcato, Pietro Consagra e Lucio Fontana, assim como às imagens ampliadas que retratam projetos icônicos de Gio Ponti, Cini Boeri, Gae Aulenti e Nanda Vigo, dentre outros designers consagrados.

A tecnologia estará presente não somente nos projetos de design, mas na composição da exposição, que também contará com ambientes imersivos e multimídia. Uma das salas será dedicada ao cinema italiano e apresentará passagens de importantes filmes produzidos entre os anos 1940 a 1970 – em referência à atmosfera artística e de costumes do século XX. Outro ambiente trará cenas memoráveis do automobilismo, ao relembrar duelos vibrantes protagonizados ícones como Alain Prost, Michael Schumacher, Nelson Piquet e Ayrton Senna. Haverá, ainda, espaço voltado ao design de som, dedicado à beleza do ronco dos motores de automóveis clássicos. A memória afetiva e a lembrança da infância também serão despertadas na sala de colecionismo, onde será possível apreciar miniaturas que revelam a evolução das formas dos carros de cada época.

Para o presidente da Casa Fiat de Cultura, Fernão Silveira, a mostra reforça o compromisso da instituição em promover e difundir expressões artísticas e culturais, além de sua vocação à construção de diálogos contemporâneos entre a cultura italiana e brasileira. “Esta exposição nasce com o objetivo de exaltar e homenagear a pluralidade das criações italianas, por meio de uma coletânea de peças icônicas que influenciaram a nossa vida cotidiana e continuam a povoar os nossos maiores sonhos. É uma exposição de muita sensibilidade, à altura da Casa Fiat de Cultura e do que a Fiat representa dentro da indústria automotiva, sempre trabalhando a ousadia, a inovação e o pioneirismo.”

A exposição “Beleza em Movimento – Ícones do Design Italiano na Casa Fiat de Cultura” é uma realização da Casa Fiat de Cultura, da Secretaria Especial da Cultura e do Ministério da Cidadania, com apoio institucional da Embaixada da Itália no Brasil, do Consulado da Itália em Belo Horizonte, do Circuito Liberdade, do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico (Iepha) e do Governo de Minas Gerais. O patrocínio é da Fiat Chrysler Automóveis (FCA), da FCA Fiat Chrysler Participações e do Banco Safra. A mostra conta, ainda, com a parceria do Instituto Cultural Veteran Car MG e apoio do Grupo Sada. A produção executiva é da Expomus.

Desenvolvimento do design

A mostra contará com espaço dedicado ao desenvolvimento do design, que permitirá que o público participe de imersão nos processos de elaboração de carros, da pesquisa à criação de um novo modelo. Em tal ambiente, serão evidenciadas as formas, a aerodinâmica, o processo criativo e a aplicação da tecnologia inovadora nos automóveis. O visitante poderá conhecer melhor o Fiat Fastback, projetado no FCA Design Center Latam, que apresenta a essência do design italiano feito no Brasil; e o Fiat Toro, que também traz, em seu DNA, a singularidade do design italiano, cujas formas, dinâmicas e sensuais, estabelecem novo patamar de picapes, tendo conquistado vários prêmios no Brasil e no exterior.

Colecionismo

Existem, no mundo, milhões de colecionadores de carrinhos em miniatura. Para além da ideia de simples brinquedo, muitas empresas se especializaram na construção precisa de réplicas de automóveis, que respeitam, meticulosamente, detalhes, e, sobretudo, proporções. Em função disso, a exposição contará com sala voltada ao colecionismo, com carros ícones de sua era: Fiat 24CV (1906); “Ferrari” Auto Avio Construzioni 815 (1940); Alfa Romeo Giulia Sprint GTA (1965); Lamborghini Miura SV (1971); Lamborghini Countach (1973); Maserati Levante (2017); DMC Delorean (1980); LaFerrari (2013); Fiat 500 (2008); Alfa Romeo 8C 2300 (1933); Ferrari 250 GTO (1962) e Ferrari F40 (1987). As miniaturas hão de despertar o encantamento e a paixão pelo colecionismo, além de estimular visões sobre a evolução do design de automóveis, de 1906 a 2017.

Casas de Design de Automóveis

A exposição Beleza em Movimento narra a parábola dos cinco principais escritórios de design de automóveis: Bertone (1912), Zagato (1919), Touring Superleggera (1926), Pininfarina (1930) e GFG Style (1960), que ilustram a perfeita união entre forma e tecnologia. A trajetória dessas casas de carrozzeria e suas criações serão apresentadas em linhas do tempo, desde 1910 aos dias atuais.

Carrozzeria Bertone

A pedra fundamental do design italiano de automóveis foi lançada com a criação da Carrozzeria Bertone, em 1912, feita por Giovanni Bertone, em Turim, na Itália. A casa começou com a produção de moldes simples, com veículos de tração animal, para depois se dedicar às formas mais radicais, quando os modelos passaram a ser apresentados nos Salões de Turim. Com vasta quantidade e variedade de modelos, a Bertone, até hoje, influencia o design automobilístico.

O acervo da Bertone na exposição inclui o Alfa Romeo Giulia Sprint Speciale (1964), um dos mais significativos automóveis do pós-guerra, com formas arredondadas, além de beleza, harmonia e elegância impressionantes. Já o Alfa Romeo Montreal (1971), projetado por Marcello Gandini, foi criado para ser exposto como carro-conceito na Feira Mundial de Montreal, em 1967, e, devido ao sucesso que alcançou, foi fabricado entre 1970 e 1976. Assinado por Marcello Gandini, o Lamborghini Miura (1969) é um típico carro esportivo. Cheio de detalhes, como faróis que entram na carroceria, é uma obra-prima do car design mundial.

Carrozzeria Zagato

Mais antiga casa italiana de design automobilístico em atuação, a Zagato completa, em 2019, um século de realizações extraordinárias. Ela lançou uma sequência admirável de modelos até os anos 1930, quando se especializou no estudo e no desenvolvimento de conceitos aerodinâmicos para carrocerias baixas e afiladas, de formas lineares e atraentes. Ao longo dos anos, o estilo Zagato renovou-se diversas vezes, com sofisticação tal que lhe garantiu a execução de exemplares únicos ou de produção limitada de carros de alto luxo para uma clientela restrita. Também criou modelos de grande impacto, com mecânicas de excelência, e reeditou modelos clássicos, como a Ferrari 166 Panoramica, de 1949.

Carrozzeria Touring Superleggera

Felice Bianchi Anderloni criou mais do que uma fábrica. Ele inaugurou uma verdadeira tradição de design sob medida, que, desde 1926, assina alguns dos mais engenhosos carros da história. De 1940 a 1960, marcaram a trajetória do estúdio realizações fascinantes como a Ferrari 166 MM e o Disco Volante. Em 1966, a casa encerrou as atividades, mas, em 2006, uma sociedade ítalo-belga-holandesa adquiriu os direitos da marca.

Atualmente, suas atividades ocorrem em Milão, onde são criados modelos automotivos especiais e personalizados – do planejamento ao estilo e à produção industrial –, para empresas automotivas. Investe-se, também, em design industrial, restauração e reparos de veículos históricos, assim como na homologação para produções em séries limitadas.

Na mostra, a Touring Superleggera será representada pelo Lamborghini 400 GT (1969). O carro tem design muito particular, com detalhes que encantam, como um painel repleto de mostradores. Tinha carroceria toda de alumínio e é conhecido pelo desempenho macio e silencioso. Ele criou a base para futuros Lamborghinis.

Carrozzeria Pininfarina

Devido à originalidade, à elegância e ao equilíbrio das linhas, a casa é considerada, por muitos, como símbolo mundial do designitaliano. Battista Farina, conhecido como “Pinin”, fundou, em maio de 1930, a Società Anonima Carrozzeria Pinin Farina (Sociedade Anônima Carroceria Pinin Farina), em Turim, na Itália. Os carros desenvolvidos pelo jovem talentoso são caracterizados pela sobriedade, pela discrição e pela elegância. Nos últimos 30 anos, a casa manteve a relação com a Ferrari, ao lado da criação sempre prolífica de carros conceito.

Na exposição, a Pininfarina apresentará o Alfa Romeo Giulia Spider (1964), um dos carros mais bonitos de toda a produção italiana. Desenhado por Pininfarina, sua linha seduziu o mundo, por ser um modelo simples, leve e prático; a Ferrari Dino GT 246 (1974), carro foi criado para homenagear Alfredo Ferrari, filho de Enzo Ferrari, e considerado um mito, símbolo de velocidade e potência; e a Ferrari Testarossa (1988), ícone dos anos 1980, automóvel com componentes de grande presença visual.

Carrozzeria GFG Style

Giorgetto Giugiaro, após fundar a Italdesign em 1968, desenhou alguns dos carros mais difundidos no mundo, como o Fiat Panda e o primeiro Golf da Volkswagen. Sua marca registrada é a propensão para formas nítidas e angulares, além da pluralidade e do ecletismo, tendo criado as linhas notáveis de muitos carros grã-turismo, de luxo e alto desempenho. Ele criou o prestigiado Alfa Romeo Alfasud e modelos esportivos icônicos, como a Maserati Bora, além de modelos para produção em grande escala, como o Volkswagen Passat (1973) e o Fiat Uno (1983). Outra célebre criação, eternizada pelo cinema, é o DeLorean DMC-12, usado para viagens no tempo na trilogia “De volta para o futuro”. Em 2015, cede as últimas cotas da Italdesign a Volkswagen e cria a GFG Style.

O acervo da GFG Style na exposição conta com DeLorean (1982), o modelo eternizado pelo cinema. Trata-se de carro esportivo, com forma pura e visual icônico. Destaque, por fim, ao Maserati Ghibli (1971), que, apesar da simplicidade de suas linhas, é considerado um dos mais belos carros Trident esportivos de todos os tempos.

Design da velocidade

O automóvel é um objeto no qual todas as funções e inovações são interdependentes e interdisciplinares, visando à beleza e ao desempenho. Porém, quando se fala em corridas, há outro objetivo: a vitória. Na história das competições, grandes nomes do automobilismo protagonizaram momentos inesquecíveis. Aliada ao alto desempenho dos carros, a técnica desses profissionais deu origem a verdadeiros espetáculos de celebração da aerodinâmica, do design e da velocidade, que poderão ser revistos durante a exposição. São eles:

– 1982, San Marino Imola: Gilles Villeneuve e Didier Pironi.
– 1986, GP Ungaro: Ayrton Senna e Nelson Piquet.
– 1987, GP Espanha: Gerhard Berger, Alain Prost e Michele Alboreto.
– 1987, GP Inglaterra: Nigel Mansell e Nelson Piquet.
– 1988, França GP: Ayrton Senna e Alain Prost.
– 1992, Monaco: Nigel Mansell e Ayrton Senna.
– 2000, Belgian GP: Mika Hakkinen e Michael Schumacher.
– 2007, GP Europa: Fernando Aloson e Felipe Massa.
– 2008, Brasilien Interlagos: Felipe Massa.
– 2010, Ungarian GP: Rubens Barrichello e Michael Schumacher.

Ronco dos motores

O som produzido pelos motores é uma das características mais marcantes nos automóveis. Para os apaixonados por carros, a sonoridade das máquinas soa como música, e é cuidadosamente projetada para provocar sensações únicas. A exposição permitirá ao visitante ter uma experiência sensorial na qual será possível sentir a beleza do ronco dos motores. Para isso, uma instalação multimídia reproduzirá os sons das Ferrari 355, F40, F12tdf, 360 Challenge Stradale, e F50; e das Alfa Romeo 8C, 155 V6, 4C, Montreal V8 e Tipo 33 Stradale.

SERVIÇO

Exposição “Beleza em Movimento – Ícones do Design Italiano na Casa Fiat de Cultura”
De 13 de agosto a 3 de novembro de 2019
Curadoria: Peter Fassbender e Maddalena D’Alfonso
Terça a sexta, das 10h às 21h; sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h
Entrada gratuita

Casa Fiat de Cultura

Circuito Liberdade
Praça da Liberdade, 10 – Belo Horizonte
Horário de funcionamento: terça a sexta, das 10h às 21h; sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h

Informações

(31) 3289-8900
www.casafiatdecultura.com.br
casafiat@fcagroup.com
Facebook: @casafiatdecultura
Instagram:@casafiatdecultura
Twitter: @casafiat
www.circuitoculturalliberdade.com.br

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias

Veja também

Vendas financiadas de veículos crescem 20% em julho na comparação com 2018

Alta – registrada nas vendas a crédito de autos leves, motos e pesados – foi mais acentuad…