BMW Group Brasil tomou diversas medidas extras de saúde e segurança antes de voltar com a produção no Brasil

Atenção aos detalhes que fazem a diferença. A mesma dedicação por fabricar veículos vale para as regras de saúde e segurança no BMW Group. Nas fábricas de Araquari, em Santa Catarina e Manaus, no Amazonas, os colaboradores e parceiros se adaptaram para uma nova rotina com diversos novos procedimentos adotados pela empresa. Todas as ações do BMW Group para enfrentar o COVID-19 seguem recomendações da Organização Mundial de Saúde, do Ministério da Saúde, do BMW Group na Alemanha e da equipe médica local. Após um planejamento e implementações iniciais, a retomada da produção trouxe também novas ideias dos colaboradores, que aliam capacidade inventiva com praticidade e tecnologia.

As soluções apresentadas foram incorporadas e valorizam também a individualidade e a grande diversidade dos colaboradores. Um exemplo é o novo acessório das máscaras faciais, o extensor, que traz maior comodidade para o uso das máscaras de proteção em todas as situações. Feitas internamente em impressora 3D, a solução resolve a questão do tamanho padrão que nem sempre funciona para os diferentes tipos e tamanhos de rostos e cabeças. Outro fator levado em conta na hora de criar o extensor é o conforto. Com ele, as orelhas ganham uma folga, já que as máscaras se tornaram um EPI obrigatório e não podem sair do rosto dentro da empresa e no deslocamento de ida e volta do trabalho.


As ferramentas, a impressora 3D e o filamento plástico, já são usados para a construção de dispositivos usados na produção regular de veículos. Os times do BMW Group em Araquari e Manaus utilizaram um programa de código aberto disponibilizado na internet. Então trabalhou o projeto até o formato desejado e começaram a produção em série. Todos os colaboradores que estão atuando na fábrica receberão os seus, inclusive os colaboradores terceirizados. A novidade será também compartilhada com as outras unidades do BMW Group Brasil, em São Paulo.

Outra peça produzida na impressora 3D e distribuída é a chave de segurança. Elas devem ser usadas para que os colaboradores não toquem em superfícies de acesso comum como maçanetas nos banheiros da empresa. Mesmo com uso do item, todos são orientados a manter a higiene das mãos – e até das chaves de segurança – em dia com o uso do álcool 70%.


Os colaboradores da fábrica de Manaus também estão contribuindo com ideias para aumentar a segurança. Na lista de ideias mais simples, e que podem ser colocadas em prática por todos – inclusive em casa – estão as etiquetas de identificação de pacotes com máscaras limpas e usadas. Como cada colaborador recebeu, no retorno ao trabalho, um kit com máscaras numeradas e a orientação de trocá-las regularmente de acordo com as recomendações da Organização Mundial de Saúde, é fácil se confundir com o que está higienizado ou não. Além da implantação na operação Manauara, a iniciativa já foi distribuída para quem vai diariamente à fábrica em Araquari.

A constante higienização das mãos é uma das preocupações da equipe de Saúde e Segurança da fábrica. Para que todos os colaboradores possam manter as mãos sempre limpas, além do clássico sabão e água, todos receberam, no retorno ao trabalho, tubos de álcool em gel. Eles podem ser reabastecidos sempre que o produto acabar. Além disso, a fábrica de Araquari já produz internamente no laboratório da Pintura um produto sanitizante que tem a mesma finalidade.

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

IMSA: Derani vai em busca de mais um pódio neste domingo em Mid-Ohio

Brasileiro destaca características difíceis do traçado, mas segue confiante e embalado, ap…