Realidade aumentada economiza até um ano na validação de novos modelos

O BMW Group está usando uma nova ferramenta de realidade aumentada (RA) no desenvolvimento de novos conceitos e protótipos, acelerando o processo de criação em até doze meses. Os óculos de realidade aumentada permitem que geometrias reais – na carroceria de um veículo, por exemplo – sejam sobrepostas a modelos 3D holográficos em escala, de modo que uma variedade de conceitos e processos de montagem para novos veículos possam ser avaliados de maneira flexível e econômica.

Michael Schneider, Head de Veículos Completos na Planta-piloto, afirma: “Os óculos de realidade aumentada e os desenhos assistidos por computador (CAD) nos permitem descobrir muito mais rapidamente se o colaborador na linha de produção será capaz de ajustar o componente adequadamente, quando chegar o momento da produção em série. Deste modo, precisamos de muito menos testes”. Christoph Leibetseder, Head de Digitalização, Protótipos e Novas Tecnologias, acrescenta: “Outra vantagem importante é que isso nos economiza tempo e recursos quando integramos novos veículos à produção”.

Conceitos visualizados em 3D

Os veículos e seus componentes são visualizados em uma plataforma vinculada ao sistema de gerenciamento de dados de produtos do BMW Group. Os arquivos CAD dos respectivos componentes são transferidos do banco de dados para os óculos de realidade aumentada, para que então os especialistas da BMW possam utilizá-los para reproduzir dados em 3D em seu tamanho original e em um ambiente realista. O aplicativo é controlado manualmente, permitindo a interação direta com os componentes virtuais.

Por intermédio do aplicativo, um simples movimento da mão é suficiente para modificar não apenas o tamanho, mas também a posição e o ângulo dos componentes. Além disso, seções transversais podem ser criadas para fornecer uma visão das estruturas internas do veículo. Outra vantagem é o trabalho colaborativo: pessoas em diferentes locais ao redor do mundo agora podem empregar o modo multiusuário para formar equipes e revisar projetos e conceitos juntos e identificar eventuais erros.

Colaboração com startup e organização de pesquisa

Como parte desse projeto, o BMW Group está trabalhando com uma startup com sede em Munique e uma organização de pesquisa. O trabalho de desenvolvimento e teste-piloto do primeiro aplicativo de realidade aumentada começou há um ano na Planta-piloto de veículos do BMW Group em Munique. O desenvolvimento de pesquisa e da metodologia concentra-se em visualizações baseadas em nuvem e reconhecimento de objetos inteligentes.

Centro de Competência do BMW Group

A Planta-piloto do BMW Group está localizada no Centro de Pesquisa e Inovação em Munique, com três outras instalações associadas ao norte da cidade, em Hallbergmoos, Oberschleissheim e Garching. Compreende uma área total de 100 mil m2 e abriga 850 colaboradores, que atuam em até seis projetos simultaneamente. Assim como as plantas em série, a Planta-piloto pode desenvolver tanto protótipos elétricos quanto movidos a combustão. Como interface entre o desenvolvimento e a produção, a Planta-piloto permite que produtos e processos de montagem sejam refinados até a transferência para as fábricas regulares onde são aplicados na produção em série. A Planta-piloto compreende uma oficina, bem como unidades de montagem, protótipo e construção de carros-conceito, além do Centro de Fabricação de Aditivos e um Centro de Excelência para impressão 3D.

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Ônibus VW moderniza frota argentina de transporte público

Como motorização MAN D08, esses dois Volksbus têm sistema EGR de tratamento de emissões, d…