A frota circulante de veículos brasileira já ultrapassa 40 milhões de unidades (automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus), segundo levantamento do Sindipeças – Sindicato Nacional dos Fabricantes de Componentes para Veículos Automotores. Deste total, 45% possuem entre 5 e 15 anos de idade, ou seja, 18 milhões de unidade. São veículos que necessitam de manutenção devido ao desgaste de componentes com o uso. A manutenção preventiva, conforme prevê o manual do fabricante do veículo, é a melhor forma de garantir que o automóvel ou caminhão trafegue em boas condições, além de evitar quebras inesperadas que causam, muito transtorno ao motoristas.
 
Na Semana Nacional do Trânsito, que acontece de 18 a 25 de setembro, o programa Carro 100% / Caminhão 100% / Moto 100%, que visa conscientizar o motorista sobre a importância da manutenção preventiva, destaca alguns cuidados importantes que o motorista pode ter fazendo um check-up visual.
 
– Nível do óleo e não ultrapassar o limite de quilometragem estipulado para a troca do produto.
– Nível do líquido de arrefecimento e repor caso o nível esteja abaixo do mínimo, sempre respeitando a mistura de líquido de arrefecimento e água.
– A pressão dos pneus também deve estar no limite determinado pelo manual do fabricante para garantir a estabilidade do veículo e evitar excesso de consumo do combustível.
– O filtro de ar é um componente que merece atenção, pois funciona como um filtro, impedindo que as impurezas sejam depositadas no motor. Com o uso, a peça fica saturada e deve ser substituída por uma nova, seguindo as características indicadas no manual.
– Luzes de sinalização também devem estar funcionando, pois são instrumentos de segurança.
– Borrachas e mangueiras ressecam e, ao identificar sinais de desgaste, é melhor fazer a substituição para evitar vazamentos e até problemas mais sérios que podem afetar o motor.
– Palhetas do parabrisa também ressecam e podem arranhar o vidro, sem falar que podem atrapalhar a visibilidade.
– Barulhos no motor e trepidação na suspensão podem significar algo que não está bom e é melhor leva o veículo em uma oficina de confiança para uma revisão mais minuciosa.
– Reservatório do limpador.
– Em veículos flex, verificar se há gasolina no reservatório para partida a frio.
 
Tomando esses cuidados e fazendo revisões periódicas em uma oficina de confiança, o motorista mantém o veículo em boas condições de uso, evitando quebras repentinas, consumo exagerado de combustível, além de garantir segurança no trânsito e reduzir emissão de poluentes.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

 

 
A frota circulante de veículos brasileira já ultrapassa 40 milhões de unidades (automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus), segundo levantamento do Sindipeças – Sindicato Nacional dos Fabricantes de Componentes para Veículos Automotores. Deste total, 45% possuem entre 5 e 15 anos de idade, ou seja, 18 milhões de unidade. São veículos que necessitam de manutenção devido ao desgaste de componentes com o uso. A manutenção preventiva, conforme prevê o manual do fabricante do veículo, é a melhor forma de garantir que o automóvel ou caminhão trafegue em boas condições, além de evitar quebras inesperadas que causam, muito transtorno ao motoristas.
 
Na Semana Nacional do Trânsito, que acontece de 18 a 25 de setembro, o programa Carro 100% / Caminhão 100% / Moto 100%, que visa conscientizar o motorista sobre a importância da manutenção preventiva, destaca alguns cuidados importantes que o motorista pode ter fazendo um check-up visual.
 
– Nível do óleo e não ultrapassar o limite de quilometragem estipulado para a troca do produto.
– Nível do líquido de arrefecimento e repor caso o nível esteja abaixo do mínimo, sempre respeitando a mistura de líquido de arrefecimento e água.
– A pressão dos pneus também deve estar no limite determinado pelo manual do fabricante para garantir a estabilidade do veículo e evitar excesso de consumo do combustível.
– O filtro de ar é um componente que merece atenção, pois funciona como um filtro, impedindo que as impurezas sejam depositadas no motor. Com o uso, a peça fica saturada e deve ser substituída por uma nova, seguindo as características indicadas no manual.
– Luzes de sinalização também devem estar funcionando, pois são instrumentos de segurança.
– Borrachas e mangueiras ressecam e, ao identificar sinais de desgaste, é melhor fazer a substituição para evitar vazamentos e até problemas mais sérios que podem afetar o motor.
– Palhetas do parabrisa também ressecam e podem arranhar o vidro, sem falar que podem atrapalhar a visibilidade.
– Barulhos no motor e trepidação na suspensão podem significar algo que não está bom e é melhor leva o veículo em uma oficina de confiança para uma revisão mais minuciosa.
– Reservatório do limpador.
– Em veículos flex, verificar se há gasolina no reservatório para partida a frio.
 
Tomando esses cuidados e fazendo revisões periódicas em uma oficina de confiança, o motorista mantém o veículo em boas condições de uso, evitando quebras repentinas, consumo exagerado de combustível, além de garantir segurança no trânsito e reduzir emissão de poluentes.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Porsche atinge recorde de veículos entregues em um mesmo ano no Brasil

A Porsche entregou 2.130 automóveis no mercado brasileiro nos primeiros nove meses de 2020…