Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.
A Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados rejeitou proposta que permite ao condutor de transporte escolar cometer infração grave ou gravíssima nos 12 meses anteriores à renovação da licença para transportar escolares. Atualmente, o Código de Trânsito Brasileiro (Lei 9.503/97) estabelece que tais condutores não podem cometer nenhuma infração grave ou gravíssima nem ser reincidente em infrações médias.
Por tramitar em caráter conclusivo e ter sido rejeitada pela única comissão de mérito que a analisou, a matéria será arquivada, a menos que haja recurso contra a decisão.
O Projeto de Lei 8000/17, do deputado Marco Tebaldi (PSDB-SC), prevê que os condutores de escolares não podem ser reincidentes nas infrações graves ou gravíssimas, nem cometer duas infrações médias. O objetivo é facilitar a habilitação ou a renovação da licença para conduzir escolares, muitas vezes inviabilizada pelo acúmulo de pontos de infração.
Apesar da justificativa, o relator na comissão, deputado Alexandre Valle (PP-RJ), recomendou a rejeição da matéria. Valle disse entender a preocupação do autor em proteger o emprego de tais condutores, mas argumentou que o assunto é delicado.
“O abrandamento da penalidade poderá levar o motorista de escolar ao cometimento de mais infrações de trânsito, concorrendo para o aumento dos acidentes, com as suas irreparáveis consequências: as sequelas físicas e emocionais e a perda de vidas humanas”, avaliou o relator.
Fonte: Agência Câmara Notícias
Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

PRF inicia Operação Proclamação da República 2018

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.Com foco na diminuição de acident…