Absorver os impactos do veículo com o solo e manter os pneus em contato com o chão, garantindo a estabilidade do veículo e proporcionar conforto aos ocupantes. Essas são as principais funções do sistema de suspensão dos automóveis. Como ficam “escondidos”, os itens que o compõem acabam sendo esquecidos pelos condutores, gerando um desgaste maior das peças e comprometendo a dirigibilidade do carro.
Segundo Fábio Facca, gerente nacional de vendas varejo da Campneus, maior revendedora Pirelli, o correto é realizar manutenção da suspensão a cada 10.000 km ou quando ouvir ruídos anormais vindo da suspensão, falta de estabilidade e desgastes irregulares nos pneus.
Com isso, o executivo listou cinco hábitos que são os principais inimigos e diminuem a vida útil do sistema de suspensão do automóvel e, consequentemente, geram prejuízos para o motorista:
 
1. Transpor buracos e obstáculos (lombadas e valetas) com velocidade acima do recomendado. Isso pode gerar danos imediatos nos componentes;
 
2. Não fazer revisões periódicas nos componentes da suspensão. No decorrer da utilização do veículo os componentes da suspensão sofrem desgastes naturais provocados por impacto;
 
3. Deixar de substituir componentes danificados da suspensão. “Essa atitude pode provocar danos nos demais itens, além de afetar a estabilidade e o desgaste dos pneus”, afirma Facca;
 
4. Andar com o veículo com excesso de peso acima de sua capacidade. Diminui a vida útil dos componentes da suspensão.
 
5. Transitar com o veículo em estradas com piso irregular com frequência. “Os impactos constantes desgastam e exigem mais das suspensões” finaliza Facca.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados
Absorver os impactos do veículo com o solo e manter os pneus em contato com o chão, garantindo a estabilidade do veículo e proporcionar conforto aos ocupantes. Essas são as principais funções do sistema de suspensão dos automóveis. Como ficam “escondidos”, os itens que o compõem acabam sendo esquecidos pelos condutores, gerando um desgaste maior das peças e comprometendo a dirigibilidade do carro.
Segundo Fábio Facca, gerente nacional de vendas varejo da Campneus, maior revendedora Pirelli, o correto é realizar manutenção da suspensão a cada 10.000 km ou quando ouvir ruídos anormais vindo da suspensão, falta de estabilidade e desgastes irregulares nos pneus.
Com isso, o executivo listou cinco hábitos que são os principais inimigos e diminuem a vida útil do sistema de suspensão do automóvel e, consequentemente, geram prejuízos para o motorista:
1. Transpor buracos e obstáculos (lombadas e valetas) com velocidade acima do recomendado. Isso pode gerar danos imediatos nos componentes;
2. Não fazer revisões periódicas nos componentes da suspensão. No decorrer da utilização do veículo os componentes da suspensão sofrem desgastes naturais provocados por impacto;
3. Deixar de substituir componentes danificados da suspensão. “Essa atitude pode provocar danos nos demais itens, além de afetar a estabilidade e o desgaste dos pneus”, afirma Facca;
4. Andar com o veículo com excesso de peso acima de sua capacidade. Diminui a vida útil dos componentes da suspensão.
5. Transitar com o veículo em estradas com piso irregular com frequência. “Os impactos constantes desgastam e exigem mais das suspensões” finaliza Facca.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Porsche Macan S é lançado com novo motor V6 turbo

O volante esportivo GT que foi lançado no 911 enriquece o design interior esportivo do Mac…