Disponível no mercado brasileiro em carroceria de duas ou quatro portas, o Volkswagen up! é o primeiro automóvel de entrada feito no País a obter cinco estrelas no Latin NCAP, organização que avalia a segurança dos veículos. O modelo obteve a melhor qualificação possível tanto na proteção para adultos quanto na para crianças – cinco e quatro estrelas, respectivamente.
 
Para tornar o up! tão seguro foram aplicados modernos recursos técnicos de construção e cálculos avançados para detecção de acidentes, resultando na melhor e mais avançada carroceria produzida no Brasil. Toda a estrutura da carroceria foi desenvolvida para absorver a energia do impacto – cada parte da carroceira tem de ter determinado valor de resistência e rigidez.
 
O up! tem 75% de seu peso composto por aços especiais, que possuem diferentes graus de resistência, conforme a necessidade – trata-se da aplicação do material correto no local certo.
 
\"\"
 
Em sua estrutura combinam-se aços de ultra-alta resistência (Rm > 690 MPa), alta resistência (Rm > 410 MPa), média resistência (Rm > 300 MPa) e de estampagem profunda (Rm > 260 MPa). Reforços adicionais, na parte superior da porta, por exemplo, aumentam a segurança passiva – especialmente no caso de acidentes graves.
 
O up! também utiliza 7,8% de aços conformados a quente, que possuem ainda maior resistência (Rm > 1300 MPa) e que permitiram a redução de 14 kg no peso da estrutura do carro. O up! é o primeiro veículo de seu segmento no Brasil a utilizar esse material. Exemplo de estrutura leve com alta resistência, o up! tem peso em ordem de marcha de apenas 892 kg na versão take up! de duas portas.
 
O modelo também define novos padrões em sua classe com rigidez torcional estática de 17.800 Nm/°. Alta rigidez torcional tem um efeito positivo definido no conforto e na dirigibilidade do carro. Em paralelo, a rigidez dinâmica do up! é também excelente, em 48 Hz – e isso traz benefícios em acústica, vibrações e conforto de rodagem.
 
Detecção de impactos
 
Para atingir esse bom desempenho, todos os componentes presentes precisam atuar de maneira controlada e harmônica para administrar da melhor forma possível a sequência de eventos críticos inerentes ao impacto. Além de sincronizados, os sistemas de segurança passiva devem atuar muito rápido. Em média, precisam de 0,1 segundo para atuar e desempenhar o seu papel de proteger os ocupantes – mesmo tempo de um piscar de olhos.
 
Um sistema se responsabiliza por identificar a presença e a criticidade de um impacto, assim como por enviar o sinal de disparo dos sistemas de retenção (airbags e pré-tensionadores). Composto por sensores e uma unidade controladora, os dispositivos de detecção coletam os sinais gerados pelo impacto e os envia à unidade de controle que processa esses sinais. Depois de identificado o nível de gravidade do evento, ela decida por enviar ou não o sinal para o sistema de retenção para que este atue.
 
\"\"
 
A disposição e o tipo de sensores a ser utilizados dependem do carro e de suas características. No up!, foi necessária a presença de um sensor de aceleração frontal, além do sensor da unidade controladora. Essa foi uma exigência gerada pelas características dimensionais e de construção do veículo – balanço dianteiro reduzido e estrutura rígida que gera um pulso de desaceleração mais alto.
 
Para que a unidade controladora decida se o sistema de retenção deve ser acionado ou não, foi desenvolvido um algoritmo que identifica a gravidade do evento e aplica algumas regras para que o tempo de disparo seja definido. A mais comum é a que determina o tempo de enchimento das bolsas infláveis e o tempo que a cabeça do ocupante leva para atingir uma delas. Esse tempo é determinado para cada um dos tipos de impacto e, a partir deles, o algoritmo é construído. No up!, esse tempo fica abaixo de 0,03 segundo para os impactos de grande severidade, proporcionando maior eficiência do sistema de retenção. No decorrer desse exíguo intervalo de tempo, o sinal é coletado, processado e a ordem de disparo é enviada.

Alertas de cinto de segurança desatado
 
Os cintos de segurança devem ser utilizados durante 100% do trajeto do veículo. Nesse sentido, o up! conta com um sistema que detecta se motorista e passageiro dianteiro os estão utilizando. Caso não estejam, um aviso visual e outro sonoro são emitidos.
Airbags
 
As bolsas de ar (airbags) têm a função de amortecer o impacto dos ocupantes contra o interior do veículo, minimizando a gravidade das lesões ocasionadas por um acidente. O up! vem com duas bolsas de ar frontais, sendo que a do motorista tem 60 litros e a do passageiro, 90 litros. Elas foram dimensionadas de maneira a proporcionar maior abrangência e proteção aos ocupantes dos bancos dianteiros em um impacto.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

 

 
Disponível no mercado brasileiro em carroceria de duas ou quatro portas, o Volkswagen up! é o primeiro automóvel de entrada feito no País a obter cinco estrelas no Latin NCAP, organização que avalia a segurança dos veículos. O modelo obteve a melhor qualificação possível tanto na proteção para adultos quanto na para crianças – cinco e quatro estrelas, respectivamente.
 
Para tornar o up! tão seguro foram aplicados modernos recursos técnicos de construção e cálculos avançados para detecção de acidentes, resultando na melhor e mais avançada carroceria produzida no Brasil. Toda a estrutura da carroceria foi desenvolvida para absorver a energia do impacto – cada parte da carroceira tem de ter determinado valor de resistência e rigidez.
 
O up! tem 75% de seu peso composto por aços especiais, que possuem diferentes graus de resistência, conforme a necessidade – trata-se da aplicação do material correto no local certo.
 
\"\"
 
Em sua estrutura combinam-se aços de ultra-alta resistência (Rm > 690 MPa), alta resistência (Rm > 410 MPa), média resistência (Rm > 300 MPa) e de estampagem profunda (Rm > 260 MPa). Reforços adicionais, na parte superior da porta, por exemplo, aumentam a segurança passiva – especialmente no caso de acidentes graves.
 
O up! também utiliza 7,8% de aços conformados a quente, que possuem ainda maior resistência (Rm > 1300 MPa) e que permitiram a redução de 14 kg no peso da estrutura do carro. O up! é o primeiro veículo de seu segmento no Brasil a utilizar esse material. Exemplo de estrutura leve com alta resistência, o up! tem peso em ordem de marcha de apenas 892 kg na versão take up! de duas portas.
 
O modelo também define novos padrões em sua classe com rigidez torcional estática de 17.800 Nm/°. Alta rigidez torcional tem um efeito positivo definido no conforto e na dirigibilidade do carro. Em paralelo, a rigidez dinâmica do up! é também excelente, em 48 Hz – e isso traz benefícios em acústica, vibrações e conforto de rodagem.
 
Detecção de impactos
 
Para atingir esse bom desempenho, todos os componentes presentes precisam atuar de maneira controlada e harmônica para administrar da melhor forma possível a sequência de eventos críticos inerentes ao impacto. Além de sincronizados, os sistemas de segurança passiva devem atuar muito rápido. Em média, precisam de 0,1 segundo para atuar e desempenhar o seu papel de proteger os ocupantes – mesmo tempo de um piscar de olhos.
 
Um sistema se responsabiliza por identificar a presença e a criticidade de um impacto, assim como por enviar o sinal de disparo dos sistemas de retenção (airbags e pré-tensionadores). Composto por sensores e uma unidade controladora, os dispositivos de detecção coletam os sinais gerados pelo impacto e os envia à unidade de controle que processa esses sinais. Depois de identificado o nível de gravidade do evento, ela decida por enviar ou não o sinal para o sistema de retenção para que este atue.
 
\"\"
 
A disposição e o tipo de sensores a ser utilizados dependem do carro e de suas características. No up!, foi necessária a presença de um sensor de aceleração frontal, além do sensor da unidade controladora. Essa foi uma exigência gerada pelas características dimensionais e de construção do veículo – balanço dianteiro reduzido e estrutura rígida que gera um pulso de desaceleração mais alto.
 
Para que a unidade controladora decida se o sistema de retenção deve ser acionado ou não, foi desenvolvido um algoritmo que identifica a gravidade do evento e aplica algumas regras para que o tempo de disparo seja definido. A mais comum é a que determina o tempo de enchimento das bolsas infláveis e o tempo que a cabeça do ocupante leva para atingir uma delas. Esse tempo é determinado para cada um dos tipos de impacto e, a partir deles, o algoritmo é construído. No up!, esse tempo fica abaixo de 0,03 segundo para os impactos de grande severidade, proporcionando maior eficiência do sistema de retenção. No decorrer desse exíguo intervalo de tempo, o sinal é coletado, processado e a ordem de disparo é enviada.

Alertas de cinto de segurança desatado
 
Os cintos de segurança devem ser utilizados durante 100% do trajeto do veículo. Nesse sentido, o up! conta com um sistema que detecta se motorista e passageiro dianteiro os estão utilizando. Caso não estejam, um aviso visual e outro sonoro são emitidos.
Airbags
 
As bolsas de ar (airbags) têm a função de amortecer o impacto dos ocupantes contra o interior do veículo, minimizando a gravidade das lesões ocasionadas por um acidente. O up! vem com duas bolsas de ar frontais, sendo que a do motorista tem 60 litros e a do passageiro, 90 litros. Elas foram dimensionadas de maneira a proporcionar maior abrangência e proteção aos ocupantes dos bancos dianteiros em um impacto.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Mercedes-Benz do Brasil é premiada por iniciativas de diversidade

Seguindo estratégia global da Daimler, Companhia valoriza as diferenças e fortalece a cult…