A Comissão de Defesa do Consumidor aprovou projeto que obriga as empresas de transporte coletivo urbano a divulgarem, por meio de cartazes nos veículos, os itens que compõem o preço da passagem. 
O projeto recebeu parecer favorável do deputado Chico Lopes (PCdoB-CE). Ele optou por recomendar a aprovação do substitutivo acolhido pela Comissão de Viação e Transportes, que analisou o texto no ano passado. A nova versão abrange o PL 6151/13 e dois apensados (PLs 8166/14 e 845/15) que também tratam da divulgação da composição tarifária.
O substitutivo acrescenta um dispositivo ao projeto para determinar que a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), que fiscaliza as concessões das linhas de ônibus interestadual, manterá disponível, para os usuários, informação sobre a composição tarifária dos serviços do transporte rodoviário interestadual.

Punição
O projeto altera a Política Nacional de Mobilidade Urbana (Lei 12.587/12) e a lei que criou a ANTT (Lei 10.233/01).
A versão aprovada determina ainda que a empresa de transporte coletivo urbano que não divulgar a composição tarifária poderá ser punida com base no Código de Defesa do Consumidor (Lei 8.078/90), que inclui medidas como cassação de alvará de licença, de interdição e de suspensão temporária da atividade, bem como a de intervenção administrativa.
O deputado Chico Lopes elogiou o texto de Sandro Mabel. Para ele, a proposta dará mais transparência sobre os custos que compõem as tarifas de ônibus. “Cientes da composição da tarifa, será mais fácil a compreensão da origem de eventuais aumentos, se decorrem, por exemplo, de novos direitos trabalhistas, de novos impostos ou de novas gratuidades concedidas”, disse.
Fonte: Agência Câmara Notícias
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Ford Fund doa 9.000 máscaras para comunidades de São Paulo em projeto que gera renda para costureiras

Em parceira com a Aldeias Infantis SOS Brasil, a iniciativa faz parte do projeto Costura S…