Devido ao aumento de roubo e furto, os proprietários de automóveis e motocicletas estão em busca de diversas alternativas de segurança para dificultar a ação dos criminosos. Segundo a Susep (Superintendência de Seguros Privados), no primeiro semestre de 2014, mais de 79 mil veículos foram alvo desses crimes, alta de 7% em relação ao mesmo período de 2013.
Para prevenir ou ao menos minimizar as ocorrências, Alexandre Jordão, gerente de Aftermarket da Pósitron, empresa líder em segurança automotiva, elenca dicas que dificultam a ação dos criminosos.
Comportamento
Para o especialista, a primeira mudança é comportamental. Estar sempre atento e alternar os trajetos rotineiros são medidas que podem evitar situações de risco. “Apesar de o caminho mais curto economizar combustível e tempo do motociclista, fazer a mesma rota todos os dias facilita o trabalho dos bandidos, já que permite estudar a melhor ocasião para agir.”
Segundo Jordão, estar alerta também é fundamental, tanto na condução quanto para evitar assaltos em semáforos e ao subir e descer da motocicleta. “O importante é não se mostrar surpreso, perdido ou despreparado no caso de uma aproximação. É aconselhável prestar atenção na hora de ligar e desligar a moto, assim como travá-la e destravá-la.”
O estudante Rafael Sanção é proprietário de uma Harley-Davidson que possui alarme de fábrica. No entanto, ele acredita que determinados cuidados são tão ou ainda mais importantes que o dispositivo. “Sempre paro a moto em estacionamento. Para mim, o maior perigo é à noite, quando volto da faculdade. É essencial ficar atento aos retrovisores, principalmente quando o farol está fechado.”
Alarmes
O mercado brasileiro conta com uma gama extensa de alarmes. São vários os tipos disponíveis, que se enquadram às necessidades e bolso de diversos consumidores.
“O motorista deve, em primeiro lugar, entender as diferenças e vantagens dos equipamentos, para aproveitar ao máximo os benefícios e funcionalidades de cada um”, afirma o especialista da Pósitron.
As principais tecnologias destes aparelhos são:
•Controle de presença que bloqueia o motor de partida e a bomba de combustível quando afastado da moto;
•Sensor de movimento com acelerômetro 3D, que dispara a sirene em casos de movimentação nas três dimensões: nos lados, em cima e embaixo, mesmo com a ignição desligada; e
•Botão secreto, que ativa o alarme caso não seja pressionado antes do descanso lateral ser levantado ou da ignição ser acionada.
Michel Martins, professor de Educação Física, utiliza sua motocicleta Honda Twister para trabalhar, e muitas vezes a estaciona na rua. Ele optou por um alarme com controle de presença e bloqueio da bomba de combustível. “Quando fui comprar o dispositivo, os técnicos da autoelétrica me recomendaram uma proteção adequada ao meu dia a dia. Nunca estive em uma situação de roubo, mas o equipamento me deixa bem mais tranquilo.”
Travas e correntes
Mais antigas e disseminadas, as correntes têm baixo custo e são eficazes na prevenção contra furtos. Algumas proteções trazem um revestimento plástico, que evita que o metal enferruje ou risque a moto. “Outra opção é a trava. Além de ser menor, é mais difícil de ser violada. Geralmente, é instalada no pneu traseiro, impedindo o movimento da roda”, conclui Jordão.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Suzuki Jimny vem com novidades na linha 2022

Disponível em quatro versões, SUV traz atualizações estéticas e mantém o mesmo DNA 4×…