Uma resolução do Contran (Conselho Nacional de Trânsito) determina que, a partir de 1º de janeiro de 2016, pelo menos 10% da produção nacional ou da importação de motocicletas, motonetas, triciclos e quadriciclos deverão contar com sistema antitravamento das rodas, o freio ABS, ou com sistema de frenagem combinada das rodas, o CBS.
 
Em 2017 a obrigatoriedade se aplicará a 30%; em 2018 a 60%; e em 2019 todos os veículos novos deverão ter um dos sistemas instalados na fábrica. 
 
O objetivo, segundo o Contran, é aperfeiçoar e atualizar os requisitos de segurança para esses veículos. De acordo com o órgão, o ABS e o CBS melhoram o controle das motos durante a frenagem. A resolução prevê que é opcional a utilização simultânea dos dois sistemas. 
 
As motos com cilindradas igual ou superior a 300 cc, ou com potência igual ou superior a 22 kW, no caso dos elétricos, deverão ter ABS em todas as rodas. Conforme o texto da resolução, o ABS é composto por uma unidade de comando eletrônico e sensores de velocidade das rodas, que tem por finalidade evitar o travamento das rodas durante a frenagem.
 
Já o CBS distribui proporcionalmente a força de frenagem para as rodas, garantindo a desaceleração rápida e segura.
 
As novas regras não se aplicam a veículos militares, aos de uso exclusivo fora da estrada, aos elétricos com potência de até 4 kW que não ultrapassem velocidade de 50 km/h e veículos de fabricação artesanal. 
 
Fonte: Agência CNT de Notícias
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Ford Fund doa 9.000 máscaras para comunidades de São Paulo em projeto que gera renda para costureiras

Em parceira com a Aldeias Infantis SOS Brasil, a iniciativa faz parte do projeto Costura S…