Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.
Férias de fim de ano, Natal e Ano Novo. Hora de pôr o carro na estrada e curtir o verão na praia ou no campo, com a família ou amigos. É a hora também de checar se está tudo em ordem com o veículo que tornará possível todo esse lazer e, para não transformar as férias em dor de cabeça, Homero Citro, Gerente Geral da Volkswagen Carrera, recomenda fazer uma revisão completa antes de o motorista sair de casa.
Nas três unidades do Grupo Carrera, localizadas em Santos, Alphaville e Osasco, os consumidores podem contar com o programa de revisão, que oferece serviços como de troca de óleo, filtros (óleo, combustível e ar) e jogo de velas, além da verificação de 60 itens de parte mecânica, elétrica e tapeçaria.
A seguir, confira algumas verificações que podem ser feitas em casa, pelo próprio motorista.
Motor – Verificar o nível do óleo do motor é tarefa bastante simples, de acordo com o Citro, ao explicar que o nível correto é entre as duas marcas da vareta de medição. “Não há necessidade de ‘encher’ o reservatório se o nível de óleo estiver entre as marcas”, avisa. “É normal o nível baixar um pouco à medida que se roda com o veículo. Muitos frentistas dizem que o nível está baixo e alguns insistem em completá-lo, mas não há essa necessidade. Vale mais a pena esperar a próxima troca”, explica.
O prazo para trocar o óleo depende do tipo de óleo usado e das recomendações da montadora. Citro lembra ainda que o correto é fazer a verificação do nível do óleo com o motor desligado e frio. “Em funcionamento, o nível sempre estará mais baixo do que em repouso, pois o óleo circula pelo motor”, esclarece.
Já com relação aos filtros de óleo, a recomendação é trocá-lo a cada 15 mil km. “Isso garante boa fluidez e lubrificação do sistema”, afirma Citro, que alerta também para o fato de, em caso de mau funcionamento, o motor pode fundir por falta de lubrificação. “Ao perceber um superaquecimento e se a luz de alerta de nível de óleo no painel acender, o motorista deve parar o carro imediatamente, pois o motor não está sendo lubrificado. Do contrário, o motor pode fundir”, alerta. 
Arrefecimento – Outra parte sob o capô que merece atenção antes de pegar a estrada é o sistema de arrefecimento, responsável por resfriar o motor para manter o carro na temperatura ideal de funcionamento. Este sistema é composto por radiador, bomba e reservatório de água, mangueiras e sensores de temperatura. Segundo o gerente geral da Volkswagen, a aplicação de aditivo no sistema de arrefecimento de um veículo não deve ser feita aleatoriamente, pois afeta diretamente o desempenho do motor. “Existe um percentual ideal de aditivo a ser misturado na água do radiador para cada modelo de automóvel, em razão do volume de água. O uso indiscriminado pode afetar o desempenho do motor”, ressalta Citro. 
Segundo ele, o motor tem uma faixa de temperatura ideal para funcionar e o aditivo ajuda a manter a temperatura constante. “Com o motor muito frio, o desempenho é menor e, muito quente, o risco de quebra é alto”, diz. Citro explica ainda que o ideal é buscar uma oficina especializada quando se constatam alterações na temperatura do motor e comenta ainda que os veículos mais novos têm sistema de arrefecimento selado e o motor só aquece além do normal quando há alguma pane. “Dificilmente há perdas por evaporação, exceto quando se abre a tampa do reservatório com o motor quente”, diz. “Quando isso acontece, o certo é colocar água desmineralizada”.
 
Ele explica ainda que o ideal é efetuar uma revisão no sistema de arrefecimento a cada ano, com limpeza total do sistema e troca do aditivo. “Essa manutenção evita danos maiores, como panes, vazamentos e corrosão, que custam até seis vezes mais para serem sanados”, afirma.
Ar-condicionado – Já o sistema de ar-condicionado também necessita de cuidados especiais, principalmente no verão, época em que o equipamento é mais usado. “O motorista deve ficar atento para a troca do filtro e a limpeza dos dutos, pois é muito comum a presença de ácaros e bactérias, agentes que podem ser prejudiciais à saúde durante o funcionamento do mecanismo”, diz o gerente geral VW da Carrera. A recomendação é fazer revisão a cada seis meses, com troca do filtro, mesmo que o ar-condicionado não esteja sendo utilizado. “Isso porque todo vento que entra no carro via tubulação passa pelos dutos, passagens e difusores, independente do equipamento estar ligado ou não”, explica.
Itens de segurança – O motorista deve ficar atento também para os itens de segurança, como os sistemas de suspensão, freios, pneus e lâmpadas do farol e lanterna. No caso da suspensão, os problemas mais comuns são com amortecedores, que se desgastam com o uso e desestabilizam o veículo, o que pode causar graves acidentes, principalmente em curvas. “O motorista deve ficar atento para eventuais vazamentos de óleo”, afirma Citro que recomenda um especialista sempre que sentir que o carro levanta mais que o normal nas curvas. “Este é um sintoma de que a vida útil do equipamento chegou ou está chegando ao fim”.
 
Com relação aos pneus, a dica é mantê-los sempre calibrados, de acordo com o peso que o veículo irá carregar. “O pneu murcho influencia no consumo, que aumenta, e também na segurança, que diminui. Encher demais também não é recomendado”, salienta Citro ao lembrar ainda da necessidade de efetuar a verificação visual para checar se o pneu está careca ou apresenta bolhas na lateral. “Nos modelos mais modernos, existe uma listra vermelha que indica a hora de trocar o pneu”, afirma.
Freios – O motorista deve ficar atento ainda para o sistema de freios, composto por pastilhas, discos, lonas e partes hidráulicas. Um erro muito comum é completar o nível de fluido no reservatório. “Com o uso, o nível de fluido cai para compensar o desgaste das pastilhas. Isso não significa que é preciso completar, mas sim trocar as pastilhas”, alerta. Os discos também devem ser averiguados, pois também se desgastam. “Com o uso, ficam finos e podem perder a eficiência”, alerta Citro.
Parte importante do sistema de freios são as luzes indicadoras na lanterna traseira que também devem ser revisadas, pois podem queimar e deixar de sinalizar seu acionamento. Além de aumentar os riscos de acidentes, o não funcionamento pode gerar multa. Pelos mesmos motivos, além das luzes de freio, é importante verificar o bom funcionamento dos faróis, luzes de pisca alerta, marcha à ré e lanternas.
Extintor – Outro item que resulta em multa, e para evitá-la basta uma simples verificação visual, é o extintor de incêndio que não pode estar com a validade vencida. O gerente geral VW da Carrera alerta para que, em caso de troca do extintor, o consumidor deve ficar atento para o tipo de carga. “Desde 2005, é obrigatório o uso do extintor com carga de pó ABC, que é capaz de apagar três classes de incêndio veicular: combustíveis líquidos, materiais elétricos e sólidos de alta combustão”.
 
Além do extintor, é recomendado checar o estepe, triângulo e chave de rodas. “São equipamentos obrigatórios e basta uma simples olhada para saber se está tudo em ordem”, afirma Citro. O estepe deve receber o mesmo tratamento dos demais pneus, sendo recomendada a calibragem pelo menos uma vez ao ano, caso não seja utilizado no período. 
Palhetas – O sistema de limpeza do para-brisa também merece ser conferido, por causa das chuvas frequentes no período. Pequenos cuidados com as palhetas limpadoras de para-brisa evitam ressecamento excessivo da borracha, que prejudica o bom funcionamento do equipamento. “O ideal é trocar as palhetas a cada três meses”, finaliza Citro. “Quando o vidro fica marcado depois que o limpador é acionado, significa que está na hora de trocar as palhetas”.
Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Ford apresenta novo controle de trilhas off-road para F-150 Raptor e Ranger 2019

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.A Ford apresentou um novo recurso…