\"\"Sistema de arrefecimento. Entendidos de carro até podem saber o que significa, mas leigos no assunto não fazem ideia da importância de manter a engrenagem desse sistema em bom estado e perfeito funcionamento. A regra nesta época de calor para qualquer motorista, sejam os antenados ou os mais desligados de sua própria máquina, é verificar alguns pontos dos itens responsáveis por arrefecer engrenagens. Ou seja, resfriá-las para evitar o superaquecimento do motor e permitir que continuem funcionando na temperatura ideal.

É que o verão intenso, aliado a um trânsito congestionado, exige trabalho maior desse sistema. Se o ar condicionado estiver ligado, pior ainda, porque o compressor do ar usa a força do motor, que trabalha mais e exige mais refrigeração. “A dica é checar item por item para evitar que o carro pare no meio de uma avenida movimentada ou numa serra porque a bomba d’água estourou ou o termostato (termômetro da água) deixou de funcionar”, ressalta Gledson Cortez, gerente da Arbopec Autopeças, localizada na Vila Mathias, em Santos.

A temperatura deve ser sempre acompanhada pelo painel de instrumentos, na frente do volante, em que um ponteiro mostra a temperatura do motor. Mas quando ele sobe acima do normal, pode ser tarde demais: o motor já está superaquecido. Se a luz vermelha acender no painel, indica que o motor está superaquecido e o motorista deve parar imediatamente para não prejudicar o veículo.

“Além de redobrar os cuidados no verão, a manutenção periódica desse sistema garante maior durabilidade do motor, mais economia de combustível e emissão menor de poluição”, explica Alvarez. Ele dá algumas orientações que precisam ser seguidas na hora do check up, principalmente para que você conheça melhor o seu carro e saiba exatamente onde está o problema.

 

Líquido de arrefecimento

É preciso verificar o nível do líquido de arrefecimento, fluido resultante da mistura de água e aditivos que passa por todo o sistema e tem como função resfriar o motor. Nível baixo pode indicar vazamento, ocasionada por falhas em outras peças do sistema pelos quais o líquido passa, como bomba d’água, radiador ou válvula termostática. É bom sempre pedir para o frentista verificar o nível do líquido quando for abastecer. Importante: o líquido deve ter sempre o aditivo na proporção indicada pelo fabricante, no manual. Acontece que às vezes o motorista costuma colocar somente água e o percentual de aditivo, importante para controlar temperatura e prolongar a vida útil das peças, vai se reduzindo.

 

Bomba d’água

A bomba d’água, responsável por fazer circular o líquido de arrefecimento pelo sistema, deve ser checada junto a profissionais especializados, que notarão qualquer desgaste e a necessidade de troca. A bomba pode estourar por desgaste ou pressão e aumentar a temperatura do motor. O ideal é checar a partir dos 70 mil quilômetros rodados, mas cautela sempre se faz necessária, mesmo que a quilometragem não tenha alcançado essa marca.

 

Radiador

Fica na frente dos veículos e promove uma troca de calor entre o líquido de arrefecimento, que chega em temperatura alta, e o ar atmosférico e da ventuinha. O radiador acumula sujeira do líquido e deve ser observado periodicamente. Há também o risco de enferrujar e, com isso, obstruir os tubos por onde passa o líquido de arrefecimento, fazendo com que menos água seja refrigerada, comprometendo a refrigeração do motor.

 

Termostato

Acusa a temperatura do líquido de arrefecimento na passagem do radiador. Quando alta, aciona a ventuinha para auxiliar na refrigeração do líquido, que voltará para o motor para refrigerá-lo. Quando baixa, desativa a ventuinha. É justamente no verão que essa peça é mais importante, porque o ar atmosférico está mais quente e a ventuinha será, certamente, acionada mais vezes. O termostato, como toda peça, tem uma vida útil e pode falhar, provocando mal funcionamento de todo o sistema.

 

Válvula termostática

Essa peça aciona ou interrompe o funcionamento do sistema de arrefecimento, fechando a passagem de água para o radiador quando o motor está frio e abrindo quando a temperatura atinge o nível ideal. Deve ser substituída quando desgastada.

 

Vaso de expansão

Esta peça serve para melhorar o sistema de refrigeração. Absorve a água quando esquenta e a libera quando já está fria. Há o risco de furar e, se isso ocorrer, precisa ser trocado.

 

Mangueiras

São as responsáveis por fazer o transporte do líquido de arrefecimento por todo o sistema, sendo a da parte superior que recebe água quente proveniente do motor e a da parte inferior, que transporta o líquido já em temperatura menor depois de passar pelo radiador. Devem ser verificadas periodicamente também para observação de possíveis desgastes.

 

Tampa do reservatório do radiador

É por onde o frentista repõe a água que passa por todo essa engrenagem (líquido de arrefecimento) quando o nível está baixo.

 

Outras orientações são a manutenção da limpeza do ar condicionado, que deve ser feita a cada seis meses para evitar problemas respiratórios, e o uso constante (preferencialmente diário) do limpador dos vidros. As palhetas ressecam com o calor dessa época do ano e, se ficam dias sem serem acionadas, comprometem a limpeza correta do para-brisa em uma chuva intensa, quando elas são essenciais para a visibilidade do motorista.

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Renault e concessionárias recuperam ambulâncias no Paraná

As três primeiras unidades começaram a ser recuperadas hoje, 03 de abril Em mais uma inici…