Faltam três corridas para que se decida o primeiro campeão da história da Fórmula E, categoria de carros movidos 100% a eletricidade criada pela FIA (Federação Internacional do Automóvel). E no próximo sábado (6) a temporada inaugural da série vai para a primeira das últimas três corridas com o e-Prix de Moscou. É a última prova antes da grande final em Londres, nos dias 27 e 28 de junho, que será realizada em sistema de rodada dupla.
Lucas di Grassi e a Audi Sport ABT querem retomar na Rússia a disputa pelo título depois que o brasileiro teve sua vitória cassada após grande desempenho no e-Prix de Berlim há duas semanas. Com cinco pódios em oito corridas – mais do que qualquer outro piloto do grid, o paulistano de 30 anos tem deixado sua marca. A corrida mais recente, na Alemanha, pareceu ter produzido uma final antecipada na briga pelo título quando Lucas dominou e venceu a prova. Horas após o estouro do champanhe no pódio ele teve o resultado excluído pela FIA porque, na opinião dos comissários técnicos, uma parte da asa dianteira que havia recebido um reforço após uma quebra não estava 100% em conformidade com o regulamento.
“Para mim este caso está encerrado. Estou completamente concentrado, e nada mais, no próximo sábado em Moscou”, fala Di Grassi. Na Rússia o brasileiro quer se colocar na melhor posição possível para o final de semana definitivo em Londres, que terá duas corridas. “Passei um bom tempo no simulador e me preparando intensivamente para a pista. O circuito de Moscou traz uma combinação desafiadora de trechos rápidos e hairpins estreitos, e acho que tanto nós pilotos como o público nas arquibancadas irão se divertir”, disse.
De fato, o público moscovita pode esperar por um circuito e uma corrida de tirar o fôlego. O traçado passa diretamente pela Praça Vermelha e pelo Kremlin, bem no coração da capital russa. Na que vai ser a nona de um total de 11 corridas, os três primeiros colocados no campeonato estão separados por nada menos do que dez pontos, e no papel de caçador está Lucas di Grassi.
“A exclusão em Berlim, na nossa corrida em casa, foi um golpe duro para todos na equipe, especialmente porque Lucas foi privado da recompensa por seu fantástico desempenho pela decisão dos comissários”, lembrou Hans-Jürgen Abt, chefe da equipe. “Aprendemos uma lição deste incidente e agora estamos indo para a Rússia com uma preparação ainda mais meticulosa. O grande encorajamento por parte de nossos fãs, que recebemos via e-mails e pelas redes sociais, nos dá uma motivação adicional. Estaremos mais fortes e vamos ao ataque”, prometeu.
O e-Prix de Moscou tem largada às 10 horas de Brasília e transmissão ao vivo pelo Fox Sports.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Ford Fund doa 9.000 máscaras para comunidades de São Paulo em projeto que gera renda para costureiras

Em parceira com a Aldeias Infantis SOS Brasil, a iniciativa faz parte do projeto Costura S…