Desgaste das coifas e batentes interferem no desempenho do amortecedor. Por isso, é importante verificar se os componentes estão em boas condições de uso. Segundo Jair Silva, gerente serviços e qualidade da Nakata, fabricante de autopeças para o mercado de reposição automotiva com uma linha completa de componentes para suspensão, transmissão, freios e motor, as coifas e os batentes suportam as condições de trabalho e circulação do veículo nas vias públicas, onde é comum encontrarmos resíduos de combustível, óleo, pedriscos, terra entre outros   esses resíduos acabam entrando em contato com a coifa  causando rápida deterioração da borracha que deveria estar lá para proteger o amortecedor e não para danificá-lo. 
Essa deterioração resulta em esfarelamento da borracha que acaba aderindo à haste do amortecedor que, agora sem proteção começa a receber também água, barro e todo tipo de sujeira que, com o movimento da haste se tornam verdadeiros abrasivos – como se tivesse uma lixa esfregando o tempo todo na haste – danificando o vedador de óleo e causando o vazamento que inutilizará o amortecedor.
Os batentes trabalham como se fossem uma segunda mola, ou seja, naquelas situações de solicitação extrema o batente evita batidas de fim de curso protegendo todo os componentes do sistema de amortecimento. Assim sendo quando o batente apresentar qualquer indicio de deterioração o mesmo deve ser imediatamente substituído por uma peça nova de boa qualidade.
Os amortecedores são responsáveis por atenuar impactos na carroceria, frear os movimentos da mola e manter os pneus em contato com o solo. Amortecedores já desgastados comprometem a estabilidade do carro em curvas e boa dirigibilidade.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Nissan comemora 20 anos de uma história de sucesso no Brasil

Da importação de carros à fabricante nacional de automóveis, marca consolida sua presença …