No Dia Mundial em Memória às Vítimas de Trânsito, próximo domingo (20), o Departamento Estadual de Trânsito do Piauí (Detran-PI) chama a atenção da população para o alto índice de mortes no trânsito. O órgão, que vem realizando atividades educativas com o intuito de conscientizar a sociedade quanto à valorização da vida, já realizou ações em mais de 60 municípios piauienses.
Para a diretora interina da Escola Piauiense de Trânsito (EPT) do Detran-PI, Larissa Caldas, a população precisa fazer sua parte para transformar o trânsito em um ambiente mais humano e respeitoso. Com uma mudança no comportamento do cidadão, somados às campanhas de trânsito, o número de vítimas de trânsito diminuirá consideravelmente.
“Por meio da escola, o Detran realiza atividades preventivas durante o ano em todo o estado, como palestras e blitz educativas. Abordamos todos os tipos de público com a mensagem de paz no trânsito, mas é preciso que as pessoas também assumam um papel de condutor cidadão, preocupado com a ordem e segurança no trânsito”, explica a educadora.
Segundo o Ministério da Saúde, os acidentes de trânsito são considerados uma das principais causas de mortes no Brasil. Em 2014, foram registrados 43.075 vítimas fatais de acidentes de transporte terrestre, tornando o Brasil o país com maior número de mortes no trânsito da América Latina.
De acordo com dados do Hospital de Urgência de Teresina (HUT), foram registrados 13.764 acidentes de trânsito em 2015. Em 2016, o número já totaliza 10.531.
A diretora lamenta o número de vítimas no trânsito e afirma que isso deve ser o alerta de mudança para muitos. “A todo tempo, alguém se torna vítima do trânsito, isso pode acontecer com qualquer um, mas não devemos esperar que ocorra para mudar nossa postura, cada condutor que respeita as leis de trânsito já contribui para prevenir o pior”, enfatiza Larissa Caldas.
Principais vítimas
Conforme dados do relatório global sobre o estado da segurança viária 2015, da Organização Mundial da Saúde (OMS), a principal causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos é proveniente de lesões por acidentes de trânsito.
O documento aponta ainda que metade de todas as mortes no trânsito de todo o mundo ocorre entre as pessoas menos protegidas – motociclistas (23%), pedestres (22%) e ciclistas (4%).
No Piauí, acidentes envolvendo motocicletas continuam sendo a maioria das ocorrências. No ano passado, foram registrados 11.500 e neste ano a soma já é de 8.809 ocorrências.
“Eles ficam mais expostos e, por isso, têm que tomar mais cuidados, como usar os itens de segurança, respeitar a sinalização e os limites de velocidade. Mas os demais condutores também têm que ter uma atitude responsável em relação aos menos protegidos”, pondera a diretora da EPT.
A educadora alerta ainda para os cinco principais fatores de risco no trânsito, que são: o não uso de cinto de segurança; o não uso do capacete; exceder o limite de velocidade; não adotar medidas de segurança para crianças e ingestão de bebida alcoólica antes de dirigir.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Nissan comemora 20 anos de uma história de sucesso no Brasil

Da importação de carros à fabricante nacional de automóveis, marca consolida sua presença …