O Departamento Estadual de Trânsito do Piauí (Detran-PI) realizou, nesta quinta-feira (20), uma reunião com os diretores e representantes dos Centros de Formação de Condutores (CFCs) para tratar do índice de aprovação dos alunos nos testes teóricos e práticos, realizados durante o processo de retirada da 1ª Carteira Nacional de Habilitação (CNH).
De acordo com a Resolução 358 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), a cota mínima exigida para que os CFCs funcionem é de 60% de aprovação, no entanto, as autoescolas do Piauí estão abaixo dessa média. “Esta reunião busca propostas, sugestões a fim de adotarmos medidas para reverter essa situação, sanando possíveis deficiências no procedimento pedagógico ou estrutural”, comenta Venâncio Cardoso, diretor de Habilitação.
Os diretores dos CFCs aproveitaram a reunião para argumentar sobre a medida. “A exigência também interessa as autoescolas, porque dessa forma podemos nos preparar mais e oferecer um material didático melhor. Mas também precisamos considerar outros fatores, como o nervosismo do aluno, que muitas vezes está preparado, mas no momento do teste tem a questão do nervosismo, que acaba interferindo e atrapalhando”, ressaltou Higor Medeiros, proprietário de uma autoescola.
Venâncio destacou que, no primeiro momento, o Detran e as autoescolas trabalharão para  diagnosticar o que está acontecendo para que haja uma média de aprovação abaixo da média. “Após o diagnóstico, em parceria, vamos adotar medidas para melhorar o desempenho dessas autoescolas e, assim, exigir que elas atinjam a meta”, esclareceu o diretor de Habilitação.
Arão Lobão, diretor-geral do Detran, também participou da reunião e destacou que a nova gestão do órgão tem feito um trabalho aberto ao diálogo, destacando que é importante trabalhar em parceria com as autoescolas, uma vez que, as duas são responsáveis pela formação de condutores conscientes para um trânsito mais seguro.
“Recebemos críticas e procuramos melhorar, dentro das nossas possibilidades. Estamos ouvindo as dificuldades e vamos buscar uma solução para garantir um bom atendimento aos usuários dos nossos serviços”, declarou Lobão.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Ford Fund doa 9.000 máscaras para comunidades de São Paulo em projeto que gera renda para costureiras

Em parceira com a Aldeias Infantis SOS Brasil, a iniciativa faz parte do projeto Costura S…