O verão já chegou e trouxe, como de costume, o período de chuvas em boa parte do país. Nessa época, motoristas em diversas regiões sofrem com a possibilidade de transitar por trechos com riscos de alagamento. Pensando em evitar ou amenizar os prejuízos causados ao veículo e ao condutor, o CESVI BRASIL, Centro de Experimentação e Segurança Viária da MAPFRE, elencou algumas dicas práticas que os motoristas podem seguir.
 
Um dos principais danos em caso de enchente são os problemas relacionados à parte mecânica e elétrica dos veículos. “A enchente é um grande problema para o bolso do motorista, principalmente pelos problemas mecânicos. Dependendo do nível da água, ela pode atingir o motor do veículo criando o calço hidráulico, além de contaminar o óleo do motor e causar panes na transmissão”, comenta Gerson Burin, coordenador técnico do CESVI BRASIL.
 
Além dos problemas mecânicos, a parte elétrica do veículo pode ser facilmente prejudicada ao ter a caixa de fusíveis, módulos, relês, conectores, faróis, conjuntos ópticos e lanternas atingidos pela água suja.
 
Outro ponto importante ressaltado pelo especialista é relacionado à atitude do motorista que atravessa com o veículo por áreas alagadas. O CESVI aconselha que o condutor não arrisque, mas, se optar por passar em trechos com água, que seja apenas em locais que conheça, em trechos curtos nos quais o alagamento esteja no máximo até a altura da metade das rodas do carro e que seja utilizada a primeira marcha engatada, sem elevar demais a aceleração para evitar a admissão de água para o interior do motor.
 
Três dicas para evitar prejuízos no verão:
 
Na manutenção preventiva, verifique o estado atual de itens básicos como os pneus e as palhetas do para-brisa;
 
Confira também todas as luzes do veículo, como setas, faróis e luzes de freio;
 
Se o carro morrer em enchentes, não dê a partida novamente. A ação força o motor e pode piorar ainda mais o quadro mecânico e de pane elétrica.
 
Pontos a serem observados pós enchente
 
Nos itens mecânicos, deve-se observar primeiro o óleo do motor;
 
Verificar se a água atingiu as áreas de admissão de ar, como o filtro de ar, dutos e coletor de admissão;
 
É importante identificar se o veículo teve algum dano em bielas e nos pistões no caso da admissão de água no interior do motor durante o funcionamento ou após uma partida;
 
Na caixa de transmissão é importante verificar se não houve a contaminação do óleo. O alerta vale ainda mais em caso de veículos com transmissão automática.
 
Fonte: CESVI BRASIL
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Nissan comemora 20 anos de uma história de sucesso no Brasil

Da importação de carros à fabricante nacional de automóveis, marca consolida sua presença …