Seguir as recomendações da montadora, nunca usar óleo com desempenho inferior e realizar a troca com motor quente são algumas das recomendações da fabricante.

A troca de óleo lubrificante é o serviço que gera muito movimento nas oficinas mecânicas e também mantém o relacionamento do reparador com o dono do carro. É a partir deste trabalho que outras demandas em manutenção acabam surgindo. Sabendo da importância deste serviço, a GT-OIL, uma das principais fabricantes de lubrificantes do país, destaca algumas dicas importantes na hora de efetuar a troca do óleo.

O analista de qualidade da GT-OIL, Guilherme Ferreira, orienta fazer a troca do óleo com o motor quente porque a viscosidade estará menor e o produto escoará mais rápido e com mais facilidade. “Assim, é possível retirar o óleo usado completamente até ficar esgotado, mas é preciso tomar cuidado para que o óleo quente não entre em contato com a pele do profissional e cause queimaduras”, alerta.

Outra recomendação importante é ficar atento às especificações de viscosidade e nível de desempenho do óleo que o fabricante do veículo orienta no manual da montadora. As especificações de viscosidade são caracterizadas pela norma SAE e sempre são identificadas no formato “X”, “W”, “Y”, onde “X” e “Y” são números, por exemplo: 5W30, 5W40, 15W40, etc. Já as especificações de desempenho são caracterizadas por normas como API, ACEA, ILSAC, entre outras, incluindo as que são elaboradas pelas montadoras. “É importante ter conhecimento das normas, incluindo as que são das montadoras e nunca colocar um óleo de desempenho inferior ao indicado no manual. Dependendo das características, os sintomas não são sentidos de imediato, porém esta escolha pode acarretar a diminuição da vida útil do motor”, afirma.

Com relação à armazenagem do produto, a recomendação é mantê-lo sempre na embalagem original. “Caso não seja utilizado todo o óleo da embalagem, é importante manter o produto armazenado em pé para evitar vazamentos. O óleo deve ser mantido ao abrigo da luz e em local seco e fresco, pois temperaturas elevadas diminuem a sua vida útil, já que o calor acelera a degradação do óleo em longo prazo”, avisa.

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Financiamentos de veículos tem o maior volume em outubro desde 2014

Com mais de 569 mil unidades financiadas, 2019 tem o maior volume de financiamentos – cons…