Espetáculo “Por Isso Que Eu Canto” dá voz a 47 adolescentes em comemoração aos 15 anos do programa.

Adolescentes que fazem parte do Instituto Árvore da Vida (IAV) ofereceram ao público uma noite especial na última quarta-feira (23), marcada por emoções, sorrisos e aplausos, na apresentação do espetáculo “Por Isso Que Eu Canto”, no Cine Theatro Brasil, em Belo Horizonte. O evento marcou a comemoração de 15 anos de atividades do Instituto. O musical teve como fio condutor a trajetória, sonhos e desejos dos jovens da comunidade do Jardim Teresópolis, em Betim (MG), e contou com a parceria artística do grupo Ponto de Partida.

Em única apresentação, 47 adolescentes, juntamente com o Ponto de Partida, deram voz e ginga a 15 músicas já consagradas, todas selecionadas e preparadas para encantar a plateia do teatro, um endereço tradicional de Belo Horizonte. O enredo teve “A carta” de Djavan e Gabriel Pensador; “Baila Comigo” de Rita Lee; e “Só Eu Sou Eu” de Marcelo Jeneci. Para receber os aplausos no final, a preparação foi feita ao longo de cinco meses, período que marcou uma experiência transformadora, tendo a arte como ponto central. Regina Bertola, diretora e criadora do Ponto de Partida, conta que os próprios adolescentes foram a inspiração para a criação do espetáculo. “Foi concebido para falar deles e deu muito certo. Foi lindo e emocionante não só essa noite, mas todo o processo”, ressaltou.

O desenvolvimento social da comunidade é o que move o Instituto, que nasceu como projeto social Árvore da Vida, desenvolvido pela Fiat Chrysler Automóveis (FCA) no Jardim Teresópolis, região localizada em frente ao Polo Automotivo Fiat, em Betim. O projeto criou raízes sólidas e agora cresce de forma autônoma. Há dois anos, seguindo um percurso de amadurecimento e protagonismo, o projeto transformou-se no Instituto Árvore da Vida (IAV), uma associação sem fins lucrativos composta e gerida por membros da própria comunidade. “Se pudesse descrever uma palavra que resume essa noite é orgulho: orgulho desse projeto, da forma como o Árvore da Vida e a comunidade do Jardim Teresópolis cresceram juntos. É justamente essa parceria e cumplicidade que celebramos”, disse Fernão Silveira, diretor de Comunicação Corporativa e Sustentabilidade da FCA para a América Latina.

Para o diretor de Finanças da FCA, Emanuele Cappellano, o espetáculo foi a celebração de 15 anos de uma ideia e de seus frutos, que são a diferença na vida de milhares de pessoas. “A educação leva ao exercício da cidadania, através do pensamento crítico e da capacidade de criar. É um valor que a FCA fortalece e difunde. É o eixo de sua ação social onde quer que a empresa atue”, afirmou. Para Luciana Costa, coordenadora de Sustentabilidade da FCA, o Árvore da Vida solidifica o relacionamento entre a comunidade e a empresa: “A empresa é um organismo vivo, faz parte da sociedade e essa abertura de diálogo promovida pelo projeto é uma possibilidade de nos oxigenarmos, fazendo uma leitura muito genuína da sociedade contemporânea e suas principais demandas”. “O espetáculo foi um dia de alegria e celebração, com nossas famílias e a comunidade do Jardim Teresópolis. Saímos daqui transformados”, completou.

No Árvore da Vida desde 2010, Pedro Ferreira, 19 anos, foi um dos jovens atores da apresentação. “Estávamos ansiosos, mas com confiança”, diz. “A parte mais emocionante foi no início por causa do nervosismo também, mas depois os aplausos tiveram seu lugar, pois fomos recompensados por todo o trabalho com uma salva de palmas”. Medleing Lissa Souza Silva, de 14 anos, também subiu ao palco. Ela participa das oficinas de canto coral e formação humana, há três anos. “Tudo que aprendi tem uma participação do Árvore da Vida. A música melhora minha autoestima”, afirmou.

Sobre o Instituto Árvore da Vida

Em 15 anos, o Árvore da Vida beneficiou mais de 22 mil moradores da região do Jardim Teresópolis, com atividades socioeducativas, capacitação profissional e apoio ao empreendedorismo e ao desenvolvimento comunitário. O salto obtido no índice de aprovação escolar de alunos que participam do Árvore da Vida é um dos indicadores do sucesso da iniciativa. O índice, que era de 71% em 2004, chegou a 96% em 2018. Os adolescentes que participam ou participaram do Árvore da Vida têm 3,6 vezes mais chance de continuar a estudar e uma probabilidade 4,8 vezes maior de se formar num curso superior. Em 2019, 680 adolescentes de 11 a 16 anos participam das oficinas de violão, percussão, canto coral e formação humana.

Fotos: Kika Antunes

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Mercedes-Benz comemora 55.555 ônibus urbanos da linha Citaro produzidos

Veículo de número 55.555 é um eCitaro que representa tecnologia mais inovadora da família …