Home Notícias Emplacamentos de veículos se recuperam no acumulado do ano

Emplacamentos de veículos se recuperam no acumulado do ano

Comentários desativados em Emplacamentos de veículos se recuperam no acumulado do ano

O setor, como um todo, registrou alta de 10,9% em julho deste ano, sobre julho de 2020

Os emplacamentos de veículos automotores, considerando todos os segmentos automotivos, encerraram o mês de julho próximo da estabilidade, na comparação com junho (baixa de 0,02%). Mas o dado que mais chamou a atenção, no levantamento realizado pela FENABRAVE – Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores foi a queda de 7,3% no volume de automóveis emplacados, segmento que, conforme ranking histórico, registrou o pior mês de julho desde 2005. A explicação é a escassez de produtos nas concessionárias, por conta das dificuldades que a indústria enfrenta para a obtenção de peças e componentes.

Apesar da retração nos licenciamentos de automóveis, os segmentos de caminhões, implementos rodoviários, motos e comerciais leves tiveram resultados positivos em julho. Com isso, o setor, como um todo, registrou alta de 10,9% em julho deste ano, sobre julho de 2020, e aumento de 33,74% no acumulado dos 7 primeiros meses de 2021, em relação ao mesmo período de 2020.

“O número de emplacamentos, até agora, mostra que o setor, no geral, mantém sua trajetória de recuperação, com um volume total próximo ao que registramos nos últimos anos, antes da pandemia. E se a produção estivesse normalizada, principalmente, para automóveis, poderíamos ter um crescimento ainda maior do que o previsto para este ano”, afirma Alarico Assumpção Júnior, Presidente da FENABRAVE.

Automóveis e Comerciais leves

De acordo com o Presidente da FENABRAVE, a dificuldade na obtenção de peças e componentes, como os semicondutores, segue como o principal gargalo para o segmento de Automóveis e faz com que os estoques das concessionárias permaneçam em níveis criticamente baixos. “Neste ano, registramos o pior resultado em um mês de julho desde 2005”, diz Assumpção Júnior.

Já os Comerciais Leves, que apresentam menor dependência de componentes eletrônicos, mantêm a recuperação e mostram que o bom momento poderia ser estendido às vendas de Automóveis, caso houvesse disponibilidade de produtos.

Caminhões

Com o mercado agrícola aquecido e a economia registrando crescimento nos primeiros meses do ano, o segmento de Caminhões é um dos destaques do setor e pode ter, em 2021, um dos melhores resultados de sua história.

Ônibus

Este é um dos segmentos que mais tem sofrido os impactos da pandemia, já que a restrição de circulação de pessoas fez com que as empresas de transporte cancelassem ou adiassem investimentos em renovação ou ampliação de suas frotas.

Motos

O mercado de Motocicletas continua aquecido e com boa disponibilidade de crédito, com aprovação média de 4,8 propostas para cada 10 enviadas aos agentes financeiros. Porém, assim como acontece com os Automóveis, as montadoras de motocicletas também enfrentam problemas na obtenção de peças e componentes para regularizar sua produção, frente à alta demanda.

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

BMW i4 e iX são antecipados para Europa e confirmados para o mercado brasileiro

Modelos foram construídos sobre novas plataformas elétricas. O BMW i4 M50 é o primeiro car…