Home Notícias Extreme E, primeira série automobilística do mundo com igualdade de gênero

Extreme E, primeira série automobilística do mundo com igualdade de gênero

Comentários desativados em Extreme E, primeira série automobilística do mundo com igualdade de gênero

As regras deste esporte motorizado, pioneiro no mundo, estabelecem que cada equipe apresentará uma piloto mulher e um piloto homem em SUVs elétricos idênticos de 550 CV

Hoje se celebra o Dia Internacional da Mulher, e a inovadora série de automobilismo Extreme E está preparada para fazer sua tão aguardada estreia na Arábia Saudita em menos de um mês.

O novo campeonato de veículos elétricos off-road, que começa no dia 3 de abril de 2021, tem como missão utilizar sua plataforma esportiva para alcançar dois objetivos importantes: aumentar a conscientização sobre a crise climática e o papel da mobilidade de energia limpa, e erradicar os preconceitos em torno às diferenças de gênero no automobilismo.

A Extreme E contará com uma grande quantidade de pilotos mulheres de primeira linha, como a campeã das W Series 2019, Jamie Chadwick; a campeã de Caminhões de Off-road e medalhista dos X Games, Sara Price; e a campeã australiana de rally Molly Taylor, que enfrentarão alguns dos maiores nomes do automobilismo – incluindo o campeão de F1 Jenson Button e a lenda do WRC Sébastien Loeb-, em alguns dos lugares mais remotos do mundo.

As regras deste esporte motorizado, pioneiro no mundo, estabelecem que cada equipe apresentará uma piloto mulher e um piloto homem em SUVs elétricos idênticos de 550 CV, em uma corrida de duas voltas, conhecida como X Prix, o que garante a igualdade de condições entre os competidores. Os pilotos completarão uma volta do percurso cada um, com uma troca de piloto, o “Switch”, incorporado ao formato da corrida, cabendo às equipes determinar a ordem em que enviam seus pilotos conforme o que acreditam ser melhor para sua estratégia.

Glenda Slingsby, Engagement Officer, em referência ao Dia Internacional da Mulher, disse: “A Extreme E é um exemplo emocionante e inovador do progresso da igualdade de gênero no automobilismo. Ao optar por desafiar as normas tradicionais, a Extreme E estabelece um novo ponto de referência, incluindo e atraindo um grupo mais amplo. Do desafio surge a mudança, e através da visão de Alejandro Agag e do talento de muitas mulheres como Jamie Chadwick, a Extreme E acelera as oportunidades para todos”.

Sebastien Loeb (9 vezes campeão mundial de rally da FIA): “As mulheres no automobilismo não são algo novo, mas este formato em particular é. Estou muito entusiasmado com a forma como a Extreme E está incorporando novas características ao nosso esporte, e este compromisso de proporcionar uma plataforma para que as mulheres compitam em igualdade de condições com os homens é um exemplo brilhante disso. A Extreme E pensa no futuro em muitos aspectos, e Alejandro e toda a equipe estão de parabéns por isso”.

Laia Sanz, piloto da Acciona Sainz XE, disse: “Venho de duas rodas, por isso é completamente diferente, e sem dúvida é uma grande oportunidade para aprender com Carlos (Sainz). No futuro quero correr nos carros, então é bom estar aqui”.

“Ser companheira de equipe do Carlos é algo especialmente bom para mim, sempre acompanhei a carreira dele, mas também gera um pouco de pressão porque sei o quão competitivo ele é, mas sem dúvida vou aprender rápido.”

Carlos Sainz, fundador e piloto da Acciona Sainz XE, comentou: “É um novo desafio que temos a oportunidade de enfrentar juntos, este novo campeonato, com um novo formato. Estou muito feliz por ter Laia comigo e muito feliz por ajudá-la a fazer a transição das motos para os carros. Estamos muito entusiasmados e é a primeira vez que tenho uma equipe, então há muitas coisas novas para mim, o que torna este projeto especial. Laia é uma campeã, ela não tem que se apressar nem se preocupar. Virá naturalmente porque ela é muito talentosa”.

Michael Andretti, presidente e CEO da Andretti Autosport: “Estivemos muito orgulhosos por anunciar recentemente a entrada da Andretti Autosport na Extreme E e agora estamos igualmente empolgados em compartilhar a notícia das novas normas esportivas que promovem a igualdade de gênero. À medida que a mentalidade do automobilismo continua evoluindo, são esforços como esses da Extreme E que ajudarão a gerar novas oportunidades. O mundo do automobilismo está repleto de pilotos inexperientes, tanto homens quanto mulheres, e temos o privilégio de trabalhar ao lado de muitos desses grandes talentos. ”

Jean-Eric Vergne (co-fundador da Veloce Racing e bicampeão de Fórmula E): “Só posso apoiar e dar as boas-vindas a esta grande iniciativa de Alejandro Agag e da Extreme E. Há muitas pilotos mulheres com capacidade de competir e vimos isso em 2019 com o lançamento da W Series. A Veloce já está fortemente envolvida no desenvolvimento da carreira da piloto britânica Jamie Chadwick e espero promover ainda mais a igualdade de gênero no futuro”.

Alejandro Agag, fundador e CEO da Extreme E, acrescentou: “Buscamos igualdade, e o formato esportivo da Extreme E é o reflexo mais fiel desse objetivo. Todos correrão juntos, e apenas a combinação mais eficaz de pilotos, equipe, engenheiros e carros chegará ao topo”.

“Acho que nosso formato de competição vai desafiar todos os pilotos, homens e mulheres, o que torna este conceito tão emocionante. Não faltam pilotos mulheres boas o suficiente para ocupar os assentos.”

No entanto, qual é o objetivo final de Agag? Acabar totalmente com a ênfase no gênero do piloto: “Meu objetivo é que um dia a participação e as conquistas das mulheres no automobilismo atinjam níveis em que simplesmente deixem de ser tratadas como anedóticas. Quando isso acontecer, serei feliz”.

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Novo Nissan GT-R NISMO é revelado no Japão

Com mais fibra de carbono, carroceria exibe nova pintura exclusiva, inspirada nos circuito…