Unidade recebeu Certificação Internacional Energy Star, uma das mais relevantes no mundo.

A unidade de Gravataí (RS) da General Motors Mercosul recebeu a Certificação Internacional Energy Star. Concedida pela Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (U.S Environmental Protection Agency), a certificação destaca mundialmente empresas que reduziram seu consumo energético em 10% num período de cinco anos e são referência na utilização de recursos naturais.

A unidade gaúcha foi destaque pela primeira vez em 2014, referente ao período 2009/2013 e agora conquistou novamente a certificação referente ao ciclo 2013/2017, atingindo 10,2% de redução; economia equivalente ao consumo de energia de cerca de 9.550 residências durante o período de um ano.

A meta foi atingida através de uma série de ações em diversas áreas e etapas da produção da unidade gaúcha, que incluíram desligamentos programados de energia elétrica, substituição dos queimadores da pintura de veículos, melhorias na iluminação interna e externa e de processos associados à implantação de projetos, entre outras iniciativas. Como resultado, a planta de Gravataí se mantém como referência global dentro da companhia em relação à sustentabilidade e preservação do meio ambiente.

Com foco na sustentabilidade, a fábrica de Gravataí segue os parâmetros e padrões de qualidade em conformidade com a legislação ambiental. Além de manter uma área de preservação de 50,3 hectares anexa ao complexo, a fábrica tornou-se a primeira da companhia no país a reciclar 100% dos resíduos industriais gerados a partir do seu processo produtivo, por meio da implementação do Programa Zero Aterro (LandfillFree)

Para o Diretor-Geral do Complexo Industrial Automotivo de Gravataí (CIAG), Luis Mesa, “ o reconhecimento é resultado de um trabalho de equipe, que busca a excelência na produção, com alta performance, economia e ações sustentáveis “.

O Complexo conta com uma Comissão Interna de Conservação de Energia (CICE), formada por representantes de diversas áreas, que se reúnem periodicamente para discutir práticas e apontar novas soluções para a economia das chamadas utilidades (energia elétrica, gás natural, água e ar comprimido). Em cada um dos pontos da produção (estamparia, funilaria, pintura e montagem) há um centro de informações que segue um plano de negócio dividido em seis partes: segurança, desenvolvimento das pessoas, qualidade, capacidade de resposta, custo e meio ambiente. Esses conceitos são aplicados à produção e buscam aprimorar ainda mais a redução do consumo de energia com novos métodos e técnicas. Mundialmente, a GM está trabalhando com o comprometimento de reduzir o consumo de energia e as emissões de carbono em 20%, até 2020.

A fábrica da GM em Gravataí

Inaugurada em julho de 2000, a unidade de Gravataí já produziu 3,5 milhões de veículos. Desde sua inauguração, o complexo já recebeu três grandes investimentos para sua expansão. O primeiro deles em 2006, quando a linha de produção atingiu capacidade para 230 mil automóveis/ano (Lançamento Chevrolet Prisma); em 2010, quando elevou a produção para 350 mil veículos/ano (Projeto Onix) e em agosto de 2017, quando foi anunciado um investimento de R$1,4 bilhão no complexo. O valor integra o plano de investimentos da companhia no país que totaliza R$ 13 bilhões entre 2014 e 2019. A fábrica gaúcha possui a maior capacidade produtiva da marca Chevrolet no Hemisfério Sul.

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

FCA inicia produção de máscaras cirúrgicas na fábrica de Betim

Instalada em tempo recorde, linha produz 1,5 milhão de unidades por mês; Parte da produção…