A Fiat Chrysler Automobiles (FCA) anunciou hoje (05) os resultados do primeiro trimestre de 2020, que refletem os impactos da pandemia da Covid-19 sobre os negócios globais. A empresa reporta vendas de € 20,6 bilhões no período, o que representa uma retração de 16% em relação ao mesmo período do ano anterior. Foram comercializadas 818 mil unidades, com queda de 21% em relação ao primeiro trimestre de 2019. Foram registradas perda líquida de operações contínuas de € 1,7 bilhão e perda líquida ajustada de € 500 milhões. Apesar do impacto significativo da pandemia sobre a economia e os negócios, a FCA entregou um EBIT ajustado positivo de € 52 milhões. A liquidez disponível em 31 de março de 2020 foi de € 18,6 bilhões, reforçada com aporte adicional de € 3,5 bilhões contratado em abril.

As fábricas do grupo no mundo suspenderam a produção em momentos adequados e indicados para preservar a integridade e saúde dos trabalhadores em cada região. A empresa também se concentrou fortemente no apoio ao enfrentamento à Covid-19, colaborando com as autoridades e comunidades com a instalação de hospitais de campanha, reforma de ventiladores pulmonares, produção e doação de equipamentos, apoio a escolas da área médica, cessão e doação de veículos, doação de refeições a populações em situação de vulnerabilidade, entre outras medidas.

“Em meio a essa adversidade sem precedentes, a primeira prioridade da FCA tem sido a saúde e a segurança de seus funcionários e comunidades. A pandemia teve e continua a ter um impacto significativo em nossas operações. Com nossa experiente equipe de liderança e funcionários dedicados, tenho a máxima confiança em nossa capacidade de navegar por essa crise e emergir do outro lado, bem posicionados para crescer”, afirmou Mike Manley, CEO da FCA.

À medida que a severidade da epidemia de Covid-19 se tornou aparente, a liderança da FCA tomou ações rápidas e decisivas para proteger os funcionários e comunidades, bem como para garantir e preservar a liquidez. Entre essas medidas, destacam-se a suspensão temporária da produção em todas as plantas, a implementação do trabalho remoto e o aprimoramento dos protocolos de saneamento para todas as instalações. Além disso, o grupo adiou os gastos não essenciais e alongou o perfil dos investimentos. A FCA continua a avaliar todas as opções de financiamento e espera acessar o financiamento quando disponível em termos razoáveis para fortalecer a liquidez e otimizar a flexibilidade financeira.

Na América Latina, as vendas somaram 106 mil unidades no período, com queda de 12%, principalmente devido à suspensão temporária da produção no Brasil a partir de 23 de março. A receita líquida caiu 32%, para € 1,32 bilhão, principalmente devido à menor comercialização, bem como impactos a negativos de câmbio devido ao enfraquecimento do real. O rápido processo de ajuste adotado conteve as perdas em € 27 milhões de EBIT ajustado.

Durante o trimestre, a FCA trabalhou em estreita colaboração com todos os stakeholders, para manter a cadeia de produção engajada em desenvolver e implementar planos para o reinício da produção e vendas de veículos, assim que as condições sanitárias e de saúde permitam tais atividades.

Dado o reinício bem-sucedido das operações na joint venture na China, juntamente com a rede de concessionárias e a retomada da produção na planta de veículos comerciais em Atessa, Itália, em 27 de abril, que opera a aproximadamente 70% de sua capacidade normal, o grupo está confiante quanto às suas perspectivas. A retomada da produção em outras regiões será gradual ao longo de um período de tempo e alinhada à demanda do consumidor. Os procedimentos de retorno ao trabalho de nossos escritórios e outras instalações foram iniciados e serão implementados gradualmente, com o uso disseminado e contínuo de práticas de trabalho remotas.

Não obstante esse cenário inesperado e sem precedentes, a FCA e o Groupe PSA permanecem comprometidos com a fusão 50/50, que criará uma empresa líder em mobilidade global. Juntos, os dois grupos continuam avançando nos vários fluxos de trabalho de fusão e continua comprometidos em concluir a transação até o final deste ano ou no início de 2021.

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Hyundai inicia exportação do Brasil para Argentina

País é o quarto da América do Sul a receber veículos a partir da fábrica de Piracicaba (SP…