Unidades serão utilizadas na produção dos motores Fire EVO.

A Fiat Chrysler Automóveis (FCA) inicia a exportação de cabeçotes para a fábrica de Térmoli, na Itália. Com produção no Polo Automotivo Fiat, em Betim (MG), a quantidade chegará a cerca de 100 mil unidades até 2020. Na Europa, os cabeçotes serão utilizados na produção dos motores 1.4 Fire EVO Tetrafuel e Benzina, presente nos modelos Lancia Y e nos Fiat Panda, Qubo e 500.

O cabeçote é um dos responsáveis pelo controle da queima ar/combustível e está ligado diretamente ao consumo e a performance do motor. Nele, vão instalados componentes vitais, como as válvulas de admissão e escapamento, as velas de ignição, os coletores de admissão e escapamento e até o próprio comando de válvulas do motor. Para o início da exportação, foram investidos cerca de R$ 2 milhões na adequação da linha de usinagem, que passa a funcionar em três turnos.

“A planta Powetrain de Betim está recebendo investimentos para diversificar a produção e também expandir as exportações para América Latina e Europa”, afirma Cláudio Rocha, diretor Industrial Powertrain da FCA para a América Latina.

Com capacidade para fabricar 460 mil cabeçotes por ano, a planta Powetrain do Polo Automotivo Fiat é responsável pela produção da família de motores Fire, Fire EVO e Firefly, além das transmissões C-510 e C-513. A planta está recebendo investimentos da ordem de R$ 500 milhões para iniciar a produção do FireFly Turbo a partir de 2020. Com o aporte, Betim irá se transformar no maior polo produtor de motores e transmissões da América Latina, com capacidade para 1,3 milhão de unidades por ano.

Fotos: Leo Lara

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

FCA brilha no Estudo de Qualidade Inicial da J.D. Power nos EUA

Desempenho geral da FCA está acima da média da indústria pela primeira vez A Dodge fez his…