Nova Fiat Strada é o carro mais vendido do Brasil

O mês de setembro foi histórico para a FCA na América Latina. A empresa e suas marcas tiveram forte desempenho e alcançaram importantes resultados que as colocam no topo do pódio em diversos critérios: a liderança de mercado no Brasil pela marca Fiat, o carro mais vendido do Brasil (a picape Strada), carro mais vendido da Argentina (o sedã compacto Cronos), participação de mercado acumulada recorde da marca Jeep e liderança de mercado na América Latina (exceto México), com 19,1% de participação nas vendas da região no mês.

“Chegamos ao final do terceiro trimestre de um ano único, que certamente ninguém vai esquecer. Estes últimos três meses foram tão intensos, que pareceram um ano inteiro”, avaliou o presidente da Fiat Chrysler para a América Latina (FCA), Antonio Filosa. “Nosso desempenho é resultado de uma estratégia comercial adequada, da capacidade de resposta de nossas pessoas e de um bom planejamento de produção, que permitiu à empresa reagir muito rapidamente à demanda”, acrescentou.

No mês, a FCA emplacou 50,9 mil automóveis e comerciais leves, com uma participação de mercado de 25,6%. Entre os dez modelos mais vendidos no Brasil, quatro são produzidos pela FCA: os Fiat Strada e Argo e os Jeep Compass e Renegade.

Fiat, líder do mercado brasileiro

Com uma participação de mercado de 19,7%, o mais alto para a Fiat no Brasil desde fevereiro de 2015, a marca foi a mais vendida do país em setembro – o primeiro mês da Fiat na liderança desde outubro de 2015. Foram 39.074 veículos Fiat emplacados em setembro, mês que registrou o melhor volume de vendas de automóveis e comerciais leves no ano, com 198,7 mil veículos emplacados.

Ao conquistar a liderança de vendas em setembro, a marca Fiat registrou um crescimento de 25% em relação ao mês anterior e uma expansão de 30% em relação a setembro de 2019. Na mesma base comparativa, a indústria apresentou um crescimento de 14% frente a agosto e uma queda de 11% em relação a setembro de 2019.
“Há uma sinalização clara de inflexão positiva do mercado, mas a retração da economia e do mercado decorrentes da pandemia do Covid-19 ainda persiste. Temos que trabalhar muito e com muita atenção. Mas acreditamos no potencial do mercado e das pessoas para superarmos definitivamente a crise”, assinalou Filosa.

A liderança da Strada

A picape Fiat Strada foi o veículo mais vendido no Brasil no mês de setembro. No mês, foram emplacadas 11.873 unidades. O modelo da Fiat foi a única picape a conquistar tal posição no mercado brasileiro. Já havia liderado o ranking nacional duas vezes em 2014 e pela última vez em março de 2015.

“É um feito muito expressivo que uma picape lidere o ranking de veículos mais vendidos. Estamos muito empolgados com o sucesso da Fiat Strada, principalmente porque o volume de pedidos é crescente e sinaliza a continuidade do bom desempenho de vendas nos próximos meses”, afirmou Herlander Zola, diretor do Brand Fiat e de Operações Comerciais Brasil. A Nova Strada foi lançada no final de junho e desde então apresenta uma demanda crescente de pedidos junto às concessionárias da marca.

A Strada representou 30% do volume de emplacamento da Fiat no mês, sendo seguida, em importância na gama de produtos, pelos modelos Argo (20%), Mobi e Toro (com 14% cada), Novo Uno, Fiorino e Cronos.

O volume de emplacamento da picape no mês supera em 87% a média mensal de vendas do modelo em 2019, de 6.356 unidades. Com este volume de vendas somado às vendas de Fiat Toro (5.580 unidades), mais da metade de todas as picapes vendidas no Brasil foram da marca Fiat (54%).

A estratégia de posicionamento da Strada

A Strada lidera o mercado de picapes há 20 anos, principalmente em função de sua grande versatilidade e das inovações que recebeu no decorrer de sua trajetória. Ao planejar a Nova Strada, a Fiat reforçou a robustez pela qual o modelo sempre foi reconhecido, ao garantir a maior capacidade volumétrica de sua caçamba (1.354 litros), ótimos ângulos de entrada (24º) e de saída (28º), além da maior altura do solo do segmento, de até 216 mm. Estas características fazem da picape um veículo muito aplicado ao trabalho urbano e rural. Com sua nova geração, a Nova Strada investiu também em outros atributos, como design elegante, segurança (Hill Holder e controles de tração e estabilidade de série em todas as versões e quatro airbags na cabine dupla), e em novas tecnologias, como a central multimídia UConnect de última geração, com Apple Carplay e Android Auto com projeção wireless, a primeira com tal funcionalidade do mercado nacional.

A estratégia da Fiat preservou a presença da picape no mercado de trabalho, mas atraiu um novo tipo de consumidor, que faz da Strada seu veículo urbano do dia a dia. Para isto, a picape ganhou a inédita configuração de cabine dupla com quatro portas para cinco passageiros com conforto similar ao de um carro de passeio, versão que já representa mais de 40% das vendas do modelo. Esta estratégia ampliou significativamente o público potencial da picape modelo, que agora pode transportar a família com conforto, espaço e segurança.

Gama Fiat tem bom desempenho

Além das picapes Strada e Toro, que lideraram as vendas no segmento, outros destaques da marca Fiat foram os B-Hatch. A marca teve uma participação de 19,4% no segmento, sendo 13,7% com Argo e 5,7% com o Novo Uno. Esta é a melhor participação de mercado desde janeiro de 2016.
“Conseguimos conciliar ritmo de produção e ações de estímulo de vendas, muito focadas no varejo e em nossos canais digitais, como o evento Forza Massima, que alavancou a comercialização de 7 mil veículos”, acrescentou Zola.

Cronos é líder na Argentina

Com 2.357 unidades emplacadas, o equivalente a uma participação de mercado de 7,2%, o Fiat Cronos, produzido na planta da FCA em Córdoba, foi o veículo mais vendido na Argentina no mês de setembro. Além disto, o Cronos foi, pelo sexto mês consecutivo, o sedã mais vendido no país, posicionando-se como líder do segmento.

Bom desempenho histórico da marca Jeep

Ao emplacar 11.741 unidades dos modelos Compass e Renegade em setembro, a Jeep confirmou a liderança no segmento de SUVs, o mais dinâmico do mercado brasileiro, e a posição de oitava marca mais vendida no país. Este resultado eleva o volume de vendas acumuladas no ano para 70,3 mil unidades, com uma participação de mercado de 5,4%, a maior na história da marca no Brasil.

As vendas da Jeep crescem mais rapidamente do que o mercado, demonstrando a tendência de rápida recuperação da marca depois da forte retração do setor decorrente da pandemia do coronavírus. A participação dos modelos no mercado se ampliou e, no acumulado de janeiro a setembro, o Jeep Renegade emplacou 36,3 mil unidades (2,8% de participação nas vendas totais da indústria automotiva) e o Jeep Compass vendeu 33,7 mil unidades, com 2,6% de participação na indústria.
“Conseguimos ler corretamente o mercado, antecipando-nos às tendências”, analisou Tania Silvestri, diretora do Brand Jeep e de Operações Comerciais Brasil. “Nossa estratégia permitiu que retomássemos rapidamente o ritmo de mercado e com uma força muito grande”, acrescentou.
A marca Jeep lidera o segmento de SUVs no Brasil há cinco anos.

Artigos Relacionados
Leia mais em Destaques

Deixe uma resposta

Veja também

Ônibus VW moderniza frota argentina de transporte público

Como motorização MAN D08, esses dois Volksbus têm sistema EGR de tratamento de emissões, d…