As férias de julho chegaram e muita gente já se programou para pegar a estrada e curtir os dias de descanso em outra cidade. Mas, para que o período não seja marcado por inconvenientes, a Total Lubrificantes do Brasil – quarta maior companhia de petróleo e gás do mundo – dá dicas do que fazer para garantir as condições adequadas do veículo.
 
Segundo o Coordenador Técnico, Fábio Silva, o check list vai além dos componentes básicos que o motorista normalmente presta mais atenção. “Não basta calibrar os pneus, checar o nível do óleo ou completar o tanque do combustível para que o carro esteja pronto para seguir viagem. É preciso ir ao seu mecânico de confiança para avaliar o freio, sistema de arrefecimento e a suspensão”, afirma.
 
Ainda de acordo com o especialista, é possível fazer a verificação gratuita de até 15 itens do automóvel em um dos 45 Postos de Troca Rápida de Óleo da Total (ROC). “Temos profissionais altamente treinados e especializados para realizar a manutenção preventiva com os nossos produtos e soluções de alta tecnologia. Entre elas, as gamas de óleos sintéticos e semissintéticos, fundamentais para manter a confiabilidade, a proteção e a limpeza do motor, bem como todos os fluidos importantes para o bom funcionamento e segurança do veículo, como freio, câmbio, arrefecimento e graxas para cubo de roda”, destaca.  
 
Confira, abaixo, os sete cuidados listados pelo Coordenador Técnico da Total ao pegar a estrada nestas férias escolares:
 
1- Óleo e filtro: devem ser trocados de tempos em tempos, conforme recomendação do fabricante do veículo, ou quando já passou do prazo de validade dos produtos. Porém, é importante ficar atento para que as substituições sigam as mesmas especificações da montadora.
2- Combustível e freios: essenciais para o funcionamento do carro, precisam ser avaliados para o motor ter um bom desempenho. Em caso de muita sujeira, pode ocorrer entupimentos. O sistema de freios tem que ser revisado a cada 10 mil quilômetros, bem como o fluido do freio, mas, sempre, por profissionais gabaritados.
 
3- Arrefecimento: normal ou de longa duração (fluido orgânico – OAT), é necessário seguir a recomendação do fabricante e manter a água do radiador no nível estipulado. Assim, a temperatura do motor se mantém em condições corretas para evitar o aquecimento. 
 
4- Pneus: é necessário calibrá-los, bem como o estepe, e avaliá-los se há diferenças de pressão no veículo carregado e vazio, desde que não estejam gastos.  A avaliação do desgaste é feita de forma simples pelo TWI (Tire Wear Indicator – Indicador de Desgaste do Pneu), que são saliências que ficam entre as ranhuras do pneu.
 
5- Suspensão, bateria e palhetas: devem ser revistas a cada 10 mil quilômetros, incluindo a geometria e o balanceamento. Além disso, é fundamental avaliar o desgaste de amortecedores, molas, buchas e batentes, inclusive a bateria. Já as palhetas não podem estar tortas, nem com a borracha ressecada.
 
6- Painel e Lâmpadas: representam as condições do veículo, por isso, em caso de dúvida sobre o significado das luzes, consulte o manual do carro. Nunca viaje com alguma lâmpada queimada, pois é perigoso e ainda pode render multas ao motorista.
 
7- Itens de Emergência: antes de pegar a estrada, verifique se todos os componentes básicos de segurança estão no lugar. Entre eles, não podem faltar o triângulo, a chave de roda, o macaco e o estepe.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Nissan comemora 20 anos de uma história de sucesso no Brasil

Da importação de carros à fabricante nacional de automóveis, marca consolida sua presença …