Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

O processo de modernização do Polo Fiat se acelerou nos últimos anos.

Inaugurado em 9 de julho de 1976, o Polo Automotivo Fiat, em Betim (MG), comemora seus 42 anos de operações, dando início a um novo ciclo de investimentos até 2023. O anúncio foi feito na manhã desta sexta-feira (6/07), em solenidade com a presença de Fernando Pimentel, governador do Estado de Minas Gerais, na planta de Betim, e do presidente da Fiat Chrysler Automóveis (FCA) para a América Latina, Antonio Filosa.

A FCA anunciou investimentos de R$ 8 bilhões, que abrangem o Polo Fiat e seus fornecedores. Esses recursos devem gerar 8 mil emregos diretos e indiretos ao longo de toda a cadeia produtiva.

Os recursos permitirão a ampliação da gama de produtos da Fiat e fortalecerão a marca no mercado brasileiro e latino-americano, reforçando a presença em segmentos em que já é líder e em outros que ainda não atua. Serão 15 lançamentos até 2023, entre carros novos, renovações de modelos e séries especiais. Os novos investimentos anunciados para Betim são parte do plano estratégico global anunciado pelo CEO da FCA, Sergio Marchionne, em 1º de junho.

Uma fábrica modernizada

O Polo Automotivo Fiat é a maior fábrica de automóveis do grupo FCA no mundo. Tem capacidade instalada para produzir até 800 mil veículos por ano. A planta vem recebendo investimentos em sua modernização e conta em seu perímetro com a fábrica de motores FireFly, considerada a mais moderna do grupo no mundo.

Desde sua instalação em 1976, a Fiat já produziu cerca de 16 milhões de veículos em Betim. Deste total, aproximadamente 3,5 milhões de unidades foram exportadas.

Ao longo de seus 42 anos, a Fiat tem contribuído para transformar a economia e o perfil de Betim e de Minas Gerais, ao atrair para seu entorno inúmeros fornecedores, fortalecendo o tecido industrial mineiro.

A Fiat foi a primeira empresa do setor a se instalar fora do cinturão de São Paulo. Por essa razão, iniciou as atividades com mais de 80% dos fornecedores localizados em São Paulo, o que acarretava custos logísticos pesados. Nos anos 1990, foi implementada uma estratégia de atração de fornecedores, em um processo chamado “mineirização”. Com os parceiros estratégicos instalados no entorno, a planta passou a operar no sistema de suprimentos Just In Time (JIT), com ganhos significativos para sua competitividade.

O processo de “mineirização” permitiu à Fiat criar as condições para o salto de escala de produção que daria nos anos seguintes. A confiabilidade da logística de suprimentos liberou áreas físicas dentro da fábrica, antes utilizadas para estocagem, o que permitiu a expansão das linhas de produção. Atualmente, mais de 60% dos itens comprados provêm de fornecedores instalados num raio de até 150 quilômetros do Polo.

A economia de Minas também ganhou com esse processo, pois as novas empresas instaladas diversificaram o parque industrial mineiro, com maior geração de empregos e de tributos. A atração dos fornecedores para o entorno do Polo Fiat representou a consolidação da industrialização de Minas Gerais, com importantes reflexos na economia e no nível e qualidade de empregos.

O processo de “mineirização” é ininterrupto. O círculo de empresas organizado na cadeia produtiva liderada pela FCA continua a crescer.

FCA

Desde 2014, a Fiat não está mais sozinha. Neste ano, o grupo italiano concluiu a compra do grupo Chrysler, dos Estados Unidos, e fundiu-se a ele. Em 13 de outubro de 2014, nasceu a Fiat Chrysler Automóveis (FCA), sétimo maior fabricante mundial de automóveis, que desenvolve, projeta, fabrica e comercializa automóveis, veículos comerciais leves, componentes e sistemas de produção por meio de companhias localizadas em 40 países e com presença comercial em 150 mercados.

As marcas automotivas da FCA são Alfa Romeo, Chrysler, Dodge, Fiat, Fiat Professional, Jeep, Lancia, Ram, Maserati, além de Abarth, Mopar e SRT. Os negócios da FCA também incluem a Comau (sistemas de produção), Magneti Marelli (componentes) e Teksid (fundição em ferro e alumínio). O grupo oferece ainda serviços financeiros de apoio ao varejo e às concessionárias por meio de suas subsidiárias, joint ventures e acordos comerciais com instituições especializadas.

Novo presidente

Desde abril deste ano, a FCA tem novo presidente para a América Latina. O engenheiro Antonio Filosa é o novo presidente da FCA para a região. Com 45 anos, nascido na região de Nápoles, Itália, Filosa formou-se pelo conceituado Instituto Politécnico de Milão e complementou a formação em gestão na Fundação Dom Cabral, em Minas Gerais. Ingressou no Grupo Fiat, atual FCA, em 1999, e desde então acumula extensa experiência internacional, com atuação nas áreas de Manufatura, Compras, Supply Chain, Novos Produtos, Marketing e Gestão de Projetos.

Já ocupou cargos na Espanha, Estados Unidos, Itália, Argentina e Brasil. Chegou ao País em 2005 e, no ano seguinte, passou a trabalhar no Polo Automotivo Fiat, onde exerceu os cargos de gerente de Logística Interna, de Planejamento Estratégico e de Compras, além de diretor-adjunto de Manufatura. Foi ainda diretor de Compras para a América Latina e diretor-geral da FCA Argentina. Ao assumir o cargo atual, Filosa também passou a integrar o Group Executive Council (GEC), a máxima instância executiva do grupo. Filosa é o mais jovem membro do GEC.

Modernização

O processo de modernização do Polo Fiat se acelerou nos últimos anos. Instalações, equipamentos, processos e sistemas foram modernizados a partir do conceito da Indústria 4.0, incorporando as melhores soluções adotadas nas plantas do grupo na Europa e Estados Unidos.

O Polo Automotivo Fiat reúne três importantes áreas:

• Planta Veículos: compreende as unidades de Prensas, Funilaria, Pintura e Montagem Final.
• Planta Powertrain: compreende as unidades de Motores e Transmissões.
• Centro de Pesquisa & Desenvolvimento Giovanni Agnelli: reúne todas as condições e tecnologias necessárias para criar um veículo do começo ao fim. Engloba o Design Center, as Engenharias de Projeto de Veículo e Motopropulsor, a Engenharia Experimental e a Engenharia Powertrain. Essas unidades trabalham em sinergia com os outros centros de P&D da FCA na Itália, nos Estados Unidos e o de Pernambuco.

Na Planta Veículos, são três linhas de montagem responsáveis pela produção de oito modelos: Uno, Fiorino, Doblò, Grand Siena, Weekend, Strada, Mobi e Argo. Ainda completam a gama da marca o Fiat Cronos, produzido em Córdoba (Argentina), o Fiat Toro, fabricado no Polo Automotivo Jeep, em Goiana (PE), e o Fiat Ducato, importado do México.

O Polo Automotivo Fiat está dando um salto para o futuro, em direção à Indústria 4.0, em um processo que teve como marco inicial a instalação da planta de motores FireFly, em 2016. Os processos para o desenvolvimento de novos produtos também foram redesenhados, com a criação de novas estruturas para conectar pessoas e processos das mais diferentes áreas da FCA, em sinergia com fornecedores, para expandir a capacidade de identificar oportunidades de inovação. São elas:

• Development Center: integra em um único espaço áreas de desenvolvimento como Engenharia, Manufatura e Qualidade.
• Component Center: mensuração e testes de componentes com tolerância zero para defeitos.
• Value Optimization Center (VOP): reúne áreas estratégicas de FCA com fornecedores, para aumentar o valor do produto, por meio de qualidade, custo e time-to-market.

Indústria 4.0

No Polo Automotivo Fiat, novos processos surgem para aumentar a qualidade e a competitividade, integrados ao conceito da Indústria 4.0. É uma nova indústria automotiva que nasce conectada a sistemas como Internet das Coisas, Manufatura Aditiva, Big Data, exoesqueletos, entre outras soluções.

O Polo Fiat está sendo totalmente renovado e o indutor dessa mudança é o lançamento de novos produtos. Processos e equipamentos padrão 4.0 foram instalados para produzir o Fiat Mobi e avançaram para viabilizar a produção do Fiat Argo. Se em 1976 grande parte das operações era manual, hoje a fábrica é inteligente e conectada, com sistemas modernos e eficientes. Com 42 anos, a planta já está completamente integrada à era digital.

O ecossistema da Indústria 4.0 está inserido na cultura da inovação da empresa, de forma transversal e consistente, por meio da capacitação das pessoas para o desenvolvimento de novas habilidades e competências. Nesse contexto, um espaço-chave para o desenvolvimento do capital humano é o Manufacturing 2020. Trata-se de um laboratório criado no conceito “testbeds” (provas de conceito), que são plataformas dedicadas aos experimentos de novas tecnologias, em um ambiente que reproduz em escala um cenário real. Instalado no Polo Automotivo Fiat, tem o propósito de apontar as tendências mais relevantes do futuro da Indústria 4.0, além de promover treinamentos.

O espaço abrange a Sala de Simulação Virtual, duas Salas de Treinamento, o Partner Room, o ICT Room e as células do processo produtivo para as mais diversas provas de conceito. Atualmente, são mais de 40 provas de conceito (testbeds) em andamento. Quando a tecnologia é aprovada, a partir das análises de aplicabilidade e viabilidade econômica, o próximo passo é sua aplicação na manufatura.

O Manufacturing 2020 promove a conexão da FCA com fornecedores (otimizar a cadeia produtiva), startups (participar de projetos conjuntos), academia (universidades parceiras) e governo (políticas públicas e legislação), tornando a Indústria 4.0 uma realidade com bases sólidas.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.
Artigos Relacionados
Leia mais em Destaques

Veja também

Ford lança óleo semissintético para o mercado de reparação independente

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.A Omnicraft, linha de peças autom…