Home Notícias Fiat relembra sua origem no Dia Nacional do Imigrante Italiano

Fiat relembra sua origem no Dia Nacional do Imigrante Italiano

Comentários desativados em Fiat relembra sua origem no Dia Nacional do Imigrante Italiano

Design italiano dos modelos da marca é referência no país

O fim do século 19 e início do século 20 no Brasil foram marcados pela imigração italiana. De acordo com dados do IBGE, mais de um milhão de italianos desembarcaram em solo nacional no período, consolidando-o como um dos com maiores raízes italianas no mundo. Pela importância que essa comunidade tem no Brasil, o dia 21 de fevereiro foi intitulado oficialmente pela lei nº 11.687 como o Dia Nacional do Imigrante Italiano.

Os imigrantes que passam a viver em uma novo país naturalmente compartilham seus hábitos e cultura. Assim, a italianidade pode ser encontrada em todos os locais onde os italianos se instalaram no Brasil, seja na gastronomia, na arte e até mesmo nos carros. Afinal, na década de 1970, desembarcava no país uma importante companhia de origem italiana: a Fiat, Fabrica Italiana Automobili de Torino, que já chegou ousando. Diferentemente das outras fabricantes que se instalaram em São Paulo, escolheu Minas Gerais para abrigar a sua primeira unidade industrial. Nasceu daí mais uma forte ligação entre Brasil e Itália, e a Fiat se tornou meio italiana, mezzo brasileira. Uma trajetória de sucesso, paixão e automóveis.

DNA italiano e coração brasileiro

Em 9 de julho de 1976 era inaugurada a fábrica da Fiat Automóveis, em Betim, para a produção do Fiat 147, automóvel que inaugurou o motor em posição transversal em carros nacionais. Três anos depois, foi o pioneiro entre os veículos produzidos em série movidos a etanol. A empresa atraiu para o estado dezenas de novos fornecedores, o que transformou Minas Gerais no segundo maior polo automobilístico do País e resultou em crescentes ganhos de produtividade.

Inovação e pioneirismo já acompanhavam a Fiat desde os primórdios. Ao longo dos mais de 44 anos no Brasil, a companhia protagonizou importantes momentos para a história da indústria automobilística. Como o lançamento do Fiat Uno, um novo conceito mundial de automóvel, que conquistou os brasileiros pelo amplo espaço interno, baixo custo de operação e economia de combustível. O modelo foi lançado um ano antes na Itália e logo depois chegou à versão adaptada aos usos e costumes tropicais. O sucesso da versão brasileira foi tanto, que mais tarde o automóvel começou a ser exportado até mesmo para o seu país de nascimento.

Nos anos seguintes, a família Uno cresceu com o Fiat Prêmio, o primeiro carro nacional a ter – junto do Uno – computador de bordo. Desenvolvido no Brasil, posteriormente foi exportado para países da América Latina e Europa com o nome Duna. Logo se tornou um dos carros mais vendidos da Itália. Mais tarde, a perua Elba (1986) e o furgão e a picape Fiorino (1988) também se tornaram membros da família, baseados no primogênito Uno.

As raízes italianas estavam, principalmente, nos nomes dos veículos. Em 1990, a nova versão do Uno foi batizada de Mille, mil em italiano em referência ao motor de 1.000 cm³ de cilindrada. O veículo, concebido para ser prático, econômico e o mais barato do Brasil, foi um sucesso de vendas. Já no primeiro ano foram vendidas 100 mil unidades, êxito que continuou durante a década de 90.

Outros exemplos são o Fiat Tempra, que significa temperamento em italiano, algo que se explicava no visual equilibrado e moderno do veículo. Siena também veio em homenagem à cidade situada na região da Toscana. Fiorino, Doblò e Ducato são nomes originários de antigas moedas italianas. Já Elba é uma referência à ilha italiana, que serviu de exílio para Napoleão Bonaparte, em 1814. Oggi, Brava, Bravo, Strada, Grazie Mille e Toro também tiveram o nome inspirados no idioma.

No quesito estilo a Fiat também não nega suas origens: seu design italiano é referência em todo o mundo e alguns modelos se tornaram ícones pelo visual autêntico. Como o Fiat 500, conhecido pelo exterior cativante e atemporal, que ganhou as ruas brasileiras em 2010. O próprio Uno foi elogiado pelo público e mídia, devido à forma aerodinâmica, e o Fiat Brava impressionava pelas linhas arrojadas.

A linha atual da Fiat também é referência no assunto: o Argo é arrojado, o Cronos traz requinte e sofisticação, e o Toro, robustez, sendo um dos modelos que tem o design mais premiado da história, ao receber o selo ouro na categoria Design de Produto pelo Prêmio Internacional Objeto Brasil, além dos prêmios internacionais Red Dot Design e iF Design Award.

Ambos os modelos oferecem o pacote S-Design, conceito italiano, que reúne estilo e conteúdo que satisfazem as necessidades de um público dinâmico e esportivo. O pack traz elementos escurecidos, que foram inspirados no ambiente de neblina da região do Piemonte, no norte da Itália.

Cultura

Um dos pilares que a Fiat defende e preserva é a cultura. Ao completar três décadas no Brasil, em 2006, inaugurou a Casa Fiat de Cultura, localizada em Belo Horizonte (MG), que tem como proposta aproximar a arte do público. Até hoje, o espaço já abrigou 55 exposições de porte nacional e internacional, inclusive importantes mostras da arte italiana como: Arte Italiana do Masp (2006); Roma – A Vida e os Imperadores (2011); Barroco Itália Brasil – Prata e Ouro (2014); Recosturando Portinari (2014); São Francisco na Arte de Mestres Italianos (2018); Beleza em Movimento: ícones do design italiano (2019) dentre outras.

Atualmente, a Casa abriga a exposição “Percorsi Italiani: 120 anos de história na Casa Fiat de Cultura”, que vai até 1° de março e reúne objetos, vídeos e mais de cem imagens que resgatam os fluxos migratórios da comunidade italiana e sua contribuição na construção da memória e da identidade no Brasil e na Argentina.

Em maio, o espaço terá uma mostra sobre Sandro Botticelli (1445–1510), que será exposta pela primeira vez no Brasil e reúne 21 trabalhos do mestre italiano e de seus contemporâneos.

Amante da arte italiana, a Fiat também é apoiadora institucional da exposição “Leonardo Da Vinci – 500 Anos de um Gênio”, que está em cartaz no MIS Experience, em São Paulo, até 1º de março. A exposição inédita celebra a vida e a obra de um dos maiores inventores e mestres das artes em todos os tempos, e possui o Fiat Cronos HGT como “Carro Oficial” da mostra.

SERVIÇO

Exposição “Percorsi Italiani – 120 anos de história na Casa Fiat de Cultura”
Data: até 1º de março de 2020
Horário: terça a sexta, das 10h às 21h; sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h
Ingressos: entrada gratuita
Local: Casa Fiat de Cultura – Praça da Liberdade, 10 – Funcionários – Belo Horizonte/MG

Exposição “Leonardo da Vinci – 500 anos de um gênio”
Data: até 1º de março de 2020
Horário: terça a domingo (inclusive feriado), das 9h às 10h
Ingressos: terça, entrada gratuita; quarta a sexta, R$ 35 (inteira) e R$ 17,50 (meia); sábados, domingos e feriados, R$ 45 (inteira) e R$ 22,50 (meia)
Local: MIS Experience – Rua Vladimir Herzog, 75 – Água Branca – São Paulo/SP

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Novo Nissan GT-R NISMO é revelado no Japão

Com mais fibra de carbono, carroceria exibe nova pintura exclusiva, inspirada nos circuito…