Entre os usados, cenário de vendas a crédito é de alta, com 2% de aumento na comparação com agosto de 2019

As vendas financiadas de veículos em agosto de 2020 somaram 503,6 mil unidades, entre novas e usadas. Esse número representa um uma queda de -5,4% em relação a agosto de 2019 e engloba veículos novos e usados – incluindo motos, autos leves e pesados – em todo o País.

O maior impacto negativo foi observado nas vendas a crédito de veículos 0km, que tiveram queda de -26,5% entre os autos leves na comparação com agosto de 2019. Já as vendas financiadas de autos usados tiveram impacto positivo, com alta de 1,9%, na mesma base de comparação.

“A queda de 5,4% observada em agosto de 2020 na comparação com o mesmo mês de 2019 foi impactada pela menor quantidade de dias úteis no mês neste ano. Considerando apenas os dias úteis, a redução seria de apenas 0,9% nas vendas a crédito. Nesse comparativo, agosto seria o primeiro mês após o início da pandemia com impactos praticamente neutros em relação ao ano passado”, avalia Tatiana Masumoto Costa, superintendente de Planejamento da B3.

Os números são da B3, que opera o Sistema Nacional de Gravames (SNG), a maior base privada do País, que reúne o cadastro das restrições financeiras de veículos dados como garantia em operações de crédito em todo o Brasil.

O volume de financiamentos de veículos incluindo autos leves, motos e pesados, novos e usados realizados em agosto foi o quarto maior da série histórica.
O CDC registrou alta na comparação com julho de 2020 e continua sendo a categoria de financiamento mais utilizada pelos consumidores, com 86,8% de participação. O Consórcio ficou estável, com participação de 12,0% na preferência dos consumidores em agosto, contra 12,8% em julho.

Em relação a faixa de uso, entre todos os autos leves comercializados a crédito em agosto de 2020, 86.810 são zero quilômetro, 77.896 têm até três anos de uso e 140.145 de unidades somam entre quatro e oito anos de uso.

O prazo de financiamentos para automóveis leves aumentou em relação a agosto de 2019, para 44,2 meses. O maior prazo para crédito foi observado entre os autos seminovos com até anos de uso, com 45,8 meses.

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias

Veja também

IMSA: Derani vai em busca de mais um pódio neste domingo em Mid-Ohio

Brasileiro destaca características difíceis do traçado, mas segue confiante e embalado, ap…