A Ford está desenvolvendo um projeto de mobilidade inovador, junto com o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), dos EUA, para medir o movimento de pedestres e ajudar a prever a necessidade de transporte público programado em áreas urbanas. No estudo, uma frota de veículos elétricos equipados com sensores LiDAR e câmeras vai circular pelo campus da Universidade de Cambridge, em Massachusetts, e ruas da cidade, coletando dados que ajudarão a direcionar o serviço de ônibus e vans para as áreas de maior fluxo.
“O estudo permitirá desenvolver algoritmos eficientes para melhorar tanto os serviços de mobilidade sob demanda como a detecção e mapeamento de pedestres para o avanço dos carros autônomos”, diz Ken Washington, vice-presidente de Pesquisa e Engenharia Avançada da Ford.
Laboratório de alta tecnologia
A pesquisa do MIT está sendo conduzida pelo Departamento de Aeronáutica e Astronáutica do Aerospace Controls Lab (ACL), que desenvolve sistemas autônomos e de controle para aeronaves, naves espaciais e veículos terrestres. Seus estudos abrangem áreas como estimativa e navegação, planejamento e aprendizagem em contexto de incerteza e veículos autônomos.
 
“Com esse sistema de mobilidade sob demanda desenvolvido no campus do MIT, podemos estudar novos algoritmos de planejamento e previsão em um ambiente complexo, mas controlado, e oferecer ao mesmo tempo uma estrutura de teste para os pesquisadores e um serviço para a comunidade da universidade”, diz o professor Jonathan How, diretor do Aerospace Controls Lab.
Carona pelo aplicativo
Os pesquisadores da Ford e do MIT planejam iniciar o serviço em setembro, com um grupo de estudantes e professores. Os participantes vão usar um aplicativo móvel no smartphone para chamar um dos três veículos elétricos até o local onde estão, para serem levados a outro destino no campus sem precisar esperar muito.
Os veículos elétricos são pequenos o suficiente para rodar nas calçadas do campus sem atrapalhar o tráfego de pedestres e têm cabine protegida para enfrentar o inverno rigoroso da região.
Durante os últimos cinco meses, os veículos usaram os sensores LiDAR e câmeras para registrar o fluxo de pedestres entre diferentes pontos do campus. Muito mais preciso que o GPS, o sensor LiDAR é a tecnologia mais eficiente para a detecção e localização de objetos no ambiente. Por meio da emissão de pulsos curtos de laser, ele mostra a movimentação dos veículos, pedestres e objetos em um mapa.
Com esses dados, os pesquisadores podem estudar o padrão geral de tráfego de pedestres no campus e antecipar os locais com maior necessidade de transporte em cada momento. Outros fatores que afetam o movimento de pedestres, como condições do tempo, horários de aula e hábitos dos estudantes e professores em diferentes semestres, também são levados em conta no estudo.
A pesquisa faz parte dos mais de 30 projetos desenvolvidos pela Ford em parceria com universidades dos EUA, Alemanha e China, dentro do plano Ford Smart Mobility, para buscar novas soluções de mobilidade. O objetivo da empresa é ser líder em conectividade, mobilidade, veículos autônomos, experiência do cliente e análise de dados.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Fiat tem grande ação de vendas até sábado (24) em sua rede de concessionárias

Cronos Drive 1.3 com central multimídia por R$ 58.590 e Mobi Like 1.0 com parcelas a parti…