Classificado como carro pessoal de luxo, o Ford Thunderbird enfatizava tanto o conforto e conveniência do motorista como a performance

Marilyn Monroe, uma das maiores estrelas de Hollywood, protagonizou cenas memoráveis dentro e fora das telas e gostava de carros. Numa de suas fotos famosas, ela aparece em um Ford Thunderbird 1955 com o dramaturgo Arthur Miller, então seu marido, rodando em Nova York.

O veículo histórico da atriz foi vendido no ano passado pela casa de leilões Juliens, em Los Angeles, EUA, por US$490 mil. Ou seja, mais de seis vezes o preço de um Thunderbird 1956 em perfeitas condições, segundo o Hagerty Price Guide, tradicional guia de avaliação de carros clássicos do Reino Unido.

Esse sobrepreço é justificado pela aura de glamour, romance e tragédia associada a uma verdadeira lenda de Hollywood. No entanto, o maior valor pago por um Thunderbird continua a ser o da primeira unidade saída da linha de montagem, arrematada por US$660 mil em um leilão da Barret-Jackson em 2009.

Marilyn Monroe não escolheu o Ford Thunderbird por acaso – ambos eram ícones da época. A versão original do carro, estilo roadster, é fruto do caso de amor que a América teve com os esportivos europeus de dois lugares nos primeiros anos do pós-guerra.

O primeiro protótipo do Thunderbird foi apresentado no Salão de Detroit de 1954 como resposta ao Chevrolet Corvette. Sua primeira geração, lançada em outubro do mesmo ano e produzida até 1997, vendeu mais de 4,2 milhões de unidades. No total, a Ford produziu 12 gerações de “T-Birds”, incluindo os relançamentos de 2002 e 2005.

Classificado como carro pessoal de luxo, o Ford Thunderbird enfatizava tanto o conforto e conveniência do motorista como a performance, criando um nicho totalmente novo no mercado automotivo americano. Com motor V8 de 225 hp e velocidade máxima de 180 km/h, era uma máquina poderosa na época. O ronco igualmente possante era acentuado pelo sistema de duplo escapamento.

Tinha também transmissão automática Ford-O-Matic, direção hidráulica, vidros e bancos elétricos e pneus faixa branca. O interior luxuoso em branco e preto era complementado por capota de lona conversível e capota rígida removível com janelas vigia (uma novidade no modelo 1956).

Marilyn comprou o Ford Thunderbird em 1955 e, segundo reportagens da época, o usou na cerimônia de casamento com Arthur Miller no ano seguinte. A estrela conservou o carro durante sete anos até dá-lo como presente de aniversário de 18 anos a John Strasberg, filho do diretor Lee Strasberg, em 1962. Ou seja, pouco antes de morrer em agosto do mesmo ano aos 36 anos.

“O Ford Thunderbird é um dos produtos mais emblemáticos da história do automóvel”, diz Jim Farley, presidente de Novos Negócios, Tecnologia e Estratégia da Ford. “Cada geração do Thunderbird tinha uma personalidade única que marcou o início de uma nova era de inovações em design e tecnologia.”

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Ford apresenta o SUV elétrico Mustang Mach-E

SUV inova na economia, dsempenho e conectividade A Ford apresentou em Los Angeles, nos EUA…