Lucas di Grassi já escreveu seu nome na história do automobilismo ao vencer a primeira etapa da Fórmula E, categoria já conhecida pelo ineditismo de colocar, em circuitos de rua, velozes monopostos movidos a eletricidade e que vão de zero a 100 km/h em 2,5 segundos. Com o intervalo de mais de um mês entre a etapa inaugural, em Pequim, e a prova deste final de semana em Putrajaya, na Malásia, o brasileiro da equipe Audi ABT busca usar a experiência adquirida para manter a liderança do campeonato.
 
Di Grassi, com a vitória, soma 25 pontos diante de 18 do francês Franck Montagny e 15 do britânico Sam Bird. "Depois de um começo como o da China, com a vitória, foi até difícil esperar tanto tempo para entrar no carro da Fórmula E novamente. O bom é que neste intervalo eu estive completamente concentrado no FIA WEC e disputamos três etapas. Pelo menos agora estou chegando ao final da maratona!", disse Lucas.
 
O brasileiro encara no mês de novembro uma verdadeira maratona. Com a Audi, disptou as 6 Horas de Xangai no dia 2; e as 6 Horas do Barein no último fim de semana; disputa agora a segunda etapa da Fórmula E na Malásia e no dia 30 volta ao cockpit do Audi R18 e-tron quattro para as 6 Horas de São Paulo no autódromo de Interlagos.
 
Só de avião, nos deslocamentos, foram mais de 90 horas de voo. E ele ainda arrumou um tempo para disputar uma prova de triatlo com distância equivalente a meio IronMan. "Já estava no clima de maratona, então disputei um triatlo em Dubai com equipamento emprestado, e deu tudo certo", disse. Lucas disputou o Dubai International Triathlon. O percurso tinha 1,9 quilômetro da prova de natação, 21,1 de corrida e 90 pedalando. Ele completou a prova em 5h37min, tendo ingerido sete litros de líquidos durante a prova, queimando 4.836 Kcal e eliminando no total 2,7 quilos.
 
\"\"
 
O circuito urbano de Putrajaya tem 2,5 quilômetros de extensão e 12 curvas, girando no sentido horário. "Comparado com o traçado de Pequim, é um pouco mais curto, e parece ser mais exigente. O grande barato é que todos os circuitos são novos para todos os pilotos, então o segredo é se adaptar o mais rápido possível", afirmou.
 
"Claro que, como piloto, o objetivo é vencer sempre, mas a Fórmula E é imprevisível. Todos dispõem do mesmo material em mãos, a diferença nos tempos de volta é mínima e em pistas novas cada piloto reage de uma maneira e coloca suas características de maneira distinta e em pontos distintos do traçado. Nosso objetivo é o de sempre: vencer. E se não for possível, então vamos para um pódio ou somar pontos valiosos", resumiu o primeiro vencedor da história de uma competição de carros elétricos sancionada pela FIA.
 
Concentração é o ingrediente principal, de acordo com o piloto da Audi ABT. "A vitória em Pequim é uma bela lembrança – não mais que isso. Por isso que agora estamos nos preparando com a mesma concentração e vamos buscar outro fim de semana impecável com o time", concluiu.
 
O segundo e-Prix da temporada da Fórmula E acontece neste sábado (22), com transmissão ao vivo pelo canal Fox Sports. Treinos livres, classificação e corrida acontecem no mesmo dia. A largada acontece às quatro horas da madrugada de sexta (21) para sábado (22).
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Veja quem são os vencedores do Prêmio Top Car TV 2020

O Prêmio Top Car TV de 2020 foi realizado de forma virtual, devido a pandemia, da Covid-19…