O Governador Wellington Dias recebeu o superintendente da área de Governo do Nordeste da Caixa Econômica Federal, Claudio Freitas, e o superintende regional do banco no Piauí, Emanuel Veloso, nessa quinta-feira (18), no Palácio de Karnak. Na oportunidade, um dos temas tratados foi o de mobilidade urbana, na qual foi apresentada a experiência de Parceria Público-Privada (PPP) já em andamento na construção do Metrô de Salvador.
 
Para o superintendente da Caixa no Piauí, Emanuel Veloso, esse diálogo é muito importante porque pode ser uma solução para a mobilidade urbana de Teresina. “Trouxemos aqui uma experiência positiva que está sendo realizada em Salvador por meio da concessão público-privada, que garante uma construção em tempo recorde”, enfatiza, complementando que a Caixa tem se preocupado em criar grupos técnicos para dar consultorias para estados e municípios em obras que estão sendo usados recursos do banco.
 
O superintende de Governo do Nordeste, Claudio Freitas, disse que, além da  rapidez e qualidade nos 41 km de metrô que estão sendo construidos em Salvador, o formato de concessão publico-privada permite uma tarifa mais barata, do que se fosse uma concessão pura. “Esse formato de PPP garante uma equação econômica do negócio”, relata Claudio Freitas.
 
O governador Wellington Dias se mostrou interessado em conhecer mais o projeto de Salvador. “São alternativas para a obra que vamos fazer no metrô de Teresina, em parceria com o Governo Federal, com recursos da União e também de empréstimos já aprovado pelo Ministério da Fazenda e aguardando a aprovação do Senado”, comenta Dias.
 
O chefe do Executivo explica que a Parceria Público-Privada permite que algum empreendedor ou consórcio de empresas possa iniciar uma nova linha do Metrô de Teresina, dando continuidade a linha já existente (do Dirceu ao Centro)  como por exemplo do Centro à região Sul, na região do Parque Piauí e Vila Irmã Dulce.
 
Metrô de Salvador
Em Salvador, por um período de 30 anos, de 2013 a 2043, a PPP promoverá investimentos em construção de estações, aquisição de equipamentos, sistemas, adequação e revitalização de trens, manutenção e operação dos Terminais de Integração de Passageiros (ônibus urbanos) e das estações de metrô. Os investimentos no Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas são feitos pela concessionária CCR Metrô Bahia e pelo Governo do Estado e Federal.
A concessionária é responsável pela construção das novas estações e do Complexo de Operações e Manutenção, além dos terminais de integração de passageiros e parte dos sistemas operacionais. A CCR Metrô Bahia também é responsável pela operação e manutenção da via e pela aquisição do material rodante (trens) e de sistemas como o de sinalização, telecomunicações e Centro de Controle Operacional (CCO).
O Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas, inaugurado em 11 de junho de 2014, será composto por duas linhas, com total de 41 km de extensão, 23 estações e 10 terminais de ônibus integrados. Atualmente, a Linha 1 é composta por 8 estações em operação, 12 km de extensão que vai da Estação Lapa à Estação Pirajá. A Linha 2, com 12 estações, está em ritmo acelerado de obras. O término da obra está previsto para 2017. 
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Tecnologia criada por mães engenheiras aumenta segurança nos veículos Nissan

Um dos destaques do Novo Nissan Versa, o Alerta de Objetos no Banco Traseiro (Rear Door Al…