O governo federal zerou o Imposto de Importação para automóveis movidos unicamente a eletricidade ou hidrogênio. Até então, sobre cada unidade adquirida do exterior, incidia uma alíquota de 35%. A resolução está publicada no Diário Oficial da União da última terça-feira (27). 
Conforme a Camex (Câmara de Comércio Exterior), “a decisão foi tomada após amplo debate sobre o tema” e a medida “busca inserir o Brasil em novas rotas tecnológicas, disponibilizando ao consumidor veículos com alta eficiência energética, baixo consumo de combustíveis e reduzida emissão de poluentes”. O órgão diz ainda que “tais medidas estão alinhadas à política de fomento para novas tecnologias de propulsão e atração de novos investimentos para produção nacional desses veículos”. 
Mas a medida valerá somente para veículos que, com uma carga, tenham autonomia de 80 quilômetros. Modelos híbridos, com propulsão elétrica e a combustão, terão alíquota entre zero e 7%, dependendo da cilindrada e da eficiência energética.
A redução da carga tributária é apontada por especialistas como uma das ações importantes para ampliar a frota desse tipo de modelo no Brasil. Hoje, no país, existem aproximadamente três mil veículos elétricos e híbridos. Isso representa apenas 0,002% da frota total do país. 
Fonte: Agência CNT de Notícias
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

O esportivo de maior sucesso dos anos 30: relembre o BMW 328

O BMW 328 Roadster foi considerado um dos carros de corrida mais bem sucedidos na história…