Em meio ao contexto da pandemia da Covid-19, o Grupo Renault vendeu 1.256.658 veículos no 1º semestre, com uma forte recuperação comercial em junho. Assim, a Renault foi a marca número 1 na Europa no último mês.

Em meio ao contexto da pandemia da Covid-19, o Grupo Renault interrompeu suas atividades comerciais e industriais na maioria dos países onde opera em meados de março, o que resultou em uma queda de suas vendas de 34,9%, para 1.256.658 unidades no 1º semestre, em um mercado em recuo de 28,3%. O declínio das vendas do Grupo se deveu principalmente à sua forte exposição nos países onde foram decretadas quarentenas mais rigorosas.

“O mundo atravessou uma crise sem precedentes, com um grande impacto em nosso negócio. Com o início da recuperação das vendas, nossas fábricas e nossa rede de concessionárias souberam se mobilizar rapidamente para atender as necessidades dos nossos clientes, com uma demanda alavancada em junho pelas medidas governamentais de incentivo na Europa. Estamos iniciando o segundo semestre com um nível bastante alto de pedidos, um nível de estoques satisfatório, um posicionamento de preços em alta em toda a gama de produtos e uma nova linha de motorizações híbridas E-TECH única em seu segmento, que está sendo muito bem recebida”, declarou Denis le Vot, membro do Comitê Executivo do Grupo, vice-presidente sênior de Vendas e Regiões do Grupo Renault.

Veículos elétricos: ZOE é líder em um mercado em crescimento

Os volumes de vendas mundiais da marca Renault tiveram alta de 38% (mais de 42.000 unidades vendidas no primeiro semestre).

Na Europa, o ZOE é o carro elétrico campeão de vendas, com um aumento de quase 50% dos volumes, para 37.540 unidades, tendo atingido um nível recorde de pedidos no mês de junho, com quase 11.000 unidades.

A ofensiva em veículos elétricos com a chegada do Twingo Z.E. e o lançamento das motorizações híbridas E-TECH (Novo Clio E-TECH Híbrido, Novo Captur E-TECH Plug-in Híbrido e Novo Mégane E-TECH Plug-In Híbrido) fortaleceram a trajetória do Grupo para atingir seus objetivos CAFE em 2020.

Na Europa

As vendas do Grupo chegaram a 623.854 unidades, em queda de 41,8%, em um mercado em queda de 38,9%. O Grupo renovou de forma bem-sucedida todos os seus modelos do segmento B da marca Renault (Clio, Captur e ZOE). O Novo Clio foi o veículo mais vendido de seu segmento na Europa no primeiro semestre, com 102.949 unidades vendidas.

No primeiro semestre do ano, a marca Dacia registrou uma queda de 48,1% nas vendas, para 161.334 veículos vendidos, devido ao impacto de sua exposição às vendas no varejo, que foram fortemente impactadas pela crise da Covid-19.

Em junho, as vendas do Grupo na Europa se recuperaram com a Renault e a Dacia, que atingiram respectivamente 10,5% (marca líder) e 3,5% de participação de mercado. A marca Dacia se beneficia totalmente do retorno dos clientes à rede de concessionárias, graças a uma gama completa de motores: GLP, gasolina e diesel.

Fora da Europa, o Grupo sofreu uma queda principalmente nos mercados da Rússia (-23,3%), Índia (-49,4%), Brasil (-39,0%), e China (-20,8%).

Na Rússia

No segundo país mais importante para o Grupo em volume de vendas, o Grupo Renault ocupa a liderança, com uma participação de mercado de 30,2%, em alta de 1,4 ponto. As vendas tiveram queda de 19,5%, em um mercado em queda de 23,3%.

A participação de mercado da marca Renault avançou 0,3 ponto, para 8,1%. O Arkana confirma seu sucesso, com mais de 7.000 unidades emplacadas no semestre e posicionando a Renault em um novíssimo segmento do SUV-cupê na Rússia.

A LADA confirma sua posição de marca líder do mercado russo, com 20,8% de participação de mercado, sem incluir os 1,3% de participação do modelo NIVA (AVTOVAZ), que em julho passa a fazer parte da gama LADA. Os modelos LADA Granta LADA Vesta continuam sendo os dois veículos mais vendidos na Rússia.

Na Índia

As vendas do Grupo tiveram queda de 28,7%, em um mercado em recuo de 49,4%. Assim, a Renault atingiu uma participação de mercado de 2,8% (+0,8 ponto). Quase 13.000 unidades do Triber foram vendidas nos seis primeiros meses do ano. No segundo semestre, a gama de modelos Renault (Kwid, Duster, Triber) será ampliada com a chegada de um novíssimo SUV.

No Brasil

Em um mercado em recuo de 39,0%, as vendas do Grupo tiveram queda de 46,9%, principalmente em razão da nova estratégia de melhoria da lucratividade e reposicionamento de preços dos veículos.

Na China

Os volumes do Grupo tiveram queda de 21,2%, em um mercado em recuo de 20,8%. O Grupo está implementando uma nova estratégia, com um reajuste do foco de suas atividades nos veículos utilitários, com a Renault Brilliance Jinbei Automotive Co., Ltd., e nos veículos elétricos, com a eGT New Energy Automotive Co., Ltd. (eGT) e a Jiangxi Jiangling Group Electric Vehicle Co. Ltd. (JMEV).

Na Coreia do Sul

O Grupo registrou uma alta de 51,3% nas vendas, em um mercado em alta de 6,9%, graças ao sucesso de seu novo modelo XM3 lançado em março de 2020, que teve mais de 22.000 unidades vendidas em 4 meses.

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Audi do Brasil inicia projeto piloto de carro por assinatura

Ação piloto recebe o nome de Audi Luxury Signature e será realizada em parceria com a Flee…